Vencer o mal com o amor

Vencer o mal com o amor

Padre Antônio Xavier- Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

O amor ao próximo é uma das maneiras de combatermos o mal

Mesmo dentro do tempo pascal, hoje usamos o vermelho na liturgia, porque estamos na festa desse apóstolo que chama Matias, o primeiro, após os 12, a ocupar o lugar de um apóstolo.

Por isso, ouvimos, nesta primeira leitura, como foi feita a escolha de Matias para substituir Judas Iscariotes. Não é uma missão muito fácil substituir aquele que traiu Jesus.

É interessante observarmos que o Evangelho se liga à primeira leitura dizendo que, antes de tudo, devemos permanecer no amor de Deus para que produzamos Seus frutos. Mas, para isso, precisamos ter uma profunda relação com Ele.

Jesus insiste para que permaneçamos em Seu amor, porque se não mantivermos nosso coração ligado a Deus, em pouco tempo as coisas vão desmoronar. Isso acontece, porque tentamos aplicar as coisas que não são de Deus naquilo que é d’Ele.

Quando as coisas começam a chegar misturadas demais até nós, em pouco tempo começam a chegar os efeitos colaterais e nós vamos nos separando do amor de Deus. Por isso, Jesus nos deixa ensinamentos como “amar uns aos outros”.

Se não conseguirmos amar o próximo, em pouco tempo não conseguiremos nem mais suportar as pessoas. E mesmo estando juntos, começaremos a trilhar um caminho de divisão.

É exatamente isso que aconteceu na vida de Judas Escariotes: aquele que antecedeu Matias, esteve no meio dos doze, mas seu coração estava longe. É exatamente nesse contexto que entra Matias, que sucedeu Judas Iscariotes.

Parece que Matias não era a pessoa mais indicada, ao menos pelos discípulos, porque haviam escolhido dois: José e Matias. José era o justo, mas sobre Matias não falam nada a respeito. No fundo, Deus não escolheu o justo, mas quem Ele quis. Isso mostra que a iniciativa de Deus é livre.

Essa eleição da parte do Senhor não é privilégio de alguns, mas de todos aqueles que pertencem a Ele, que são escolhidos por Ele.

O mínimo exigido pelo amor é que seja suportado. Há pessoas que nem se toleram; então, suportar é bom, mas falta muito para chegar lá na frente. A vontade de Deus é que nos amemos de verdade, mas isso só acontece quando nos esforçamos verdadeiramente.

O que Jesus esperava de Matias era que ele suportasse a missão daquela Igreja que estava começando. Matias precisava lidar com as coisas boas e complicadas. Mas como tinha diante de si a sucessão de Judas, sua expectativa era baixa, pois seu antecessor havia fracassado.

Missa com Padre Xavier

Missa com Padre Antônio Xavier – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Matias precisava ser, antes de mais nada, uma pessoa que reagisse à altura diante desse buraco deixado por Judas. Ele podia ter sido apóstolo antes de Judas e também ter traído o Senhor, mas isso não aconteceu. No entanto, essa realidade nos mostra uma lição muito grande: não adianta tentar consertar o que já aconteceu.

A primeira coisa que temos de aceitar é que até mesmo o que de errado fizemos está feito. Por isso, a necessidade da misericórdia de Deus, porque não dá para mudar o que já passou. Com Matias encontramos uma resposta diferente; ele pôde, com suas boas ações, voltar a equilibrar essa balança. Essa é a missão dele: gastar sua vida toda fazendo o bem, fazendo com que o mal seja apenas passado.

O mal está solto por aí. Não é culpa sua o pecado no mundo, mas você deve saber que não vai tirá-lo desse mundo, pois só Deus pode fazer isso. Mas, a exemplo de Matias, nós podemos tentar fazer com que esse mal que chega em nossa vida possa ser equilibrado com o bem que fazemos. É isso que Deus espera de nós: não deixarmos que o mal vença.

Capacidade de amar você tem, porque Deus lhe deu; e não lhe deu porque você o merece, mas porque você é imagem e semelhança d’Ele.

Você não consegue impedir que o seu filho sofra, mas pode fazer com que ele se sinta amado. A mesma coisa são os filhos: não conseguem mudar a história dos pais, mas podem amá-los.

Devemos começar, por amor, a suportar a presença dos outros; depois, começar a desejá-la. Se você pode fazer o bem, por que não o fazer? Às vezes, olhamos e pensamos que são necessários grandes sacrifícios, mas não é verdade! Precisamos fazer o bem para que possamos colocar tudo em ordem, pois é isso que Deus espera de nós.

Amar quer dizer exatamente isso: que seja feito tudo aquilo que é bom. O problema é que, muitas vezes, a presença do amor não é sentida, mas a ausência dele sim. Por isso, Jesus disse: “Amai-vos uns aos outros”.

Acho que você entendeu o que Jesus quer: que o amor produza algo útil na vida do próximo.

Transcrição e adaptação: Letícia Barbosa


Padre Antônio Xavier


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo