Maria, modelo de mulher

Vamos partilhar sobre o modelo que Nossa Senhora é para nós.

O que vemos na sociedade hoje, não é nada parecido com o que Nossa Senhora é. O que apresentam na sociedade são mulheres magras, que nunca querem envelhecer.

Quanto mais os anos passam, melhores ficamos. Pode não ser na aparência, mas na maturidade, na afetividade e sexualidade. E o que vemos hoje é um modelo de escravidão, com padrões de magreza, onde meninas estão se matando psicologicamente.

E é muito importante vivermos bem cada fase de nossa vida. Precisamos mostrar ao mundo que é possível viver nosso ser mulher de maneira sadia. Ser elegante sem usar decotes grandes e saias curtíssimas, sem apelações. Podemos fazer nossas escolhas e viver com alegria nosso papel dentro da sociedade.

Se o pecado veio por Eva, a salvação veio por Maria.

A nossa vida é um constante fazer opções. Nós dizemos ao mundo quem somos com nossa postura, nossas escolhas e até com nossas roupas, o jeito de falar, se comportar, gesticular…

Celiana
Foto: Célia Grego

Não somos só um rosto bonito ou pernas bonitas. Somos alguém amada por Deus.

Vamos falar sobre a diferença entre a mulher feminina e a mulher sensual.
Nossa Senhora sempre foi feminina. E o que é ser feminina? O que mostra nossa feminilidade? O que temos de diferente dos homens?

Nós temos sentimentos e pensamentos diferentes. Dizem que homem é razão e a mulher é sentimento. Deus nos fez diferentes, e não precisamos brigar para ser iguais aos homens.

Mas, o que é ser mulher?
Algumas das qualidades de Nossa Senhora é o ser silenciosa, prudente, terna e bela.
Nossa Senhora é elegante. Em todas as aparições ela está muito bem vestida, elegante, sem mostrar sensualidade alguma. Ela é uma mulher forte, que soube caminhar junto de Jesus, educando-o para ser um grande homem.

Ser feminina é ter qualidades próprias de mulher. Ser sensual é muito diferente disso.
No dicionario diz: 'Sensual é aquilo que agrada os sentidos, algo provocante'. E provocar é dar origem a algo, causar algo.

Nossas atitudes sempre causam alguma coisa. Nossas ações geram reações. Somos responsáveis por semear nesse mundo uma resposta de amor diante de toda essa violência.

Tenho 45 anos. Não me lembro de ver uma sociedade tão erotizada como estou vendo nesses tempos. E infelizmente estamos colhendo frutos não muito bons.

Nós como mulheres precisamos olhar para nossas atitudes. Precisamos fazer a diferença aonde estamos. Modelarmos o lugar onde se está, é o que Nossa Senhora fazia.

Estou com 25 kg a mais do que quando casei. Eu preciso aprender a envelhecer com alegria. Preciso caprichar com o que eu tenho hoje, senão isso vai virar uma frustração. Preciso responder com alegria, com elegância no que visto, com amor no que falo.
Quando a gente é 'coisificada' a gente não cresce. Quando somos olhadas como objeto, isso não gera em nós crescimento. Nossas natureza não é somente genital, somos emoção. E quando não somos valorizadas assim, somos profundamente feridas. As mulheres que se reduzem a um objeto, mesmo que não saibam, há nelas muitas feridas. Porque isso vai contra a nossa natureza.

Precisamos ser belas por fora, mas também por dentro. Mulheres fortes, de valor, firmes, de postura. A nossa postura de mulher pode endireitar um homem, mas pode também levá-lo ao inferno.

No inicio falei de EVA e de Maria. É a escolha que temos que fazer. Que exemplo queremos seguir? Precisamos caprichar na nossa história. Buscar o 'padrão de beleza' que nos eleva e assemelha a Nossa Senhora. Precisamos ter essa mulher como nosso padrão de beleza. Precisamos ser templos de Deus. E somos!
Quando olhamos para o sacrário como ele está? Mal arrumado? Jogado? Ou sempre arrumado?
O sacrário é nossa referência.
Não é porque somos cristãs que vamos nos vestir mal. Não! Mas precisamos mostrar que somos belas, que a gente se cuida, arruma o cabelo, fazemos a unha, usamos batom. Isso não é exagero. Isso é belo e nos equilibra. É zelo. E precisamos passar isso para nossas filhas.

Confira em Eclesiástico 36, 24 quem é a mulher virtuosa?
Quem tem uma mulher virtuosa em sua casa, tem tudo.
Mas a Palavra diz também em Eclesiástico 26 o que não devemos ser.

Existem em nós as sementes para germinar Deus no mundo. O que eu tenho semeado na sociedade? No coração do meu marido? Dos homens que estão a minha volta? Das mulheres que estão a minha volta?

Não existe destino. Destino a gente constrói com nossas opções.

Uma vez ouvir um frase: “Deus perdoa sempre. Os homens, nem sempre. A natureza, nunca.” O que eu tenho feito comigo mesma?

Precisamos acreditar que Deus pode desentortar tudo! Ele realiza o impossível.
Com coragem precisamos nos olhar, reconhecer a nossa história, buscar a cura, pensar que podemos ser melhores sim. Precisamos investir nessa realidade. Enfrentar essas dificuldades com a graça de Deus.
Precisamos investir em nós, porque é muito fácil deixar a vida nos levar. Não podemos ficar inertes e recebermos tudo aquilo que falam por aí, contrário ao modelo de Nossa Senhora. Precisamos voltar nossos olhos para Nosso Senhor, e repensar nossa vida, nossa história.

Leia I Pedro 3,1 e veja como temos muitas orientações na Palavra de Deus.

Deus nos chama a sermos em nossa casa um céu de carinho, ternura e amor.

Se eu levo meu marido a Deus, eu saio lucrando! Tenham a coragem de pedir para Nossa Senhora lhe ajudar a enfrentar as situações, e de dar passos na fé e concretamente.
Viva a Palavra de Deus e faremos uma grande diferença.

Transcrição e adaptação: Nara Bessa


Celiane Ramos


Missionária da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo