O Sangue de Cristo nos firma na aliança

Mauriceia Silva

Mauriceia Silva– Foto: Jorge Aparecido/cancaonova.com

Convido você a recordar do amor de Deus que, nesta tarde, atualiza-se na sua vida. Ele vai à sua casa, o Pai das Misericórdias, esse Pai amoroso que te sustenta.
O que você tem vivido nesses últimos dias, anos e, principalmente, nos últimos meses?

É a mão de Deus que te sustenta! Esse Deus de amor, da providência, que continua a guiar os teus caminhos, e vem dizer nesta tarde: “Meu filho amado, minha filha amada, Eu te amo tanto, com amor de eternidade”.

“Carregou os nossos pecados em Seu corpo sobre o madeiro, para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por Suas chagas fomos curados. Porque éreis como ovelhas desgarradas, mas agora retornastes ao Pastor e guarda das vossas almas” (1 Pedro 2, 24).

Que ferida é essa que nos cura? Que Pessoa é essa que nos cura, para que, definitivamente a ferida do nosso coração possa ser curada? Aí em sua casa, convido você a pensar: “A quem você precisa perdoar?”.

Este tempo de pandemia nos dá bastante tempo para pensar. Os nossos pensamentos convergem, mas é real, o Senhor está voltando!

Deus nos dá tempo para refletirmos!

O Sangue de Jesus Cristo é perdão

Hoje, para sermos curados da nossa lepra e das feridas da nossa alma e coração, precisamos ser imitadores do Pai, amando e perdoando… O sacrifício da Cruz, o Sangue de Jesus Cristo derramado por nós é puro perdão!

O perdão não é porque o outro merece, e sim porque precisamos ser livres e libertarmos aquela pessoa. Jesus Cristo veio ser esse amor dilatado do Pai, esse amor tão grande que fez-se Homem e deu-se por nós.

Capa---Mauricéia---Jorge-Ribeiro (1)

“A aliança do Senhor não se rompeu nem se encerrou!” (Mauriceia Silva) – Foto: Jorge Aparecido/cancaonova.com

Como você estava antes da pandemia, como era a sua espiritualidade? Este é o tempo favorável, o tempo em que o Deus de amor veio revelar-Se a você.

Dimensões da Devoção ao Sangue de Cristo

Humana e divina, isto é, a nova aliança que vem nos resgatar, que vem em auxílio daqueles que precisam viver a fidelidade. Na Eucaristia, sacrifício que se atualiza diariamente, que nós, católicos, podemos comungar. Na salvação e redenção: no Sangue de Cristo somos justificados.

“Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo Seu Sangue, se­remos por Ele salvos da ira”.

Quem disse que para seguirmos no caminho de Deus precisamos ter todas as seguranças? Dom Bosco dizia: “Sê para Deus como um pássaro que sente o galho tremer, mas continua a cantar sabendo que tem asas”. Como tem sido o seu relacionamento com Deus? E a sua confiança n’Ele?

Hoje, a palavra de ordem de Deus para nós é: retome a sua aliança com Cristo! Mas o que tem te roubado dos cuidados de Deus e tem feito com que você se lance aos outros cuidados?

Mergulhe, hoje, a sua racionalidade nas Chagas de Jesus. Mergulhe aquilo que você não entende. Quando temos coragem de mergulhar, esse Sangue vem nos lavar. O que nos leva além é o Sangue do Cordeiro.

Se você, assim como o povo do deserto que estava prestes a construir um bezerro de ouro, está cansado de esperar, eu convido você a parar e a pensar: “O que preciso entregar, colocar nas Chagas de Cristo para me tornar homem e mulher novos?”.

Na Santa Missa Jesus se dá a nós 

Temos ali o Corpo e o Sangue de Jesus que se atualizam todos os dias; e ali somos salvos gratuitamente. Fomos salvos! Deus dá-Se a nos por meio desse sacramento. O próprio Cristo se dá a nós.

Um dos ícones mais bonitos que a Igreja representa é o pelicano, que tira de si mesmo para dar aos seus filhotes; é Deus quem se dá no Cristo a nós, para que possamos ter a eternidade.

Deus nos convida a sermos inteiros e não esquecermos da aliança e da filiação que se renova.

Leia mais:
.: Julho, mês do Sangue de Cristo
.: Terço da vitória pelo Sangue de Jesus
.: Qual é o real valor e dignidade da celebração da Santa Missa?
.: Como restabelecer a intimidade com Deus a partir dos sacramentos?

“Se invocais como Pai aquele que, sem distinção de pessoas, julga cada um segundo as suas obras, vivei com temor durante o tempo da vossa peregrinação. Porque vós sabeis que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo, o Cordeiro imaculado e sem defeito algum, aquele que foi predestinado antes da criação do mundo e que nos últimos tempos foi manifestado por amor de vós” (1 Pedro 1, 17-20).

É tempo de viver essa fidelidade, como aqueles que esperam a vinda de Jesus, como aqueles que sabem ouvir a voz do Pastor. Pense: “O que falta hoje para que eu viva essa fidelidade, para que eu me entregue por inteiro?”.

Convido-te a uma retomada, pois a aliança do Senhor não se rompeu nem se encerrou!

Transcrição e Adaptação: Bruna Marta

Banner THE CHURCH

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo
Estudo da Palavra