Trindade: comunhão de amor

Dom Benedito Beni
Foto: Wesley Almeida

Estamos celebrando, com o coração em festa, a Solenidade da Santíssima Trindade. Deus é um mistério supremo. Só Deus pode nos dizer quem de fato Ele é. Somente Ele pode revelar sua natureza com totalidade. Por isso Jesus afirma que “ninguém conhece o Filho, a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai a não ser o Filho”.

Portanto, somente Jesus, e ninguém mais, poderia nos dizer quem de fato é Deus. Jesus nos falou de um Deus que é Pai. Na Palavra, Deus se mostra como misericórdia e paixão. Deus é Aquele que sai em busca da ovelha perdida, e ao encontrá-la, a coloca nos ombros e a reconduz ao rebanho.

É por causa da revelação da Trindade que comemoramos a solenidade de hoje. Jesus atribuiu ao Espírito Santo um nome com um conteúdo profundo: Paráclito. Paráclito significa que o Espírito Santo é o nosso defensor, consolador e intercessor de um modo muito profundo, pois é o Ele que desperta em nossos coração o desejo de orar. Quando nos colocamos de joelhos ou levantamos nossos braços para louvar a Deus é o próprio Espírito Santo que nos conduz a fazê-lo.

Hoje é a Festa da Santíssima Trindade, que designa a natureza de Deus. Deus é uma comunhão de três Pessoas. Essa comunhão é tão grande e profunda que não forma três deuses, mas sim, um Deus. Não existe comunhão tão profunda como essa da Santíssima Trindade, a qual revela também o relacionamento familiar, no qual temos Deus Pai, Filho e Espírito Santo. O Pai vive eternamente para o Filho e o Filho vive eternamente para o Pai. E ambos vivem eternamente para o Espírito Santo, que vive para o Pai e o Filho eternamente. Deus não é um ser isolado, e sim, a comunhão de três Pessoas, e assim somos e devemos ser: imagem e semelhança de Deus.

No Evangelho de São João, temos a afirmação de que todo o que vive voltado para Deus e tem relação com Ele já possui a vida eterna. A Trindade também nos mostra que Deus é o fundamento de tudo. Deus Pai criou o mundo por meio do Filho e tornou o mundo belo pelo Espírito Santo. Deus então é o fundamento do mundo. Em Deus, vivemos, existimos e somos. Por isso, a Santíssima Trindade nos mostra que uma vida sem Deus é uma vida sem fundamento. Vemos hoje tanta violência, até mesmo em relação às crianças, porque está faltando este fundamento em Deus. Quando este falta, a porta fica aberta para os maiores crimes.

'Deus é um mistério supremo', afirma Dom Beni
Foto: Wesley Almeida

A Trindade nos recorda ainda do que é o amor. Cada pessoa da Trindade vive um para o outro. Amar então não é viver para si mesmo, mas viver para o outro, e gastar a nossa vida para que o outro tenha mais vida. Quando assim fazemos, nos sentimos mais realizados e mais felizes.

A juventude é a riqueza da Igreja. O saudodo Papa João Paulo II, que gostava muito de ir ao encontro dos jovens, afirmou que a juventude é um dom de Deus. Dom que não pode ser esvaziado ou desperdiçado. Então digo a vocês jovens: usem este dom que receberam para trabalhar por um Brasil mais justo, mais feliz, um Brasil melhor. Usem o dom de Deus para ajudar outros jovens a se libertar das drogas, da violência, do alcoolismo, do sexo usado como diversão, sem a ligação íntima e essencial com o dom da vida. Hoje a Igreja nos convida para contemplar a Trindade Santíssima e proclamar a Sua glória. Vamos, então, não somente proclamar essa glória com nossa boca, mas com nossa vida.

Transcrição: Lanier Rosa


Dom Benedito Beni


Bispo emérito da diocese de Lorena (SP)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo