Partilha e testemunho marcam a manhã do Doe de Coração

“Quando não partilhamos as nossas riquezas e nossos dons eles apodrecem”. Estas foram palavras de padre Joãozinho (SCJ) na manhã deste sábado (08), durante o Doe de Coração, que acontece dos dias 07 a 09 de março, na Canção Nova em Cachoeira Paulista (SP).

O evento, que inaugura o Instituto da Juventude e visa quitar os últimos investimentos da Jornada Mundial da Juventude, reuniu diversos nomes católicos como padre Reginaldo Manzotti, padre Eduardo Dougherty, Ziza Fernandes, Adriana Arydes, Diego Fernandes.

Faça aqui a sua doação

A manhã do Doe de Coração teve início com orações de Salette Ferreira, logo após o presidente da Associação do Senhor Jesus e TV Século 21, padre Eduardo Dougherty, fez a sua pregação e lembrou que o futuro da juventude cristã depende de nossos esforços na formação dos mesmos. “ Como é belo ver os jovens se consagrando a Deus, jovens adoradores, livres, alegres e fortes, com uma vida espiritual ativa. Isto é possível! Por isso a JMJ não deve ficar em nossa imagem apenas como um evento do passado, mas como um caminho certo para o jovem encontrar a sua vocação”, disse padre Eduardo.

Padre Joãozinho prega no Doe de Coração
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Logo após, padre Joãozinho fez a sua reflexão sobre a partilha e a multiplicação com o tema “Quem partilha enriquece”.

“No Antigo Testamento, o povo recebia todos os dias o Maná dado por Deus, mas acontecia que quem tentava guardar de um dia para o outro o Maná apodrecia. Como eu queria que o dinheiro acomulado inultilmente pelos ricos apodrecesse. Tem gente que guarda um milhão sem nenhuma necessidade, gerando injustiça e miséria no mundo. Mas isso pode acontecer conosco também, quando não partilhamos as nossas riquezas e nossos dons, eles apodrecem”, disse padre Joãozinho.

Falando sobre a campanha de arrecadação, padre Joãozinho lembrou que a JMJ não foi um evento de exclusividade da arquidiocese do Rio de Janeiro. “A Jornada foi um evento mundial e de responsabilidade da Igreja do Brasil, por isso todos nós devemos ajudar para que este legado da JMJ continue gerando frutos para toda a nossa juventude. O Papa Francisco enviou-nos a sua doação, nós devemos também fazer a nossa”, concluiu o sacerdote.

Padre Eduardo prega no Doe de Coração
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

 :: Veja + fotos também no Facebook


Papo jovem

São inúmeros os testemunhos que os jovens do Brasil e do mundo guardam da JMJ Rio 2013. Representando estes jovens, Adriano Gonçalves e Magda Ishikawa, comandaram um bate papo jovem colhendo testemunhos de quem participou bem de perto da JMJ. Um dos convidados do bate papo foi Dom Paulo Cesar Costa, bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio, disse dos frutos deste grande evento. “Desde a passagem da cruz peregrina por todo o Brasil até a visita do Papa Francisco, nós percebemos que está nascendo muitas iniciativas nas paróquias, muitas vocação estão surgindo como fruto desta Jornada”.

Adriano Gonçalves comando o papo jovem sobre a JMJ
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Falando sobre os desafios da JMJ, Dom Paulo explicou sobre os gastos dívidas deste mega evento. “O jovem brasileiro não tem muito a cultura de inscrever-se para eventos, somado a isto teve a crise que atingiu a Europa e países da América Latina e as mudanças de Guaratiba para Copacabana no encerramento da Jornada; então todos estes fatores deixaram dívidas para a organização”, disse dom Paulo.

“A JMJ não recebeu dinheiro público direto na sua organização. O investimento dos governos foi feito em questões que eram de suas competências, como transporte, segurança, infraestutura, etc, mas diretamente a Jornada não recebeu dinheiro público”, afirmou dom Paulo.

Dom Eduardo Pinheiro, bispo responsável pelo setor juventude da CNBB, também participou do bate papo e disse que a partir da Jornada todas as pastorais jovens do Brasil estão sendo reformuladas, sendo este um dos frutos da JMJ.

Testemunhos

Os voluntários estavam por todas as partes da cidade maravilhosa durante a JMJ. Fabiola Gulard e Gustavo Huguenin (criador da logo JMJ Rio 2014), foram voluntários no evento e começaram a namorar a partir deste trabalho de serviço. Segundo o casal, a comunhão com voluntários de outros países e as palavras do Papa Francisco foram transformadoras. “ Foi bonito ver pessoas que sairam de seus países, colocaram-se a serviço para que outros tivesse esta experiência”, disse Gustavo. “As palavras do Papa nos convocando para 'irmos contra a correnteza' e de 'lutar contra a cultura do provisório' foi muito impactante para nós, estas palavras mudaram a minha visão de ser Igreja'”, disse Fabiola.

Fabiola e Gustavo testemunham os frutos da Jornada Rio 2013
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Valmir Júnior, que emocionou o Papa Francisco com seu discurso no encontro com as autoridades civis durante a JMJ, testemunhou deste inesquecível encontro e do legado social da JMJ. “O jovem revolucionario é aquele que exerce o seu protagonismo na sociedade. O grande legado da JMJ é fazer com que estes jovens sejam protagosnistas nos lugares onde eles estão, que façam a diferença”, disse Valmir.

Ainda na parte da manhã, um momento mariano com a imagem peregrina da virgem de Fátima levou os peregrinos a um momento de oração e consagração a Nossa Senhora. O evento Doe de Coração continuará na parte da tarde com pregações do fundador da Comunidade Shalom, Moisés Azevedo, e Santa Missa presidida por padre Roger Luis da Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo