A família é o núcleo da sociedade - Parte 2

Cristo tem de estar no centro do seu casamento. A primeira parte da encíclica do Papa Bento XVI fala dos três graus de amor: eros, filia e ágape. O ágape fala do amor total, colocando Cristo como centro do seu matrimônio. A partir do momento que você e seu marido recebem o sacramento do matrimônio, tornam-se uma só pessoa.

Que coisa maravilhosa! Um levará o outro para o Céu.

Agradeço a Deus por ter tido a minha noiva que me disse uma vez: \”Se eu me casar com você o meu objetivo será levá-lo para o Céu para que você tenha a vida eterna\”. Pense em como você fará isso com o seu esposo(a). Peça que Deus lhe ajude a fazer isso. Muitos jovens estão se conscientizando disso, mas precisam de apoio. O mal entendido começa na falta de diálogo e de carinho.

Nossa Senhora está suplicando para que se formem famílias santas. Quem ama o seu cônjuge, ama a si mesmo. Quando os incômodos acontecem, podem surgir os probleminhas, e se você não cuidar, pode virar uma grande bomba. Vira chiclete, porque quanto mais você mastiga, mas perde o gosto.

Pensem em como fazer o seu amor mais delicado no matrimônio. Vale a pena pensar nisso.

Como buscar a delicadeza no amor matrimonial?

Mantendo sempre esse amor vivo. Primeiro conselho: cuidar dos pequenos problemas, porque os grandes se resolverão por si só. Vocês têm mania de dizer que é uma \”coisinha de nada\”, mas pode ser uma gota d’água, porque o matrimônio é a união de duas pessoas muito diferentes. É comum encontrarmos casais em que o esposo é super ativo e a esposa a dez por hora, ou vice-versa.

Lembre-se sempre de que não é a montanha que cansa, mas a pedrinha no sapato. Pense que pedrinhas no sapato podem acabar com o namoro, com o casamento, pois tudo no namoro pode ser escondido, e a falta de castidade prejudica ainda mais.

O segredo de um bom matrimônio é saber resolver rapidamente os pequenos problemas. O amor é necessário conquistar a todo o momento, porque vai muito além de um sentimento.

Sempre que você chegar em casa, esteja atento ao que o cônjuge leva ao seu interior. Você tem que cuidar de cada detalhe do seu esposo, saber o que ele pensa e o que leva dentro do seu coração. Às vezes você deixa de corrigir o seu cônjuge por meses porque ele não está preparado para receber uma correção.

Eu considero que uma pessoa que sabe dialogar é madura. O primeiro passo é falar constantemente: eu te amo. Tratar com carinho, manifestar o seu amor, colocar para fora o que você leva no coração.

Mas de que assunto falar no casamento? Converse sobre as coisas comuns da sua vida, conte as novidades, revele seus pensamentos e emoções mais profundas. Se você está tendo problema e sentindo-se só, conte para o seu marido, tenha-o como um amigo.

Dialogar sobre a educação dos filhos é muito importante, porque esse assunto pode gerar muitos problemas na vida do casal diariamente.

Jamais deixe de falar sobre os interesses da outra pessoa, mesmo que você não goste do assunto. Isso é um detalhe de caridade cristã que nós devemos fazer com qualquer pessoa. Essas coisas marcam a diferença no casamento. Mas muitos falam muito e não dizem nada.

É preciso ter um coração muito nobre pra saber quando falar algo para seu cônjuge. Cultive o milagre do diálogo. Não basta amar é preciso demonstrar. O diálogo para o amor é como o sangue para o corpo, por isso ele tem de ser cultivado no dia-a-dia.


Padre Alexandre Paciolli


Sacerdote da Arquidiocese do Rio de Janeironão

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo