A coragem de pedir perdão

André Florêncio
Foto: João Otávio/ cancaonova.com

Quem precisa do perdão não pode ter medo de humilhar-se

Podemos perceber, em toda a Sagrada Escritura, a capacidade de perdão de Jesus. Um Deus de infinita Misericórdia que não se cansa de nos perdoar. Nos encontramos em nossa vida como pecadores que necessitam de perdão.

Jesus tem sempre disposição em nos perdoar, mas quer encontrar em nosso coração o desejo de ser perdoado. Hoje, nem sempre existe em nós, uma disposição para pedir perdão, consigo enxergar isso a partir de mim. Nós precisamos entender que o perdão é um exercício, e o que mais precisa haver dentro de nós é essa disposição para o perdão.

E o problema todo é que o pecado hoje em dia tem sido “mascarado”, e o que é mascarado você já não sabe discernir se é pecado ou não. A nossa consciência está para nos ajudar. Sabe aquela “dor na consciência” que dá lá no fundo? É ela que é o termômetro para dizer que você está indo ao contrário da vontade de Deus. O problema é que nós começamos a ignorar a nossa consciência e o pecado torna-se comum na nossa vida.

O que a igreja diz que é pecado?

“O pecado é uma falta contra a razão, a verdade, a consciência reta; é uma falta ao amor verdadeiro para com Deus e para com o próximo, por causa de um apego perverso a certos bens. Fere a natureza do homem e ofende a solidariedade humana. Foi definido como “uma palavra, um ato ou um desejo contrários à lei eterna”. (CIC §1849)

Você precisa reconhecer que é pecador. Quem precisa do perdão não pode ter medo de humilhar-se. Aqui entra o sacramento da reconciliação. Não podemos ter vergonha de nos aproximarmos do Senhor. Se você quer trilhar esse caminho de perdão, pegue o que você tem de melhor, humilhe-se e seja quem você é. É, em nós, que o Senhor quer exercer toda a Sua capacidade de misericórdia. Queiramos como aquela pecadora nos levantar e ir ao encontro do Senhor.

Assista a um trecho da pregação:

Leia mais:
:: Despertando para um caminho de conversão
:: O valor do perdão e o caminho para a cura

Transcrição e adaptação: Nathane Rangel

 

 

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo