Educar e preparar para a vida

Padre Alir
Foto: Flávio Pinheiro/CN

Evangelho de João 15, 1 ao 7: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará; e podará todo o que der fruto, para que produza mais fruto. Vós já estais puros pela palavra que vos tenho anunciado. Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim será lançado fora, como o ramo. Ele secará e hão de ajuntá-lo e lançá-lo ao fogo, e queimar-se-á. Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis tudo o que quiserdes e vos será feito.”.

Quero partilhar agora sobre as dificuldades entre pais e filhos, pois muitas vezes as famílias trazem problemas com os filhos. Muitos já ouviram falar: “filhos pequenos problemas pequenos, filhos grandes problemas grandes”, porém não é esta a vontade de Deus para as famílias, devíamos dizer: “filhos pequenos, alegrias pequenas, filhos grandes, alegrias grandes”.

Quando Deus decide colocar um filho no mundo é como um agricultor, o agricultor antes de plantar uma semente, ele prepara a terra. Isso acontece com o casal, Deus une um homem e uma mulher e o que Deus faz só Ele pode desfazer. Então, antes de colocar um filho no mundo, Deus torna o homem e uma mulher em uma só carne, são unidos por Deus, assim como o café com leite. O que Deus fez é tão grande, é tão maravilhoso, que só Ele pode desfazer a união de um casal.

Deus une o casal, coloca uma base, prepara o terreno, um terreno firme, sólido que tenha a capacidade de permanecerem unidos e através do homem, Deus coloca esta vida dentro da mulher. A mulher recebe a semente e começa se desenvolver uma plantinha dentro dela e você pode dizer: “É só dentro da mulher?”. Não! Pois homem e mulher são uma só carne e o homem não é menos importante. Embora os filhos saiam da barriga da mãe, os laços espirituais fazem que os filhos fique ligados a seus pais.

Você pode pensar o que você quiser do seu filho, do seu sobrinho, desta pessoa que vive infernizando a sua vida, mas Deus a criou. Não existe ninguém mal, o que existe são pessoas que precisam ser trabalhadas por conta dos males que receberam desde que estavam sendo geradas na barriga de sua mãe. A criança é como uma chama que se joga gasolina em cima, e quando ela se sente amada, isso é maravilhoso.

Um marido precisa ser sensível a uma mulher que está gravida, justamente por conta da sensibilidade maior que a mulher vive neste tempo e precisa de cuidados, de atenção especial e muitas vezes é aí que começam os problemas de relacionamento. Quando os pais ficam tristes por saber da gravidez, quando a mãe vai contar para o pai e o pai não aceita, quando a mãe ou o avô sugere um aborto, tudo isso fere a criança, imagine o que a criança passa ainda no ventre quando não se sente bem vinda.

Há casos em que chega aquele pai que se revolta quando a filha engravida, mas quando vê aquela criancinha no berço, se arrepende, porque pensa em toda a rejeição que fez com aquela criança e para compensar este avô começa a bajular esta criança, começa a dar presentes, começa a gastar tempo com esta criança. Mas tudo isso não adianta, pois, e o trauma que ficou da rejeição de antes? É necessário que este avô faça um pedido de perdão a esta criança, mesmo que a criança não compreenda, mas é preciso este pedido de perdão, pois a experiência que esta criança viveu com este avô não foi removida, mesmo que esta criança tenha virado um xodó do avô, mas o trauma ficou.
 

"Pai e a mãe vão ajudar seus filhos crescerem…", diz padre Alir
Foto: Flávio Pinheiro/CN

Vou dar um exemplo, seu filho é como um carro, imagine, você compra um carro zero, mas não sabe dirigir direito, sai pelas ruas, bate no meio fio, nas paredes, nas árvores, na garagem e depois você decide parar e tirar a carta e melhorar o seu modo de dirigir, depois de aprender você volta a entrar naquele carro para dirigi-lo novamente, eu te pergunto, as marcas dos acidentes anteriores saíram daquele carro? Não! As marcas ficaram.

Então você precisa resolver esta situação, se for necessário você precisa preparar um momento com esta pessoa, seja você um pai, uma avó, um avô, um tio, procure uma boa oportunidade para sentar com esta pessoa e expor toda a verdade a esta pessoa e diante da sua conversa, expondo a verdade você vai perguntar a esta pessoa assumindo sua culpa, dizendo a ela: “Diante de tudo o que te fiz, diante da minha rejeição anterior com você, qual sua escolha? Você me perdoa?”.

É incrível o que acontece quando fazemos isso, talvez aquele amor que você tinha por esta pessoa e que ela nunca aceitou, ela passará a aceitar e vocês viverão muito bem. Isso aconteceu comigo, meus pais já tinham quatro filhos e quando minha mãe estava me gestando e meu pai descobriu, houve uma atitude de rejeição da parte dele e anos depois fui descobrir que eu tinha ódio de meu pai e por isso eu era tão distante dele. Depois de descobrir isso e perdoa-lo passei a ver quantas coisas meu pai fez por mim que antes eu não percebia.

O que não pode acontecer é ter as relações cortadas entre pais e filhos, pois se isso acontece as coisas não vão para frente. Você precisa ter abertura com seu filho para conversar, para corrigi-lo, o seu filho precisa crescer, desenvolver-se. Muitas vezes eu pergunto aos pais, vocês consideram seu filho uma árvore ou um galho seus? Porque se ele for um galho seus, ele nunca irá crescer, pois ele precisa ser uma plantinha e os pais precisam ajudar para que ele cresça e se desenvolva.

A árvore tem vida própria, por isso o pai e a mãe vão ajudar seus filhos crescerem, e devem orientá-los sobre o bem e o mal. A missão dos pais é essa, se relacionar, se comunicar com os filhos para que cresçam. O maior erro dos pais é estar sempre do lado de seus filhos, independente de que eles estejam certos ou errados. Se os pais estão do lado do filho quando ele está certo, tudo bem, mas quando os pais se colocam do lado dos filhos quando estão errados, os filhos assumem que tudo o que eles fazem é certo e ele é que determina o que deve fazer, seja certo ou errado. Desta forma os pais perdem a credibilidade dos filhos.

Se Deus disse que é preciso viver castidade, os pais precisam conversar e passar isso para seus filhos, mas há muitos pais que vêem seus filhos tendo relações sexuais e não conversam com seus filhos, pois não sabem como chegar e falar, mas você precisa ajudar seus filhos a concluir que não é bom que eles se relacionem sexualmente antes do casamento. A mãe precisa questionar a sua filha, pergunte a ela o que ela quer. É como uma laranja verde que começa ser apertada e em pouco tempo ela vai se tornando amarela, parecendo madura, enquanto todas as outras estão ainda verdes. Você abre esta laranja para chupá-la e esta laranja vai estar azeda, embora amarela.

"Você precisa ter abertura com seu filho para conversar", diz padre Alir
Foto: Flávio Pinheiro/CN

Você pode questionar sua filha, você quer ser uma laranja doce ou azeda? Sempre questione seus filhos no sentido de que eles decidam pelo melhor. Deus quer que sejamos felizes em nosso casamentos. A pessoa precisa querer viver bem um casamento, esbanjar alegria em um casamento, pois é isto que Deus quer para nós, porém não dá para ficar sendo apertado, não dá para ficar passando de mão em mão, pois assim se chega azedo no casamento.

Como sabemos se nossos filhos são mal educados? Quando ele age da mesma forma perto ou longe de você. Você pode aconselhar seus filhos, você pode orientá-los, mas não poderá decidir por eles. E busque orientar seus filhos na Palavra de Deus, quando ele vir perguntar: “O que faço mãe, o que faço pai?”, leve a Palavra para eles, mesmo que você seja chamado de bitolado, de carola, não importa, sua família colherá bons frutos da vida deste filho. Você precisa fazer seu filho desejar ter uma boa família!

Você pai questione seu filho, diga a ele: “Meu filho você quer ser um grande homem? Então, eu te ajudarei a ser um grande homem!”. Diga a ele que nas situações erradas, você não poderá ficar do lado dele e ele se sentirá seguro com você, pois sabe que em você sempre encontrará o certo e não o errado.

Filho, preste atenção, no dia em que seu pai ou sua mãe disser a você: “Filho faça o que você quiser, pois eu desisto de você!”, essa é a coisa mais triste que pode acontecer na sua vida. Quando queremos que uma parreira dê uvas doces, o pé tem que ser podado. Os seus pais te podarão para que você dê uvas doces! De que adianta você filho fazer o que quiser da vida e amanhã ou depois não dar bons frutos? Pais, sempre pergunte aos seus filhos o que eles desejam ser e dêem exemplos a eles para que possam desejar decidir pelo bem. Os pais precisam ser presentes na vida de seus filhos, pois os filhos precisam desta presença para serem cultivados como família e para que cresçam.

Você não precisa fazer o que seu filho quer, ou comprar o que ele quer, mas precisa ser presente na vida de seu filho para podá-lo, para que ele cresça assim como Jesus dizia no Evangelho.

Transcrição e adaptação: Flávio Pinheiro


Adquira essa pregação pelo telefone
(12)3186-2600

 


Leia também:

:: O que é cura interior

Conheça mais do nosso conteúdo:

:: WebTVCN, muitos vídeos para você
:: Gente de fé, a sua comunidade de relacionamento cristã
:: Podcasts: ouça áudios sobre variados assuntos
:: Cadastre sua paróquia ou capela no Portal Canção Nova

Para o seu celular:

:: Canção Nova Mobile
:: CN Chama, a Palavra de Deus no seu celular
:: Iphone

Mais canais na web:

:: meadiciona.com/cancaonova


Padre Alir Sanagiotto, scj


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo