Repensando a Vida

Repensando a Vida

Padre Roger Araújo. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Você acha que sua cruz está pesada? Repense a sua vida sobre a cruz de Cristo

Hoje, quero meditar junto com você outro ponto do nascimento da Igreja, quando ela nasce no ventre de Maria e é nutrida aos pés da cruz de Cristo. Na cruz, onde Cristo está morrendo, a Igreja está nascendo. Os dois sacramentos que surgem do lado aberto do coração de Cristo são o batismo e a Eucaristia.

Nós nos tornamos Igreja, porque somos batizados. Do lado de Jesus saiu a água que nos purificou de nossos pecados. O mesmo Sangue, que também saiu de Seu coração, é a Eucaristia que nos alimenta. Esses dois sacramentos fundamentais e essenciais nascem da cruz de Cristo.

Nós ainda temos muita vergonha de falar de Jesus Cristo crucificado, e ainda temos muita dificuldade de compreender e assimilar esse mistério da cruz.

“Os judeus pedem milagres, os gregos reclamam a sabedoria; mas nós pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos; mas, para os eleitos – quer judeus quer gregos -, força de Deus e sabedoria de Deus” (1 Coríntios 1,22-24).

As pessoas buscam a religião e a Igreja, porque querem milagres e sabedoria. E quando não encontram nenhuma dos dois, elas se decepcionam. Se termos bancos vazios em nossa Igreja, é porque as pessoas estão em busca de milagres. Isso não é ruim, mas a Palavra diz: “Nós pregamos Cristo crucificado”. Para os pagãos isso é loucura, e eles nos dizem: “O Deus que vocês apresentam é um Deus pregado na cruz?”.

A força e a sabedoria de Deus estão na cruz do Senhor. Jesus Cristo foi confundido e tido como um grande malfeitor. E podemos nos questionar: “Se Deus era Pai, por que deixou Seu Filho morrer dessa forma?”. Você acha que o Pai não sofreu? Sofreu, claro. Qualquer forma de morte de alguém o Senhor sofre. Jesus não tinha nenhuma culpa, mas abraçou sobre si todas as injustiças do mundo.

Talvez, alguém da sua casa esteja em uma cama, e você diga: “Senhor, essa pessoa merece isso?”. Jesus também não mereceu sofrer. E eu não conheço ninguém que não tenha de passar pelo sofrimento. O sofrimento de Cristo não foi somente a cruz, mas a traição dos Seus discípulos mais próximos. Nós também passamos por traições, mas não podemos pensar que Deus se esqueceu de nós. Ele quer que olhemos para a cruz d’Ele e entendamos que a nossa cruz não é mais pesada que a d’Ele.

Repensando a Vida

“Sofrer com dignidade e caráter é seguir Cristo”, afirma padre Roger. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

 

Qual foi a resposta de Jesus para a traição? O perdão. O sofrimento de Jesus começa pela tortura psicológica pela qual Ele passou. O Senhor sabia que aquele, que estava comendo com Ele, iria negá-Lo. Quando Ele partiu para o calvário, quando O prenderam, todos O negaram. Por isso, não se sinta desolado, sozinho, achando que você é o último abandonado da humanidade! Cristo levou sobre Si a toda a humanidade. A solidão de Jesus foi tão terrível, que Ele até gritou da cruz: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?”. Quando você está sozinho, é ali que Deus está. É mais fácil Ele estar no vale de lágrimas do que na euforia da vida.

A misericórdia de Jesus salva a pessoa até na hora da morte. Deus não veio para castigar, mas há sofrimentos que nos castigam demais. No entanto, se os usarmos com santificação e purificação, nós nos uniremos à cruz de Cristo. Qualquer sofrimento vivido com santidade é renovador e curador.

Cristão é aquele que abraça a cruz dia após dia. Nós precisamos ajudar o outro a carregar a sua cruz, porque ela nos ajuda a ser humildes. Nós precisamos uns dos outros, não existe um cristianismo isolado. Nós carregamos a nossa cruz para ajudar o outro a carregar a dele. A medida da sua cruz é a medida da cruz de Cristo. Uma vez que Jesus carregou a nossa cruz, ela é mais leva para nós. Não se iluda, não existe cristianismo nem cristão sem cruz.

Sofrer com dignidade e caráter é realmente seguir Cristo. O maior erro que cometemos em nossa espiritualidade cristã é tirarmos os nossos olhos de Cristo crucificado e olharmos para nós mesmos, para as pessoas. Não podemos deixar de anunciar o “escândalo” e a “loucura” de Cristo na cruz. Se alguém está enganando você, dizendo que pode ajudá-lo a alcançar milagres, não perca tempo, todo o mundo vai morrer, e é a cruz de Cristo que vai nos salvar.

João Paulo II passou pela cruz muito cedo, perdeu seus pais, passou pelo campo de concentração e por todo sofrimento em  seu pontificado, mas carregou a sua cruz até o fim. Não pense que a nossa espiritualidade é sinônimo de ausência de sofrimento.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D’Onofrio.


Padre Roger Araújo


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo