Não submeta sua vida ao jugo da escravidão

A escravidão começa nas pequenas brechas

Materia---P---269x329 Ironi

Ironi Spuldaro – Créditos: Wesley Almeida/Canção Nova

Aprendi, em minha vida espiritual, que se não quisermos ser atormentados pelo demônio, temos de fechar a brecha que permite a entrada dele, pois um pequeno detalhe pode abrir espaço para que o inimigo invista contra nós.

Diga comigo: “Espírito Santo de Deus, eu Te amo, quero fazer uma aliança de amor Contigo”.

O tema que nos foi proposto para este momento está em  Gálatas: “É para a liberdade que Cristo nos libertou. Ficai firmes e não vos deixeis amarrar de novo ao jugo da escravidão” (Gl 5,1).

“Senhor Jesus, pelo poder do Teu nome, das Tuas chagas e do Teu Sangue, como fonte de exorcismo, abençoai e exorcizai-me, livrando-me de todo mal que me aprisionava. Senhor Jesus, eu renuncio a satanás e a todas as suas obras. Com minha mão direita agora levantada, levanto o estandarte da cruz e determino: ‘Satanás, saia da minha vida, saia da minha casa, desse local eucarístico, porque Jesus Cristo é o Senhor da minha vida e desse lugar.”

O que é ser livre?

Ser um homem e uma mulher livres é ser alguém que vive inteiramente a promessa de Deus, inteiramente possuído pela graça divina.

Quando não nos sentimos livres, é porque o Espírito de Deus não está agindo em nós, mas sim o espírito da carne ou do mal que está agindo.

O demônio não age nos aterrorizando, ele age nas pequenas coisas e assim ele nos prende. Temos de fechar as brechas que há em nossas vidas.

Certa vez, num momento de oração, eu havia tomado muita água e fui ao banheiro. Enxerguei, perto do banheiro, uma pessoa que parecia uma múmia, toda enfaixada, e com três pessoas a segurando. Achei que era alguém morto, mas quando passei perto, aquela criatura arrumou forças não sei de onde e voou na direção do meu pescoço; eu desviei e ela caiu no chão.

Um padre exorcista chamou aquela pessoa e começou a fazer um exorcismo. Sabe o que o demônio disse: “Lúcifer, Belzebu e Asmodeu, nós não podemos sair daqui, porque as brechas da vida dela estavam abertas e precisamos de um lugar”. O padre disse isso ao público no momento da adoração. Nessa hora, o demônio gritou: “É verdade, porque não se pode mentir na presença de Jesus”.

Materia-G--595x420 Ironi

Ironi prega no Acampamento de Cura e Libertação – Créditos: Wesley Almeida/Canção Nova

Renuncie e fuja da mentira!

“Também a própria criação espera ser libertada da escravidão da corrupção, em vista da liberdade, que é a glória dos filhos de Deus. Com efeito, sabemos que toda criação, até o presente, está gemendo como que em dores de parto” (Rm 8,21-22).

A criação foi sujeita à verdade, espera ser libertada, “sofre em dores de parto” aguardando a verdade.

Quando limpamos nossa casa, vamos arrastando a sujeira para fora, mas vem um vento forte e acontece o quê? A sujeira volta toda para dentro. Vem só a sujeira que você varreu? Não. Vem muito mais!

Meus irmãos, assim acontece com nossa vida espiritual. Se ficarmos indo de retiro em retiro, de encontro e encontro, sem renunciar às pequenas coisas, de nada adianta nosso esforço. Ser livre espiritualmente é renunciar ao pecado, é caminhar para a santidade.

O demônio existe?

Muitos duvidam da existência do demônio, mas o Papa Francisco disse recentemente: “Se um bispo, se um padre, um pregador disser para você que o demônio não existe, saia de perto dessa pessoa, porque você já está falando com o demônio”. O inimigo quer ficar no anonimato, porque aí ele faz o que quiser com você.

“Ani El Shaddai” significa: “Eu sou o Deus Todo-poderoso”. Há um Deus Todo-poderoso em sua vida e ele diz, todos os dias, para você: “Há um Deus Todo-poderoso em sua vida, em tudo o que você precisa”.

Certa vez, Deus disse ao meu coração: “Quando você vai para um campo de batalha e começa a orar em línguas, é como uma metralhadora. Se você for a esse campo de guerra e ficar no meio do tiroteio, vai ficar parado? Eu disse: “Eu não, eu vou me esconder”. Ele respondeu: o demônio faz assim também, ele se esconde”.

Cinco atitudes para ser livre

Um padre na Itália fez uma pesquisa sobre por que tanta gente vai à igreja, mas acha que sua vida não mudou nada. O resultado foi esse: as pessoas vão aos encontros, mas não mudam de vida.

800x300-ImagemDestacada Ironi

Ironi Spuldaro – Créditos: Wesley Almeida/Canção Nova

Primeiro ponto para ser liberto: Você precisa fechar as brechas na sua vida. Busque no Alto, a vida de oração e a leitura da Palavra.

Está cansado? Feriado prolongado e você quer ficar até 10, 11 horas da manhã na cama? A cama descansa o corpo, mas joelho no chão descansa a alma. Sem os joelhos no chão, sem vida de oração você vai viver continuamente cansado, saturado espiritualmente.

O demônio pode até disfarçar a humildade, mas não pode permanecer nela.

Padre Duarte disse que o demônio lhe revelou: “Eu quero destruir você, mas não posso, porque você ora, e eu até posso orar com você. Você é humilde, eu até posso mascarar a humildade, mas o que me impede de destruir você, é que você tem calos nos seus joelhos”.

Segundo ponto: Vida de sacramentos. Os sacramentos são como o termômetro da vida cristã.

Terceiro ponto: Palavra de Deus, Lectio Divina.

Quarto ponto para viver livre do jugo da escravidão: Dependência do Espírito Santo. Quem nos faz santos? É o Espírito Santo. Sem Ele não seremos santos, só o Espírito de Deus nos leva à santidade.

Quinto e último ponto: O irmão. Papa Francisco disse: “O irmão é um sacramento de Deus”. Temos de ser povo com o povo de Deus, para testemunhar a plenitude do Espírito que age em nós.

Vamos combater o mal! Tenha um crucifixo exorcizado na porta da sua casa, tenha esse sacramental, que é símbolo do cristão.

Confira o momento de oração

Transcrição e Adaptação: Sandro Arquejada

Veja também:
.: A mulher e o dragão
.
: Colocando o mal em fuga

 

 


Ironi Spuldaro


Membro do Conselho Nacional da RCC Brasil

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo