O homem integral: corpo, mente e espírito

Martha Giuliano de Iglesia
Foto: Wesley Almeida
O segundo dia do Simpósio Interdisciplinar teve início com a apresentação do grupo de dança Companhia das Artes CN, projeto integrante da Rede de Desenvolvimento Social, que atende 180 crianças e adolescentes fazendo uso de uma metodologia de ensino baseada na escola profissional de balé Royal.

Em seguida, a psicóloga educacional Martha Giuliano de Iglesia, professora da Pontificia Universidad Catolica Argentina, subiu ao palco para dar início às palestras do segundo dia do simpósio.

O homem integral: corpo, mente e espírito

Vivemos em uma sociedade na qual as vocações, as coisas que realmente nos trazem felicidade, ficaram em segundo plano. A sociedade hoje se prende aos números, ao lucro, ao crescimento desmedido.

Por algumas vezes, durante nossa vida, nos vemos diante de determinadas situações nas quais precisamos tomar decisões fundamentais para nosso futuro. E muitas pessoas, somente nesses momentos, se lembram da existência de Deus.

Mas o Senhor não nos vira as costas e está sempre pronto para mostrar o caminho. Só precisamos estar atentos para entender os sinais e as mensagens que Ele nos dá.

Independentemente da nossa crença é impossível vivermos sem acreditar em alguém que nos guie e faz coisas conhecidas, tidas como impossíveis, acontecer. É isso que nos separa e faz a diferença entre Criador e criatura.

O ser humano precisa ser redescoberto como ser integrado, pois seu corpo, seus vínculos e seu espírito precisam agir como um só, ser uno, porque só assim conseguiremos conhecer nosso papel dentro da sociedade.

"A sociedade se prende aos números e o crescimento desmedido", afirma Martha Iglesia
Foto: Wesley Almeida

Ao contrário das outras criaturas, o ser humano pode desenvolver uma atitude, um ato responsável de questionamento para responder às suas dúvidas que, muitas vezes, abalam sua estrutura e testam sua fé.

Com o passar do tempo, o ser humano integrou, como parte da sua existência, a essência religiosa. E ao contrário das demais criaturas, ele sofre influência direta dessa presença espiritual em sua vida.

Temos uma necessidade urgente de capacitar pessoas, e não mais apenas adultas, mas também os jovens e as crianças que começam a ser geradores de opinião, influenciadores diretos das tendências que surgem todos os dias.

As mais diversas áreas são inspiradas e dirigidas para um ser humano fragmentado, trabalhando apenas seu lado sociocultural, deixando toda a dimensão espiritual em segundo plano.

Hoje, mais do que responsável por si mesmo, o ser humano é responsável por todos à sua volta. E essa responsabilidade recai sobre seu discernimento. E a sabedoria e o conhecimento dele precisam vir de Deus.

Somos capazes de criar profissionais para trabalhar, corretamente, com a interdisciplinaridade. Mas, para isso, é preciso estarmos conectados em todos os aspectos, não só socialmente, mas, principalmente, em corpo, mente e espírito.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo