2º dia: CNBB comemora 50 anos da Cáritas Brasileira

Dom Demétrio Valentini, bispo de Jales/SP, presidiu a Celebração Eucarística, no dia de hoje, na 44ª Assembléia Geral da CNBB, em Itaici.

Em vários momentos da celebração, reportou-se para a comemoração dos 50 anos da Cáritas no Brasil. [leia ou ouça homilia de Dom Demétrio, na íntegra]

function open_gl(param){window.open(\’http://200.168.231.201/portal/canais/galerias/index.php?id=\’+param,\’\’,\’width=537, height=478, toolbar=no, status=no, menubar=no, scrollbars=no, resizable=no\’);}
[+ fotos da celebração da Santa Missa ]

\”Neste ano, a Cáritas Brasileira celebra o jubileu de ouro de atuação no Brasil. São 50 anos a serviço da ação social da Igreja. Dada a importância deste organismo para a própria história da CNBB, o jubileu da Cáritas recebeu destaque especial na assembléia, que está se realizando nestes dias em Itaici.

O segundo dia da Assembléia foi dedicado à Cáritas, começando de manhã com a missa comemorativa do seu jubileu. Ao longo do dia, houve uma exposição mostrando suas diversas frentes de trabalho. E, à noite, uma sessão cultural, com a homenagem aos bispos, que presidiram a Cáritas, ao longo desses 50 anos.

No entanto, uma pergunta surge com freqüência: o que é \’Cáritas\’? E, talvez, pela feição plural da palavra, alguns logo ampliam a questão, querendo saber o que fazem \’as Cáritas\’?

A insistência da pergunta denota a difusão de um nome, que embora sinalize uma presença marcante, sua atuação todavia não se traduz de forma unívoca. O nome, na verdade, é singular, mas têm razão os que pensam em algo plural. Pois, brincando um pouco com as palavras, a natureza singular da Cáritas é ter uma atuação plural, seja no contexto da Igreja, seja no da sociedade.

O nome da Cáritas é simbólico. Inclusive, é o nome que melhor define a natureza de Deus, como lembrou Bento XVI em sua primeira encíclica, lembrando que Deus é \’Cáritas\’, Deus é \’Amor\’. Por isso, é compreensível que caibam mais perguntas a respeito da natureza e da finalidade da Cáritas.

Por sua maneira de agir, a Cáritas nos mostra suas feições. Ela sempre se sentiu entrosada com a ação das Pastorais Sociais. Mas ela não se limita a uma ação específica, embora possa apoiar qualquer uma delas. Daí, começa a aparecer o que é realmente a Cáritas. Ela é um organismo de apoio à ação social da Igreja, que encontra nas diversas \’pastorais sociais\’ campos específicos de ação continuada.

Mas as \’pastorais sociais\’, como ações concretas que contam com coordenações específicas, em vista da finalidade de cada uma delas, não esgotam a ação da Igreja na sociedade. Também porque esta ação precisa contemplar o conjunto da sociedade, e incidir sobre os processos sociais. Por isto se fazem necessárias iniciativas conjunturais, que contemplem a sociedade como um todo.

As \’semanas sociais brasileiras\’ são um exemplo típico destas iniciativas. Como diversas outras: o \’Mutirão para a superação da miséria e da fome\’, o \’Grito dos Excluídos\’, as \’Campanhas da Fraternidade\’, e outras.

Pois bem, estas iniciativas costumam contar com a presença da Cáritas. Nelas, inclusive, a Cáritas encontra uma de suas características marcantes: colaborar na articulação, em vista da ação conjunta, para a inserção no processo social.

Poderíamos completar esta caracterização típica da Cáritas, dizendo que não só ela pode apoiar as mais diversas ações sociais empreendidas pela Igreja, mas nelas a Cáritas procura colaborar com uma metodologia participativa. Este é um desfio permanente para a ação \’caritativa\’ da Igreja: superar a tendência da ação meramente assistencial, para levar a todo os assistidos a se tornarem sujeitos de sua própria promoção. Por isso, a Cáritas procura imprimir nos projetos que apóia esta dinâmica participativa.

Por sua ação na sociedade, a Cáritas se torna parceira também dos diversos movimentos sociais, cujos objetivos se aproximam das pastorais sociais. Então, novamente a Cáritas revela seu carisma de articulação, colaborando para que a ação da Igreja se some a causas comuns, fortalecendo a inserção da Igreja na sociedade.

Nisso tudo, a Cáritas se identifica com a recomendação mais insistente de Cristo aos seus discípulos: o que justifica a vida é o serviço, feito com amor e discernimento. É o que justifica também este organismo da Igreja, chamado \’Cáritas\’.

E se alguém ainda perguntar \’o que é Cáritas?\’ Dará para explicar tudo de novo!\”

Dom Demétrio Valentini
Bispo de Jales/SP
Presidente da Cáritas Brasileira

Veja também:
Encíclica \”Deus é amor\”, de Bento XVI

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo