O amor de Deus foi derramado em nossos corações

Eugênio Jorge
Foto: Fotos Arquivo CN

Acalme-se nessa hora, desacelere nesse momento. Peça o Espírito Santo sobre você para que Ele tranquilize o seu coração. Calma! Tenha fé em Deus, tenha paz em seu coração. A morte vai passar, a enfermidade, a dor, tudo vai passar. Descanse seu coração em Deus neste Sábado Santo.

Por um instante, silenciemos o nosso coração. Deixemos que o Espírito Santo, a potência de Deus, tome conta deste lugar e nos envolva, visite-nos, alcance-nos e mude o rumo da nossa vida.

"Queremos reviver, Espírito Santo, pois precisamos de Ti. Queremos vida nova. Vem com a Sua plenitude, ó Divino Consolador, completar a obra de Jesus em nós, esta obra que Ele realizou com o Seu Sangue derramado na Cruz.

Cante no Espírito. Deixe que Ele o envolva nessa hora. Hoje, acontece algo ainda maior: Deus invade, com a Sua luz, o sepulcro, e o Pai dá a mão ao Seu Filho amado por meio do Espírito Santo. “Dê-me sua mão, Jesus!”, diz o Espírito. Depois que Cristo se levanta, os homens já não são mais os mesmos.

E a partir da Ressurreição de Jesus, o Espírito Santo faz nascer a Igreja, que é cada um de nós.

O tema desta minha pregação está em Romanos 5,5: “Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”. Que maravilha experimentarmos isso, meus irmãos! Vale a pena lermos todo este trecho da Carta aos Romanos:

“Justificados, pois, pela fé temos a paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Por ele é que tivemos acesso a essa graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança de possuir um dia a glória de Deus. Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança. E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Com efeito, quando éramos ainda fracos, Cristo a seu tempo morreu pelos ímpios. Em rigor, a gente aceitaria morrer por um justo, por um homem de bem, quiçá se consentiria em morrer. Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Se, quando éramos ainda inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, com muito mais razão, estando já reconciliados, seremos salvos por sua vida. Ainda mais: nós nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por quem desde agora temos recebido a reconciliação!”

"O Espírito Santo levanta todo aquele que está caído", afirma Eugênio Jorge
Foto: Fotos Arquivo CN

 :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

A Igreja nos esclarece, na Lumen Gentium, sobre o Espírito Santo:

“Consumada a obra que o Pai confiou ao Filho para Ele cumprir na terra (cfr. Jo. 17,4), foi enviado o Espírito Santo no dia de Pentecostes, para que santificasse continuamente a Igreja e deste modo os fiéis tivessem acesso ao Pai, por Cristo, num só Espírito (cfr. Ef. 2,18). Ele é o Espírito de vida, ou a fonte de água que jorra para a vida eterna (cfr. Jo. 4,14; 7, 38-39); por quem o Pai vivifica os homens mortos pelo pecado, até que ressuscite em Cristo os seus corpos mortais (cfr. Rom. 8, 10-11). O Espírito habita na Igreja e nos corações dos fiéis, como num templo (cfr. 1 Cor. 3,16; 6,19), e dentro deles ora e dá testemunho da adopção de filhos (cfr. Gál. 4,6; Rom. 8, 15-16. 26). A Igreja, que Ele conduz à verdade total (cfr. Jo. 16,13) e unifica na comunhão e no ministério, enriquece-a Ele e guia-a com diversos dons hierárquicos e carismáticos e adorna-a com os seus frutos (cfr. Ef. 4, 11-12; 1 Cor. 12,4; Gál. 5,22). Pela força do Evangelho rejuvenesce a Igreja e renova-a continuamente e leva-a à união perfeita com o seu Esposo (3). Porque o Espírito e a Esposa dizem ao Senhor Jesus: «Vem» (cfr. Apoc. 22,17)! Assim a Igreja toda aparece como «um povo unido pela unidade do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Lumen Gentium, 4)

Meus irmãos, eu preciso dizer a vocês: a força do Espírito Santo é infinitamente maior do que a força daqueles que combatem contra nós e contra a Igreja do Senhor! O Espírito Santo levanta todo aquele que está caído. Ele pode e quer fazê-lo!

Cinquenta dias após Sua Ressurreição, Jesus envia sobre os apóstolos o Espírito Santo. Mas eles tiveram de ficar cinquenta dias em oração, na expectativa. Houve quem desanimou, quem abandonou o barco… Era difícil para eles a ausência física do Mestre. Até mesmo os apóstolos decidiram voltar a pescar, voltar à vida anterior ao chamado. Mas eis que, após cinquenta dias, Jesus envia o Espírito Santo sobre aqueles homens reunidos no Cenáculo com Maria. E eles passaram a evangelizar com toda intrepidez.

A obra de Jesus passa pela cruz, pela Ressurreição e se completa com o envio do Espírito Santo sobre a sua Igreja. Não podemos ser tolos. Precisamos pedir, constantemente, o Paráclito, pois o homem sem Deus é uma tragédia. Longe d'Ele, meus irmãos, somos uma tragédia.

Cheios do Espírito Santo, conduzidos e transformados por Ele, nós somos uma bênção! E o nosso testemunho – mais do que nossas palavras – causam impacto na vida das pessoas ao nosso redor.

Quando dizemos: “Vem, Espírito Santo!”, estamos dando ao Senhor a liberdade de agir em nossa vida, porque Ele espera pelo nosso “sim” livre. Ele aguarda ouvir, de cada um de nós, o “faça-se”. Sim, meus irmãos, que seja feita, em cada um de nós, a vontade de Deus para que sejamos, verdadeiramente, uma potência de amor.

E quando você estiver cheio do Espírito Santo, o seu cônjuge se alegrará, os seus pais se alegrarão e seus filhos também, porque o mundo está carente de homens e mulheres repletos do Espírito do Senhor. É por isso que presenciamos tanta maldade e violência em nosso meio, porque o mundo está carente de homens e mulheres cheios de Deus.

Ore comigo: “Eu quero ser este homem cheio do Espírito Santo para dar testemunho de que Jesus ressuscitou e está vivo em nosso meio. Ressuscita-me também, Espírito de Deus! Mova-me, molda-me; não me deixe mergulhado na velhice deste mundo. Quero ser uma nova criatura e não me conformar com o homem velho. Com a sua ação em minha vida, eu serei nova criatura. Eu digo 'sim'! Autorizo o Senhor a agir em minha vida para transformá-la”.

 

Transcrição e adaptação: Alexandre Oliveira (@alexandrecn)

 

Assista a um trecho desta pregação:

 


Eugênio Jorge


Músico e pregador da Missão Mensagem Brasil

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo