Fazer o caminho para o Senhor que vem

Monsenhor Jonas Abib - Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Monsenhor Jonas Abib – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

O Evangelho de hoje começa dizendo: “no dia seguinte”, porque, na véspera, os enviados dos fariseus haviam perguntado a João se ele era o Messias, e ele foi claro ao lhes responder que não era. Os fariseus tinham certeza de que ele era o Messias, por isso ficaram desapontados. Então perguntaram-lhe se ele era Elias ou algum dos profetas. São João afirmou que ele é apenas a voz que grita no deserto: “Aplainai os caminhos do Senhor.”

Naquela época, quando se anunciava que o rei iria a determinada localidade, começava-se toda uma preparação específica. O que era chamado de “parusia”, que é o anúncio da ida do rei a algum lugar, quando havia um trabalho intenso para preparar a cidade para a chegada da visita ilustre. Abriam-se estradas e caminhos para que o rei pudesse passar .

Da mesma forma, naquela época, São João, com sua pregação fervorosa levava o povo à conversão, a confessar seus pecados e a participar de um batismo de penitência, e desse modo preparava o caminho para que Jesus pudesse chegar. Ele preparou a estrada para Jesus vir. Desse modo as pessoas deixavam a vida de pecado para abraçar a vinda do Rei.

Peregrinos acompanham homilia realizada por Monsenhor Jonas - Foto: Daniel Mafra

Peregrinos acompanham homilia presidida por monsenhor Jonas Abib – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

No dia seguinte, após a visita dos fariseus, aparece Jesus e João O indica como o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo, ou seja, não era ele [João] quem tirava o pecado do mundo, mas sim Jesus, o Cordeiro.

Quando Jesus se aproxima de João e pede que ele O batize, esse santo tenta recusar o pedido do Mestre, mas o Senhor lhe diz que era preciso cumprir a Lei de Deus.

Após o batismo de Jesus, o céu se abre e o Espírito Santo aparece no alto em forma de pomba, desce sobre Ele e uma voz do céu diz: “Este é meu Filho muito amado, no qual coloco toda a minha afeição”. A voz do Pai dá toda a proclamação de quem era Jesus.

João testemunhou o acontecimento dizendo: “Eu vi o Espírito descer como uma pomba do céu e permanecer sobre Ele [Jesus]”. O Espírito Santo veio para guiar Jesus em Sua missão na Terra. Quem moveu e quem conduziu Jesus ao deserto, onde Ele foi tentado pelo demônio, foi o Espírito Santo.

O demônio queria impedir que Jesus realizasse a missão d’Ele entre nós. Queria que Ele partisse para viver a riqueza, o esplendor e até mesmo que Ele o adorasse. Por que o diabo fez isso? Para que Jesus fosse desviado de Sua missão, da missão de nos salvar, de realizar milagres e levar a Boa Nova para a humanidade.

João testemunha que Jesus era o Filho de Deus e que batizava com o Espírito Santo.

Na Carta de São João, o apóstolo do amor, ele afirma que grande presente de amor o Pai nos deu ao nos chamar de filhos de Deus. A Palavra continua dizendo que somos filhos de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos, mas sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque O veremos como Ele realmente o é. Que beleza! Seremos semelhantes ao Senhor, tal qual Ele é, no dia em que Ele vier em Sua glória.

Na vinda do Senhor nós O veremos como Ele é e estaremos para sempre com Ele! Aguardemos a chegada do Senhor!

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair


Monsenhor Jonas Abib


Fundador da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo