Perdão, porta aberta para a bênção

O Senhor está nos surpreendendo nesta “Quinta-feira de Adoração”. Desde o começo do dia, Ele está levantando combatentes.

Meditemos a Palavra do Senhor em I Coríntios 13,4-6: “A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade”.

Padre Márlon Múcio e Irmã Maria Eunice pregam na Quinta de Adoração na Canção Nova. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Padre Márlon Múcio e Irmã Maria Eunice pregam na Quinta de Adoração na Canção Nova. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Deus deseja que nos valhamos da caridade e usemos do perdão para viver em paz. Precisamos amar os que nos enfrentam e batem de frente conosco. Se Deus os ama, nós também podemos amá-los! Amar é ir além do que é corriqueiro, é não pedir nada em troca.

Madre Teresa de Calcutá dizia: “Amar é doar-se até doer”. Ela não conseguia calçar seus sapatos, porque vivia ajoelhada aos pés dos sofridos e seus dedos foram ficando tortos. Ela, no entanto, não se importava com seu físico, o que importava para ela era o amor.

Amar é ir além. Esse “amorzinho” que administramos não nos leva ao céu. Hoje em dia, não se pode  falar nada às pessoas, porque querem logo nos processar. Por isso, para que essas pessoas estejam bem, acabamos aceitando tudo o que elas dizem. Alguns falam: “Não vou corrigir meus filhos! Não vou me intrometer, porque vai sobrar para mim!”.

Deus quer mais do que uma diplomacia, Ele foi julgado por amar, porque escolheu os piores. Foi criticado, porque andava com as prostitutas, com os cobradores de impostos. Ele se importou com o amor, não com o que as pessoas diziam.

O mundo ensina: “Recebeu, levou!”, “Seja bom, mas não seja bobo!”. Muitos pensam que perdoar é ser covarde. Cristo deu o perdão para nos salvar; aparentemente, parecia que havia perdido tudo. Perdão é um atestado de inteligência, uma receita de saúde, é a porta que dá acesso à bênção!

Peregrinos participam da Quinta-feira de Adoração na Canção Nova. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Peregrinos participam da Quinta-feira de Adoração na Canção Nova. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Neste mês de agosto, celebramos o mês vocacional. A pessoa que não usa o perdão não decide a sua vocação, não prospera, não se realiza, e sua vida fica emperrada. É você quem precisa correr para dar o perdão, para alcançar a bênção!

Os santos são aqueles que souberam perdoar, não ficaram presos à pessoas, eles derrubaram o muro. Quantos de nós recebemos um tiro e o deixamos corroer nossa vocação, profissão, casamento…? Os inimigos da nossa salvação estão dentro de nós.

Reze a oração de São Francisco de Assis:

“Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; onde houver ofensa, que eu leve o perdão; onde houver discórdia, que eu leve a união; onde houver dúvida, que eu leve a fé; onde houver erro, que eu leve a verdade; onde houver desespero, que eu leve a esperança; onde houver tristeza, que eu leve a alegria; onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna”.

Dilate o seu coração, ame mais, libere o amor, amenize suas feridas. O amor nos liberta. Precisamos vencer nossas limitações!

Transcrição e adaptação: Karina Aparecida

contribuicaocn


Padre Márlon e Irmã Maria Eunice


Ministeriados em cura e libertação

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo