Aprendamos a nos livrar das armadilhas do mal

 

Roberto Tannus, pregador da RCC
Foto: Arquivo/Cancaonova.com

Precisamos ser fortes diante das tribulações e das armadilhas do maligno; e para as vencermos necessitamos dos sacramentos e nos mantermos vigilantes e em oração. Com o tema "Não te deixes vencer pelo mal", o Acampamento "Livrai-nos do Mal" propõe aos peregrinos que façam a experiência de se entregarem e confiarem plenamente na ação e no poder de Deus.

A equipe do cancaonova.com entrevistou Roberto Tannus, um dos pregadores do evento, sobre os caminhos e as atitudes que precisamos tomar para nos libertarmos das forças do mal.

cancaonova.com: Como podemos vencer as armadilhas do mal na nossa vida?

Roberto Tannus: Por que alguém cai em uma armadilha? Porque foi atraído por uma isca, foi pego desprevenido e, incautamente, se deixou prender.

 

As duas principais armas para vencermos as armadilhas do inimigo de Deus são: vigiar constantemente e jamais relaxar na vida de oração, como assim recomendou Jesus no Getsemani: “Vigiai e orai, para não cairdes em tentação, pois o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26,41).

O primeiro passo é VIGIAR, que significa ficar com os olhos abertos, isto é, manter-se atento ao que se passa à nossa volta, para enxergar a ação do inimigo. Vigiar significa, muitas vezes, fugir das ocasiões próximas [de pecado e perigo]. Vou dar um exemplo disso: Imagine um homem casado que trabalha num escritório e começa a notar que uma funcionária está dando dicas e lhe fazendo insinuações provocantes. Se esse homem for vigilante ele cortará o relacionamento pela raiz, para não acontecer um pecado grave. Vigiar é antecipar-se ao mal. É agir com a inteligência iluminada pelo Espírito Santo, para não se deixar levar pelas paixões pecaminosas.

O segundo passo é ORAR. Todas as vezes que relaxamos com a oração pessoal, com o jejum, com a frequência à Eucaristia e à oração do rosário, ficamos fracos. São Pedro, que um dia foi frágil diante das armadilhas de satanás, ao negar Jesus Cristo por três vezes, nos deu uma receita muito boa para vencermos o maligno: “Sede sóbrios e vigilantes. O vosso adversário, o diabo, anda em derredor como um leão que ruge, procurando a quem devorar. Resisti-lhe firmes na fé, certos de que iguais sofrimentos atingem também os vossos irmãos pelo mundo afora” (1Pd5,8-9). Somente conseguiremos resistir, sendo fortes contra os ataques do maligno, se orarmos. Segundo Santo Agostinho, “a oração é a fortaleza do homem e a fraqueza de Deus”. A oração nos faz fortes, nos faz resistir às tentações. Por outro lado, a oração é a “fraqueza” de Deus, isto é, por meio dela tomamos posse de todas as bênçãos de que precisamos. Temos um Deus de coração misericordioso e, por intermédio da oração, o coração de nosso Pai se enternece e se derrama de amor por nós.

cancaonova.com: Quais os caminhos para nos mantermos firmes e perseverantes diante das tribulações que enfrentamos diariamente?

Roberto Tannus: O “caminho” é a frequência aos sacramentos. Dentre eles destacamos dois: o sacramento da reconciliação e da Eucaristia.

 

O sacramento da reconciliação nos faz fortes para não cairmos no pecado. Todas as vezes que confessamos um pecado nos tornamos mais firmes para não voltarmos à vida velha. O pecado não confessado pode ser inclusive a sua de falta de prosperidade em muitas áreas da vida: “Quem acoberta seus crimes não prosperará. Quem os confessa e os deixa, esse alcança misericórdia” (Pv 28,13). A confissão desarma as armadilhas do inimigo e nos abre à misericórdia de Deus.

O sacramento da Eucaristia é o alimento que nos mantém em pé, como Santo Pio de Pietrelcina sempre rezava diante de Jesus Eucarístico: “Fica, Senhor, comigo, porque sou fraco e preciso da tua força para não cair”.

'O sacramento da Eucaristia é o alimento que nos mantém em pé', afirma Roberto
Foto: Arquivo/Cancaonova.com


cancaonova.com:
Podemos dizer que todos os dias enfrentamos uma batalha interior entre o bem e o mal?


Roberto Tannus:
São Paulo nos ensina que enfrentamos uma luta espiritual todos os dias: “Enfim, fortalecei-vos no Senhor, no poder de sua força; revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do diabo. Pois a nossa luta não é contra o sangue e a carne, mas contra os principados, as potestades, os dominadores deste mundo tenebroso, os espíritos malignos espalhados pelo espaço” (Ef 6,10-12).

Existe uma luta espiritual e ninguém pode ficar neutro nela. Ou ficamos com Deus ou ficamos com o diabo. Embora não a enxerguemos com os olhos humanos, podemos ver com os olhos da fé que estamos em uma batalha assustadora. Por um lado temos satanás, uma criatura maligna e asquerosa e, com ele, os anjos decaídos, os quais tentam nos privar da presença de Deus. Por outro lado temos Deus, o Criador de tudo, que nos deu Jesus, o Senhor, Aquele que venceu o diabo por Sua morte na cruz. Para isso mesmo Jesus, o Filho de Deus, veio ao mundo: para destruir as obras do diabo (cf. 1 João 3,15). Nesta batalha espiritual precisamos livremente aderir a Deus de todo o coração para, assim, ficarmos livres das setas inflamadas do maligno.

cancaonova.com: Com a ajuda da oração conseguimos vencer esta luta interior entre o homem novo e o homem velho?

Roberto Tannus:
Sim, a oração nos faz crescer espiritualmente e nos faz viver o homem novo. Jesus dedicava muito tempo para orar, pois isso fazia diferença para o Senhor, Ele era um Homem de oração. Ele rezava até de madrugada, acordando muito antes do amanhecer (cf. Mc 1,35). Todos os que buscam a Deus têm uma grande tentação, que é a de voltar ao homem velho e não fazer a vontade de Deus. Na Tentação do Getsêmani Jesus entrou em angústia. Como o Senhor venceu o inimigo de Deus? Como teve forças para enfrentar a cruz? Como conseguiu fazer a vontade do Pai, mesmo sabendo que teria de passar por sofrimentos terríveis? Por intermédio da oração. Vejamos: “Entrando em agonia, Jesus orava com mais insistência. Seu suor tornou-se como gotas de sangue que caiam no chão. Levantando-se da oração, Jesus foi para junto dos discípulos e encontrou-os dormindo, de tanta tristeza. E perguntou-lhes: ‘Por que estais dormindo? Levantai-vos e orai, para não cairdes em tentação'” (Lc 22,44-46).

Segundo Santa Faustina, no seu Diário (número 872), Jesus falou a ela que foi exatamente no momento de maior agonia que Ele rezou com mais insistência, com mais força. Foi com a ajuda da oração que Jesus venceu a luta interior e nos ensinou que é necessário nos levantarmos e orarmos para não cairmos em tentação. Portanto, quando estivermos mais agonizantes, com mais problemas e desesperados, é que deveremos orar com mais insistência. Muitas vezes, vejo pessoas que estão tristes e cheias de agonia. Tomam, muitas vezes, a decisão de sair desse estado: “Ah, vou pescar para sair da agonia e da tristeza!” Ou dizem ainda: “Ah, estou triste e com agonia, por isso vou às compras!”. Infelizmente, dessa forma, a agonia segue a pessoa, isso quando não retorna com mais intensidade ainda. A oração nos faz vencer a luta interior, nos dando paz e serenidade.


cancaonova.com
: Qual a reflexão que podemos fazer de Romanos 12, 21: 'Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem'?

Roberto Tannus: A força do bem é muito maior que a do mal. Quando agimos com as forças da Luz as trevas não suportam. São Paulo nos ensina, um pouco mais adiante, neste trecho: “Pelo contrário, se teu inimigo estiver com fome, dá-lhe de comer; se estiver com sede, dá-lhe de beber. Agindo assim amontoarás carvões em brasa sobre sua cabeça. Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal pelo bem” (Rm 12,20-21). Agir pagando o mal com o bem desarma todo tipo de malignidade. Vejamos um exemplo que vem do nosso trânsito, muitas vezes, caótico… Você está dirigindo, distraído, e de repente, dá uma fechada em outro carro, e o motorista, descontrolado, começa a xingá-lo. Então você para o carro e lhe pede desculpas… A discussão acaba na hora! Quantas mortes no trânsito já aconteceram porque alguém não cedeu, não reconheceu o erro! O mal poderia ter sido evitado com um simples pedido de desculpas. Mas, infelizmente, a humildade nessa hora desaparece, o homem velho vem à tona e nossa vontade é dizer palavrões para não ficarmos por baixo. Ao passo que, quando agimos com humildade, o mal sempre perde!


Veja mais:

.: Luta contra o mal exige paciência e resistência, afirma Papa

.: Por que o mal existe?

.: O amor é maior que o mal

.: Se existe o mal, Deus existe?

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo