Cura d'Ars, um novo olhar de esperança sobre cada padre

"O padre não é padre por ele mesmo, mas por vocês" (São João Maria Vianney)



Por ocasião do ano jubilar dos 150 anos após a morte de São João Maria Vianney, o Papa Bento XVI institui a partir desta sexta-feira, 19, o 'Ano Sacerdotal'. Um tempo especial de reflexão, revisão, valorização da vocação sacerdotal e oração pelos padres, que coloca em evidência a figura do Cura d’Ars proclamado padroeiro dos padres.

O testemunho do santo "verdadeiro exemplo de pastor a serviço do rebanho de Cristo", como declarou Bento XVI, nos ajudará a levar a cada padre um olhar positivo e cheio de esperança.

João Maria Vianney chegou, em 1818 à paróquia de Ars, sentindo-se pequeno e pobre diante da missão confiada, mas por seu desejo de evangelizar, tornou-se intercessor de seus paroquianos e confessor sempre disponível aos penitentes. Estes tiveram a fé despertada por sua pregação, mas acima de tudo por sua maneira de viver, sua oração e penitências.

"E quem, mais que o pároco, conhece melhor os homens de hoje? (…) E os homens vão com frequência ter com o pároco, normalmente sem máscara, não com outros pretextos, mas na sua situação do sofrimento, da doença, da morte, das questões de família. Vão ao confessionário sem máscara, com o seu próprio ser. Nenhuma outra profissão, parece-me, dá esta possibilidade de conhecer o homem como ele é na sua humanidade e não no seu papel que desempenha na sociedade. Neste sentido, podemos estudar realmente o homem como ele é na sua profundidade, fora dos seus papéis, e aprender também nós o ser humano, o ser homem sempre na escola de Cristo", afirmou o Santo Padre, dirigindo-se ao clero de Roma, no início da quaresma de 2009.

Jubileu em Ars

Ars, no norte da França, onde viveu São João Maria Vianney se torna o grande centro de peregrinação e de oração pelas vocações. A pequena cidade normalmente já recebe um grande número de peregrinos – em torno de 400 mil – e se movimenta para promover ainda mais durante este tempo de jubileu um caminho de conversão, através dos sacramentos da Eucaristia e confissão.

Na entrada da cidade, um monumento faz memória de sua chegada em 1818, e seu encontro com o pequeno pastor. O presbitério, situado em pleno coração do santuário, conserva em bom estado a maioria dos objetos que lhe pertenciam. O museu de cera, retrata momentos fortes da vida do santo em 17 quadros, colocando em cena 35 personagens criados nos ateliers do museu Grévin.

Os peregrinos são convidados a rezar diante do corpo do santo que é conservado dentro da basílica, visitar a casa onde ele viveu 41 anos. O santuário continua a preservar, a enriquecer e a apresentar o rico patrimônio deixado por São João Maria Vianney .

Em meio à crise vocacional vivida especialmente na Europa, o seminário de Ars forma hoje cerca de 50 jovens com faixa etária media de 25 anos.

Veja também:

:: Carta do Papa Bento XVI para o Ano Sacerdotal
:: Entrevista: 19 de junho: início do Ano Sacerdotal
:: Santuário de Aparecida celebra Abertura do Ano Sacerdotal

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo