Em todas as circunstâncias, empunhai o escudo da fé (Ef 6,13-17) 

Pitter di Laura

Em todas as circunstâncias, empunhai o escudo da fé (Ef 6,13-17) 

Foto Wesley Almeida/cancaonova.com – Pitter di Laura

Entre todas as armaduras, hoje, vamos falar de escudo. E falando de armadura, falamos de batalha, de guerra, e, dentro de uma guerra, nem sempre vence aquele que é o mais forte, e sim aquele que tem mais tática. E, nessa batalha, isto é, num âmbito espiritual, uma batalha de fé, a nossa luta, a nossa guerra é entre o bem e o mal.

Cuidado para você não perder tempo lutando contra o inimigo errado. E, com isso, a Palavra de Deus vem nos colocar no prumo, para que nossa luta seja mais assertiva: “Por isso protegei-vos com a armadura de Deus, afim de que possais resistir no dia mal …”

O escudo tem uma importância significativa, na Palavra diz que o escudo é para todos os momentos, todas as circunstâncias. Esse escudo não pode sair de perto de nós, pois ele é o que pode apagar todas as flechas incendiadas do maligno. 

O inimigo de Deus é como um leão que ruge, esperando um vacilo para nos atacar. Esperando uma brecha, esperando abaixar um escudo para nos atingir com as flechas incendiadas do ódio, pecado e orgulho. 

Precisamos fortalecer nossa vontade

Porém, o Senhor deu a nós o livre arbítrio que nos dota de vontades, e o inimigo imagina qual seja a nossa fraqueza, mas ele não pode interferir no inviolável dom do livre arbítrio, ele não pode interferir na nossa vontade, e, para isso, nós precisamos fortalecer nossa vontade com as virtudes, dotados de virtudes, nos fortalecemos no nosso livre arbítrio. E, fortalecendo, nós teremos boas vontades, boas inclinações, boas atitudes e palavras. O escudo é imprescindível nessa luta em que o inimigo está ao nosso lado querendo nos atingir, a fim de influenciar em nossas atitudes. O inimigo nos tenta para nos influenciar ao mal. Portanto, nós precisamos sempre ter as armas certas e, principalmente, o escudo. 

Mas que escudo é este? É o escudo da fé! 

O seu escudo é a sua fé, e a sua fé não pode arrefecer nenhum segundo, porque o inimigo de Deus quer nos influenciar em nossas atitudes, vontades e palavras. 

“Meu Senhor e meu Deus, que minha fé não vacile nenhum segundo sequer em minha vida”. O mal quer influenciar em nossas vontades, mas nós somos livres, o Senhor já nos dotou de liberdade. Jesus, na Cruz, já nos libertou do mal, porém, nossa luta é constante; é o presente que temos em mãos, porém, só abrimos no Natal.  Em 1Samuel 17,38: “Samuel revestiu Davi com a própria armadura, pôs lhe na cabeça um capacete de bronze e o armou com uma couraça”. 

A armadura de Davi não era física, e sim a própria proteção do Altíssimo. Davi estava revestido da graça, da vontade e da força de Deus. E esta era a armadura de Deus sobre Davi: o escudo. E isso é Deus nos protegendo através de um instrumento, a fé. 

É impossível lutar contra o mal. Contando apenas com a força do nosso intelecto é impossível lutar, apenas acreditando que vamos conseguir por conta própria. Porque o inimigo de Deus tem poder de influenciar nossas vontades. Como se luta com um inimigo desses? Somente lutamos com a força de Deus, com a graça de Deus em nós, pois quando somos fracos, Deus nos faz fortes. 

Existem características em nós que nós não teríamos sozinhos, só estão em nós pois existe Deus agindo em nós, e a fé é o exemplo. “A fé está em nós por graça de Deus, não por acaso. A fé está enquadrada em um conjunto de virtudes teologais. São virtudes que estão em nós, mas não são nossas, são conferidas por Deus a nós. Deus nos concede a graça de ter a virtude da fé. Sem a presença de Deus nós não teríamos esta graça”. 

O Catecismo da Igreja Católica nos diz :“A fé é dom de Deus, uma virtude sobrenatural infundida por ele, para que se preste esta fé, exige-se a graça prévia e adjuvante de Deus e os auxílios internos do Espírito Santo que move o coração e converte a Deus, abre os olhos da mente e dá a todos suavidade no consentir e crer na vontade de Deus e a crer na verdade”.

“O Espírito Santo nos faz enxergar a verdade” 

O que é a fé? A fé é acreditar naquilo que não se vê. A força de Deus age na matéria, age dentro de nós. A fé nos abre uma visão mais profunda do que é a visão carnal, uma visão espiritual dos fatos. Na fé a inteligência e a vontade humana cooperam com a graça divina. Crer é um ato da inteligência que assente a verdade divina, a mando da vontade de Deus através da graça. 

Essa fé de inteligência sendo tocado pela graça divina nos confere a graça, crer é uma ato da inteligência que aceita a vontade de Deus, a mando da vontade movida por Deus através da graça. Deus toca em nossa inteligência de acreditar naquilo que não vemos, nos confere a graça de acreditar em Deus. A nossa fé nos faz acreditar em Deus, mas também em tudo aquilo que existe no âmbito espiritual. 

Leia também: 

::Como é viver a santidade na vida cotidiana?

::Creia no Deus da esperança sempre

::O sentido sobrenatural de não pintar a frente da casa

Adoração, lugar de encontro com Deus

Monsenhor Jonas nos fala no livro: “Agora meus olhos te viram”  sobre essa visão espiritual, esse dom de Deus, essa virtude sobrenatural infundida em nós por Deus. E como exercitamos a visão espiritual das coisas, como exercitamos a fé em nós? “A adoração é um lugar privilegiado para o encontro com Deus”.

Na adoração a Deus, nós nos encontramos com Deus; na atitude de adorar a Deus, reconhecemos interiormente o lugar exclusivo que Lhe pertence em nosso coração. Dirigimo-nos a Deus, reconheçamos a Sua majestade e grandeza em nossa total dependência d’Ele como criaturas. 

Para acreditar em Deus nós precisamos de Deus. Precisamos ter fé, acreditar na existência do Senhor, Deus está nos fatos, nos acontecimentos, dentro de mim, fora de mim, no ontem, no hoje, no amanhã… Deus é atemporal. 

O encontro com a verdade

Neste combate, nós não podemos lutar contra o inimigo errado. Pois, já está e será cada vez mais difícil convencer as pessoas da verdade, porque a Verdade é uma pessoa. E a tática do mal com relação a verdade é encher o mundo de mentiras. 

O que nós precisamos fazer é proclamar, cada vez mais, que Jesus Cristo é a Verdade. E nós precisamos ter um encontro pessoal com Jesus, pois, somente com esse encontro pessoal com Jesus, nos renovamos.

Nós precisamos voltar e estar no prumo; estar na vontade de Deus, e isso é conversão. Nós precisamos nos aperfeiçoar no encontro pessoal com Jesus e apresentar a verdade a alguém. Isso só é possível quando essa pessoa tem uma experiência com a Verdade. 

Que, nesta luta que travamos, o Senhor fortaleça a nossa fé! Que você tenha um encontro pessoal com Jesus, que Ele te dê a graça de ter esse escudo da crença do Deus vivo, agindo em mim, nas coisas, no acontecimento e na história. 

Banner THE CHURCH

Transcrição e adaptação: Amanda Carol 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo