Sou pertença de Deus

Luciano Alves Moreira

Luciano Alves Moreira
Foto: Bruno Marques/cancaonova.com

Se pertencemos a Deus, nosso lugar é o céu

Uma pessoa que entende que é de Deus e não se pertence mais entende que não trilha mais os próprios caminhos; antes, trilha o caminho do Céu. Nosso Senhor Jesus Cristo já pagou o preço para que tivéssemos esta certeza, de que o Céu é o nosso lugar.

Não vamos à Canção Nova por acaso

Se, hoje, vamos à Canção Nova, não é um luxo, mas privilégio, lugar em que podemos receber aquilo de que nossa alma necessita. Cumprimos aquele que foi o propósito de monsenhor Jonas Abib, quando, inspirado pelo Espírito Santo, fundou a Comunidade Canção Nova.

Meditemos em I São Pedro 4,11:

“A palavra, para anunciar as mensagens de Deus; um ministério, para exercê-lo com uma força divina, a fim de que em todas as coisas Deus seja glorificado por Jesus Cristo. A ele seja dada a glória e o poder por toda a eternidade! Amém.”

O batismo é nossa marca de pertença a Deus

Todos somos batizados? Se sim, devemos dar glórias a Deus, pois, pelo batismo, pertencemos a Deus.

Quando um padre unge uma criança, no peito e na testa, com o óleo dos catecúmenos, isso significa que somos propriedade do Senhor. Assim, quando pensarmos em nos entregar às coisas impuras deste mundo, não nos entreguemos! Lembremo-nos de que pertencemos a Deus, e o Céu é o seu lugar.

É necessário dar valor ao batismo

O povo de Deus precisa aprender a levar a sério o batismo. É necessário compreendermos que somos chamados a ser portadores e praticantes da Palavra. Seja nos relacionamentos, no trabalho, seja na vida financeira, na saúde e na cidadania, não existe área em que não tenhamos o chamado para tornar este mundo melhor.

Ser cristão não é viver um mar de rosas

Esta vida é uma vida de luta, lágrimas e suor. Todo bom cristão batizado, que fez uma experiência com Deus, não vive um mar de rosas, mas luta, dia após dia, para viver a santidade.

Assumindo a responsabilidade enquanto pais

Vivemos numa era de intoxicação digital, em que os pais são negligentes com a criação de seus filhos. Omitimo-nos diante da dependência tecnológica que se desenvolve nas crianças. Somos batizados e batizamos nossos filhos não para os deixar à mercê disso, mas para os educar, não com superficialidade, mas numa educação cristã mais profunda.

Leia mais:
A santidade no matrimônio
Pureza de coração, entenda o que pede o nono mandamento
Cristãos vigilantes na oração
Ser tão de Deus e resgatar o homem das drogas

Se pertencemos a Deus, não podemos nos conformar com a perdição de nossa família. Temos de ter coragem, arrancar os celulares de nossos filhos e dar-lhes mais de Deus! A responsabilidade da educação cristã é dos pais, e é fundamental que estes tenham consciência do seu papel.

“Se pertencemos a Ele, devemos confiar em sua providência”

Aquele que pertence a Deus, que assume seu papel como cristão, não se sente feliz se não tem convicção de que não só está indo para o céu como também está ajudando toda sua casa, sua família, a também seguir este caminho.

Conduzindo e sendo conduzidos por Deus

Temos de viver a constante preocupação de estarmos sendo conduzidos pelas mãos de Deus! Assim deve ser o relacionamento paterno, como quando atravessamos a rua com uma criança, segurando a mão, proporcionando segurança. Na vida cristã, devemos ser conduzidos por Deus e conduzir aqueles que estão sob nossa responsabilidade.

É necessário aprender a confiar em Deus

É preciso, como os santos, que tenhamos confiança na ação sobrenatural de Deus em nosso favor. Se pertencemos a Ele, devemos confiar em sua providência e graça para conosco e também para os nossos.

Se você pertence a Deus, viva a certeza de que sempre seremos conduzidos a coisas maiores, que Ele cuidará de nós e dos nossos.

Transcrição e adaptação: Jonatas Passos

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo