Eis meu advogado, é o Senhor Deus

Pregacao do eugenio vertical

Eugênio Jorge – Foto Daniel Mafra/cancaonova.com

“Eis-me aqui, ó Deus, para fazer a Sua vontade.”

Só podemos proclamar isso se tivermos fé. Não fazemos ainda a vontade de Deus em tudo, mas, nem por isso, vamos baixar a cabeça e dar tudo como perdido; ao contrário, lutemos para cumprir os desígnios de Deus a nosso respeito.

O foco hoje é o Crucificado, Aquele que deu a vida por nós. Se outra coisa for nosso foco, e não Cristo, nós nos perderemos pelo caminho.

É preciso ajustar nosso foco à cruz. Esta não pertencia a Jesus, éramos nós quem a merecíamos, mas Ele, livremente, como um cordeiro que vai ao matadouro, deu Sua vida para nos resgatar.

Existe um Salmo maravilhoso na Bíblia que diz: “O Senhor é minha luz e salvação. A quem temerei?”. Penso que Jesus cantava isso na noite de Sua agonia. Esse Salmo também é para cantarmos quando estivermos sofrendo. Cante, encontre conforto na Palavra de Deus.

Descanse nessa realidade: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação, Ele é o protetor da minha vida. De quem terei medo? Quando meus inimigos me atacam, a quem temerei? Eu quero habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida.”

Espere no Senhor e seja forte. Coragem! Ele venceu o mundo e nós o venceremos também. Sempre há esperança no meio de nós.

Toda a criação estava destinada a um fim infeliz, mas o Pai de toda misericórdia, olhando para nós, enviou-nos Seu Filho como ponte para deitar-se no abismo, a fim de que nós pudéssemos passar por cima d’Ele para voltarmos ao Pai. O que estava desligado foi ligado novamente por Jesus, Ele é a ponte pela qual devemos passar para chegarmos ao coração de Deus.

Para os que creem, as chagas de Jesus são portas escancaradas para chegarmos ao coração do Senhor. Quanta gente busca em jesus alívio para seus fardos, para seu coração angustiado! Quantos buscam o alívio em Cristo, o próprio Deus. “De tal modo Deus amou o mundo que enviou o Seu Filho único para que todo que n’Ele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Gênesis, capítulo 22, narra o pedido que Deus faz a Abraão, para que este dê seu único filho em sacrifício. Abraão não perguntou por que nem para que; Deus pediu, ele simplesmente obedeceu. Ao chegar ao local, o Senhor interveio e não foi preciso oferecer Isaac em sacrifício.

Seja qual for a sua situação, Deus proverá! Confie e espere no Senhor. Nosso Deus se chama Amor, este é o Seu nome. Abraão tinha um filho único, a quem tanto amava. Assim também era com Deus, Jesus era o Filho que o Pai tanto amava.

Peregrinos participam da Semana Santa na Canção Nova - Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Peregrinos participam da Semana Santa na Canção Nova – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Abraão simplesmente dizia: “Eis-me aqui para fazer a tua vontade, Senhor”. Coragem, tenha fé! Perceba que Isaac subiu o monte com o feixe de lenha nas costas. Quando ele e seu pai chegaram ao lugar indicado pelo Senhor, Abraão se preparou para imolar o filho, pois Deus o havia pedido, mas o anjo interveio e não permitiu o sacrifício.

Vocês conhecem essa história, Jesus também carregou o feixe de lenha sobre Seus ombros. Quando Ele chegou ao monte, o altar estava montado, e o altar de Jesus era a própria cruz. E o que Deus não permitiu a Isaac, Ele o permitiu a Seu próprio Filho para nos salvar.

Estávamos perdidos, condenados à perdição eterna, porém Deus não permitiu que ficássemos assim. Jesus “matou” a própria morte. O inimigo foi vencido na cruz. Por isso a chaga de Jesus ficará aberta até que o último de nós entre por ela.

Jesus é mais que um simples advogado, Ele é o redentor. O advogado defende, Ele é a prova que nos inocenta.

Antes o diabo nos acusava daquilo que Ele mesmo nos instigava a fazer e não havia ninguém que nos justificasse. O Senhor, então, enviou-nos Seu Filho. Quando o diabo nos acusa diante de Deus, Jesus se apresenta diante do Pai e nos redime, Ele já pagou o nosso resgate. Cristo afirma: “Para trás, satanás, porque o preço de cada um já foi pago na cruz”.

Em que devemos ter nossos olhos fixos? No Pai. Não pertencemos a mais ninguém, senão a Ele. Não há máquina que calcule o valor que o Senhor pagou por nós.

Os pés e as mãos de Jesus foram aprisionados na cruz para que as nossas mãos ficassem livres para fazermos o bem e caminharmos depressa em favor dos irmãos, fazendo-lhes também o bem, anunciando-lhes o Evangelho, estendendo as mãos para aqueles que estão caídos no caminho. Podemos afirmar: “Eu sou livre, porque o Senhor me tornou livre”. Nós nascemos para voar, não podemos ficar no chão.

E como você pode voar se não tem forças, se ainda não sabe? Vá para a Igreja, adore, confesse, reze com a Palavra, busque a Eucaristia. Assim, suas asas serão revigoradas e você poderá voar novamente.

Ninguém mais precisa matar o cordeiro nem dar seus filhos em sacrifício, porque Jesus, o Cordeiro de Deus, é o sacrifício supremo suficiente para salvar a todos nós.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair 

Adquira esta pregação pelo telefone: (12) 3186 – 2600

contribuicaocn


Eugênio Jorge


Músico e pregador da Missão Mensagem Brasil

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo