Que a família seja de Deus

Rubens: Tânia e eu nos conhecemos na Canção Nova. Nós entramos para a comunidade no mesmo ano; pertencemos à mesma turma de discipulado. No fim desse tempo como discípulos, eu me encantei por essa mulher linda.

Eu não a via mais como "minha irmã", mas como uma mulher que poderia viver ao meu lado. Partilhei tudo isso com minha formadora e ela me orientou sobre o que fazer. Hoje, já estamos casados há 15 anos e temos três filhos: Isaac, Miguel e Mariana. Posso dizer que sou um homem muito feliz! Primeiro, porque tive meu encontro pessoal com Deus; segundo, porque Ele colocou o carisma Canção Nova no meu coração; e terceiro, porque tenho essa família linda que Ele me deu.

“Agora, pois, temei o Senhor e servi-o com toda a retidão e fidelidade. Tirai os deuses que serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi o Senhor. Porém se vos desagrada servir o Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses, a quem serviram os vossos pais além do rio, se aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Porque, quanto a mim, eu e minha casa serviremos o Senhor. O povo respondeu: Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir outros deuses. O Senhor é o nosso Deus, ele que nos tirou, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão; e que operou à nossa vista maravilhosos prodígios e guardou-nos ao longo de todo o caminho que percorremos, entre todos os povos pelos quais passamos. O Senhor expulsou diante de nós todas essas nações, assim como os amorreus que habitam na terra. Nós também, nós serviremos o Senhor, porque ele é o nosso Deus. Josué disse ao povo: Vós não podereis servir o Senhor, porque ele é um Deus santo” (Josué 24,14-18).

Acabamos de constatar um Palavra muito real. Josué convivia com Moisés num lugar onde as pessoas passavam por uma grande purificação, pois buscavam falsos deuses. Mas o Senhor é um muito ciumento e não queria que eles ficassem divididos. Por isso, castigou Seu povo. A fim de que passassem por uma purificação, não entraram na Terra Prometida. Josué, muito decidido, falou ao seu povo: “Vocês eu não sei, mas eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Deus nos convida a Lhe dar essa resposta radical. Ou nos decidimos pelo Senhor ou nos decidimos pelo mundo.

Hoje, vivemos várias culturas do consumismo e vamos nos esquecendo de Deus. Mas Ele nos chama à atenção para pertencermos à família d'Ele.
  

"Deus nos chama à atenção para pertencermos à família d'Ele", exortou Rubens.
Foto: Wesley Almeida/ cancaonova.com


A nossa vida é feita de escolhas. E nós precisamos nos decidir pela família! Se estivermos impregnados da Palavra de Deus, saberemos fazer as escolhas certas.

Em Apocalipse, Deus nos diz que não gosta de gente "morna". O Papa emérito Bento XVI nos ensina sobre a cultura do relativismo, diante da qual as pessoas não precisam tanto de Deus. Josué teve uma postura radical. Ele conviveu com Moisés, e assim como este, presenciou muitos milagres. E você, quantos milagres já presenciou na sua vida? Eu não acredito nessa pregação que diz: “Se você se entregar ao Senhor não terá mais problemas!”. Nós que somos d'Ele vivemos provações, porque Ele não nos poupa de nada. Mas apesar de tudo isso, nós não arredamos o pé.

A nossa família precisa de Deus! Quando recebemos Jesus, contagiamos uns aos outros. Você que é casado precisa levar esse Jesus para a sua casa, para o seu matrimônio. Quando me encontrei com o Senhor, Ele me deu a graça de reconstruir a minha família, que é o meu maior patrimônio. Eu tento, com o meu testemunho, "impregnar" os meus filhos. O que converte a família é o testemunho, o exemplo.

Há um tempo, eu fiquei muito feliz! Éramos mestres dos discípulos e dávamos formação aos jovens na casa inicial da Canção Nova. E eu dizia à Tânia: o nosso testemunho precisa "exalar" dos nossos poros. E os meninos viam que luta era para vivermos radicais ao Evangelho! Hoje, minha esposa e eu fazemos parte da equipe vocacional e ajudamos as pessoas a se encontrarem na sua vocação.  

É muito lindo quando os filhos veem o pai e a mãe se relacionando muito bem, veem o quanto trabalhamos. Eles sabem que somos muito felizes.

Rubens e Tânia pregam na Canção Nova.
Foto: Wesley Almeida/ cancaonova.com

Tânia: Há uns três anos, tive de me reconciliar com meu filho. Quando voltávamos de uma cidade vizinha à Cachoeira Paulista (SP), meu filho Isaque perdeu o celular. Então, dissemos para ele: “Você não tem responsabilidade!”. Depois, passado algum tempo, qualquer coisa que acontecia eu relembrava aquela perda. De repente, ao mexer na minha bolsa, eu vi o celular dentro dela e pensei: “Eu, reconhecer que fui eu? Vou colocar no quarto e dizer: 'Olha o que eu achei!'. Mas me veio ao coração: 'Não! Quem errou foi você'."

Resolvi ir até ele e falar: “Meu filho, a mãe guardou sem querer. Não vi o celular que estava lá dentro. Você me perdoa?". Ele disse para mim com os olhos brilhando: “Claro, mãe!”. Hoje, nós temos uma experiência linda! Tudo ele partilha comigo. Quando somos impregnados do amor de Deus, Ele nos leva a fazer as coisas por amor e com amor.

Rubens e eu viemos de famílias difíceis. Na minha família, nós não tínhamos exemplos de matrimônio, mas Deus foi nos curando dessas feridas. Hoje, se há uma pessoa que me conhece, depois de Deus, é o Rubens.

Rubens: Em Tobias 6,17, vemos as providências na vida de Tobit e Sara. Por isso, essa Palavra é para mim e para você: “São os que se casam, banindo Deus de seu coração e de seu pensamento, e se entregam à sua paixão como o cavalo e o burro, que não têm entendimento: sobre estes o demônio tem poder”.

Se você passar por muitas tensões e flagelos na sua família, Deus dirá para você: “Nós não podemos banir Deus da nossa família, senão o demônio terá poder sobre eles!”.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D'Onofrio.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo