O nosso olhar deve estar fitado no Céu

Padre Serginho Farias

Padre Sérgio Farias | Foto: Arquivo CN/cancaonova.com

Desde o ano de 2014, tenho participado deste Acampamento ‘Quem como Deus?’, e, durante esse tempo, cada um teve a sua particularidade, a sua importância, e Deus agiu conforme a Sua importância e seu momento. Confesso, porém, que, neste ano, há uma espiritualidade diferente.

Para vivermos toda essa realidade, que para nós pode ainda ser um mistério e uma surpresa, é necessário compreendermos o que o Livro da Sabedoria, na Primeira Leitura, está nos dizendo hoje. O testemunho da cidade de Filêmon, na Segunda Leitura, e as palavras do próprio Jesus no Evangelho, norteiam a Igreja no dia de hoje.

O Senhor, no Livro da Sabedoria, inspirado pelo Espírito Santo, fala-nos que tudo, neste mundo, é passageiro, tudo nesta Terra se acabará. Para compreendermos tudo isso, é necessário, pela fé, entendermos que o nosso olhar deve estar fitado no Céu, porque é lá que alcançaremos, na glória de Deus, a incorruptibilidade do nosso corpo, da nossa vida e do nosso sentido de viver.

É necessário se esvaziar

Neste mundo, precisamos nos esvaziar para que o Céu seja uma realidade em nossa vida. Por isso, o Livro da Sabedoria se encaixa com o próprio testemunho do apóstolo São Paulo.

Quando vemos a sabedoria inserida no coração de São Paulo, compreendemos que, para Deus nos encher de Sua vontade a ponto de renunciarmos a nós mesmos, faz-se necessário termos o olhar voltado para o Céu, faz-se necessário deixarmos de olhar simplesmente para as coisas desta vida, compreendendo que somos apenas peregrinos e que a meta é o paraíso de Jesus.

A renúncia de São Paulo

O Senhor nos pede a renúncia que São Paulo testemunhou na Segunda Leitura. São Paulo já não reclamava mais da sua situação de penúria, por ser um prisioneiro, porque a sua alma estava se esvaziando de sua própria vontade, para que, apegando-se em Jesus, pudesse adquirir a liberdade para o Céu.

Essas palavras também foram ditas, um dia, por São Francisco de Assis, porque ele soube viver esse esvaziamento, ele não só viveu a verdade, como também deu testemunho dela.

Leia mais:

A liberdade de Jesus

Jesus nos ensina, em seus testemunhos, que só podemos ser verdadeiramente livres quando estivermos presos em Jesus. É uma liberdade que nos prende, mas nem o demônio consegue destruir a liberdade que o Evangelho nos dá.

Viemos a esse Acampamento para colocar Deus como o centro da nossa vida. Você que é devoto de São Miguel Arcanjo, é chamado para fazer a diferença. A liberdade de São Miguel se deu a partir do momento que ele declarou Jesus como o centro da sua vida.

A partir do momento em que dissermos: “Quem como Deus? Ninguém como Deus”, estaremos declarando Jesus como o centro da nossa vida.

Banner do canal PlayCancaonova no Youtube

Transcrição e adaptação: Karina Silva

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo