Centralizados no essencial, a Santa Missa

Padre Antonio Fortea
Foto: Mariana Lazarim/Cancaonova.com

Que maravilhoso é escutar na Santa Missa o evangelho dos apóstolos. Houve uma época em que o evangelho não estava escrito, mas era o que eles contavam. Os apóstolos não precisavam ler o evangelho, eles estavam fazendo parte do evangelho.

Eles contavam o que tinham visto, ouvido e tocado. Nessa época o evangelho era vivo. Quantas coisas contariam dos três anos vividos ao lado de Jesus. Que tempo maravilhoso que os apóstolos diziam: “Eu estive ali, eu toquei no Senhor.”

Vimos que os quatro evangelhos, foram escritos em lugares distintos mas não há contradições. O evangelho de São João deseja completar os que os outros não completaram.

Se temos fé ocorre exatamente o que acontecia naqueles tempos aqui e agora. Jesus está aqui no meio de nós e podemos imaginá-lo aqui no meio de nós. Podemos imaginar a Santíssima Virgem Maria conosco, aqui nesta missa. Pela comunhão com os santos podemos contemplar os apóstolos.

Meu santo de devoção me acompanha. Se imagino que este santo está ao meu lado enquanto dirijo, de fato ele está. Uma pessoa com fé pode imaginar, pela comunhão dos santos, que está ao lados dos apóstolos e de Jesus. E onde Jesus está a sua mãe Maria Santíssima também está.

"A graça de Deus pode nos tocar em toda Santa missa, afirma pregador."
Foto: Mariana Lazarim/Cancaonova.com

:: Veja mais fotos no Facebook

:: Mais fotos no Flickr

 

Não é só imaginação mas Jesus está aqui corporalmente. Quando os cristãos escutavam o evangelho era um evangelho vivo. Mas quando escutamos a proclamação do evangelho numa missa, o sacerdote diz as palavras de Jesus. É o próprio Jesus que nos fala! “É a palavra de Jesus que é proclamada agora.”

A graça de Deus pode nos tocar agora, pela Santa Missa.

Para isso depende de duas coisas:Vontade de Deus e a nossa disposição. Nós devemos amar a época dos apóstolos, temos que ter inveja deles. Mas Jesus está aqui na eucaristia, com a mesma força que Ele estava lá naquele tempo.

Sempre que escuto uma pregação, independente do sacerdote eu penso: Jesus tu me falarás através desse sacerdote. Ainda que seja um sacerdote que prega mal, Jesus vai me recompensar por tê-lo ouvido. Por isso na missa temos que ter a consciência de que Jesus está aqui. Jesus está no meio de nós.

Jesus fala através dos seus ministros. A missa do sacerdote que celebra sem entusiamo em sua paróquia, vale o mesmo que a missa celebrada pelo papa. No Vaticano fica mais claro os valores da missa, mas o valor é o mesmo.

O Papa não tem uma estola especial. Ele tem uma estola como todos os padres tem. Não é uma casula especial. Mesmo que ele seja o líder mundial da Igreja, o sacerdócio dele diante da missa é a mesma coisa. Sentido de missa é o mesmo. Sempre que vocês olharem a um Bispo, esforcem-se para ver nele um apóstolo.

A santidade não está ligada aos cargos na Igreja. Quem esteve ao lado da cruz quando Jesus estava no calvário? As mulheres amavam mais que os apóstolos. Quando veio a tempestade elas ficaram mais firmes que os apóstolos. O que importa de verdade é estarmos unidos a Cristo.

Que importa fazer exorcismos ? Milagres? Profecias? Jesus é o que importa de verdade. Eu preciso percorrer bem o caminho que Jesus me há dado.

Não existe nenhum perigo em ficarmos com o essencial.Precisamos estar centralizados no altar com Cristo sobre ele no altar. Amando a nossa Igreja Católica, centralizamos no essencial. Hoje, agora estaremos na última ceia. Jesus está dizendo: Vinde eis-me aqui quero me dar a todos vós.

Transcrição e Adaptação: Cristiane Viana


Padre José Antonio Fortea


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo