Autoridade espiritual

Padre Anderson

Padre Anderson Gomes. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

O que é ser uma pessoa de autoridade e o que é ter autoridade?

As pessoas ficavam admiradas diante da autoridade de Jesus. E como é que nós podemos ter autoridade? Muitas mães, pais e instituições estão perdendo a autoridade diante das pessoas. Quando uma sociedade, uma família e uma pessoa perdem a autoridade é o início do fim.

O que temos visto é uma crise generalizada de falta de autoridade. Muitos que a possuem não sabem exercê-la ou a exercem de forma autoritária. Muitas vezes, podemos perder o senso e o limite de autoridade, exercida em Deus, e cairmos num autoritarismo. Existe diferença entre autoridade humana e autoridade espiritual, exercida em Deus, porque o próprio Cristo no-la concede. Em Jesus Cristo essa autoridade é elevada a uma autoridade superior. Ao enviar os apóstolos o Senhor impõe as mãos sobre eles e lhes diz: “ide aonde eu não posso ir”, Jesus reveste os apóstolos dessa autoridade e a Igreja procura exercê-la [essa autoridade].

Quantas pessoas se afastaram de suas comunidades por questões envolvendo a falta de autoridade ou o autoritarismo. Jesus Cristo nos ensina que o maior no Reino dos Céus não é aquele que manda, mas sim aquele que serve. A autoridade está vinculada, muitas vezes, ao poder. A autoridade que Deus nos deu não é uma autoridade de mando e de poder. Para chegar à autoridade espiritual é preciso aprender a exercer a autoridade humana.

A família, que também é uma sociedade, não será bem constituída nem fecunda a não ser que ela seja presidida por uma autoridade legítima. É preciso aprender a usar essa autoridade. Toda comunidade humana tem necessidade de uma autoridade que a dirija bem.

Há hoje a ausência de autoridade nas famílias, de alguém que ensine aos membros delas o que deve ser ensinado, mas não de forma autoritária. Em Romanos 13, 1-2 lemos: “Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação”.

Não podemos, como cristãos, nos rebelar não querendo uma autoridade, pois ela é necessária. Aquele que não se submete a uma autoridade atrairá sobre si a sua condenação. Muitos filhos estão crescendo sem um referencial de autoridade.

No entanto, autoridade, na sociedade, é sinônimo de domínio. No campo religioso isso se inverte, quem está acima deve se colocar como quem está embaixo para servir o outro. O que fez Jesus ser grande e ter autoridade, inclusive sobre os espíritos, foi se submeter à vontade do Pai e servir.

Se você quer ter autoridade humana e espiritual com seus filhos aprenda a se colocar à disposição deles. Muitos pais perderam a autoridade em casa porque não fazem aquilo que falam. Testemunho é viver e não simplesmente falar.

Peregrinos

Peregrinos acompanham a pregação no Encontro de Oração. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Você é aquilo que sabe? Sabemos tantas coisas, mas não fazemos tudo o que sabemos. Sabemos do nosso comportamento e, muitas vezes, não cumprimos o que falamos. Da mesma forma, conhecemos a Lei de Deus e a oração e não as praticamos como deveríamos. O que torna eficaz a intervenção da autoridade é o testemunho.

Santa Teresa d’Ávila afirma que não existe autoridade se não houver obediência e que esta só não basta, pois o que confere uma boa autoridade divina é a obediência em comunidade. Toda família necessita de alguém que a presida e não de alguém que mande nela. Confunde-se muito a autoridade com o ato de mandar.

Segundo Santa Teresa d’Ávila, a primeira função da autoridade é se fazer mãe. Autoritarismo não traz amor, não traz autoridade; ao passo que, se procurarmos amar e ser amados isso trará autoridade. Aprender a ser amado é aprender que você não tem posse do outro, pois confundimos amor com posse. Essa santa também ensina que a autoridade de uma mãe tem raiz no amor que ela oferece. A segunda função da autoridade, segundo a mesma santa, é ser animadora. Mãe, sua função é ser animadora. Para ter autoridade você deve animar sua família. E que a terceira função para haver a autoridade é manter a unidade. Por isso as mães e as pessoas que são autoridade na vida de alguém devem manter a unidade. O quarto ponto da autoridade, indicado por ela, é promover o projeto de vida. Qual seu projeto de vida? Se não tenho um projeto vou construir coisas erradas e em vão. Para ser autoridade é preciso ter um projeto de vida.

Aqui está o segredo para vivermos a autoridade humana. A autoridade espiritual está ligada à autoridade humana e quando aprendemos a exercê-la o inferno se abala. Creiamos no poder de Deus! Ele nos deu autoridade para abrirmos o céu, mas para isso precisamos ser obedientes a Ele.

Mães que perderam seus filhos, apesar de ser algo difícil de superar, nunca deixam de ser mães. Rezem por eles! Da mesma forma, as mães que são estéreis, em momento algum deixam de ser mães. Se você não pode ser mãe biológica, nem pai biológico, em momento algum diminua sua autoridade. Desperte sua vida para o louvor!

Transcrição e adaptação: Míriam Santos Bernardes

contribuicaocn

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo