Futuros diáconos para a Igreja

Seminaristas da Comunidade Canção Nova recebem o ministério diaconal pelas mãos de Dom Alberto Taveira Correia, arcebispo de Palmas (TO), na sede da comunidade em Cachoeira Paulista (SP), no dia 13 de janeiro, durante o Acampamento de Oração para Famílias.

Confira depoimento dos dois futuros diáconos:

Seminarista Fabrício Leitão

“Minha vocação é fruto de uma família normal com pai, mãe e irmãos, que lutam, que brigam e se reconciliam. Foi nesse cenário que nasceu minha vocação. As primeiras pessoas a me evangelizar foram os meus pais. Eles não são catequistas nem pessoas que conhecem a fundo a Igreja, mas me evangelizaram sendo pai, sendo mãe, ou melhor, o fizeram aprendendo a ser pai e a ser mãe. Eu não tenho como falar da minha vocação sem reconhecer que a primeira comunidade formadora foi minha família.

Minha família caminha em busca da restauração, meus pais caminham em um processo de conversão e vejo que partilhar encoraja as famílias a esta busca pela santidade.

A vocação é pessoal, é particular e fui lendo na minha história os sinais de Deus. Por isso, convido-o a também averiguar os sinais de Deus em sua vida. Caso você sinta medo, é um bom sinal de que você é chamado, pois este medo é próprio de quem tem consciência de que está recebendo mais do que merece. Esse medo acontece, mas a alegria que brota à medida que damos o passo é inexplicável. É só a experimentando para saber. Então, eu convido você, que traz o desejo de ser sacerdote no coração, a dar o seu primeiro passo, e no caminho, Deus vai confirmá-lo.

As pessoas me falavam esses dias: 'Você está na contagem regressiva', e eu lhes dizia que não, que estava na contagem progressiva, pois está se aproximando a concretização dos sonhos de Deus em minha vida. Costumo comparar isso a uma formatura, mas é algo bem maior, pois, ao nos formarmos ganhamos um diploma e na ordenação ganhamos um sacramento. Na formatura ganhamos uma profissão e na ordenação uma missão”.

Seminarista Sóstenes  Viera

“Descobri minha vocação primeira sendo cristão, um bom cristão, e à medida que fui servindo a Deus ia sentindo necessidade de me doar cada vez mais. Eu ajudava um abrigo de idosos, mas Deus me convocava a me doar mais. Não vejo a hora que chegue o dia: nesta virada do ano, quando comecei a ouvir os fogos, o meu coração vibrou porque pensei: 'É este ano!'. São seis anos na Comunidade Canção Nova preparando-me para este ano. Há muito tempo fazia as contas. Eu agradeço a Deus por este grande ano na minha vida.

A família é a base de tudo, mas hoje ela é muito sofrida, e a minha ordenação diaconal acontecerá em um Acampamento para as Famílias, vejo que isso é iniciativa de Deus, e convido você a participar deste grande momento em minha vida."


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo