Servir ao Senhor com alegria

Somos chamados a evangelizar com alegria

Os missionários da Obra de Maria, cada um com seu jeito, tem levado a Jesus com muito amor e carinho a tantas famílias. E elas estão sendo transformadas, convertidas.

Que bom sabermos que temos irmãos comprometidos com a Palavra de Deus, mesmo sabendo que evangelizar não é uma tarefa tão simples. Os primeiros cristãos arriscaram a sua vida para levar a Palavra de Deus, mas só puderam fazer isso, porque estavam cheios do Espírito Santo. E quando estamos cheios do Espírito Santo, nós fazemos a vontade de Deus, desse Senhor que pede tudo de nós.

O chamado

Eu tinha dezessete anos quando eu comecei a caminhar com o Senhor e nessa caminhada, Ele vai exigindo sempre mais um pouco de nós. Eu sentia que Deus pedia mais de mim, mas eu não queria o sacerdócio para minha vida, eu queria me casar. Muitas pessoas da minha paróquia me diziam que eu tinha cara de padre. Mesmo quando eu estava em outra cidade, pessoas que não me conheciam me perguntavam, se eu iria ser padre. E eu dizia a Jesus: “Senhor, por favor, eu não quero ser padre”.

Com o passar do tempo, eu fui rezando e pedindo a Deus que cuidasse da minha vocação. Mas, também pedi a Deus que me permitisse me apaixonar e namorar. E eu me apaixonei por uma menina linda da minha paróquia. Eu, muito tímido, escrevi uma carta para ela, e ela me pediu uma semana para pensar. Durante esse tempo, eu rezei muito. E ao término da semana, eu fui conversar com ela, e ela me disse: “Não”. Mas não desisti, esperei o meu coração ser curado e depois de um tempo, me apaixonei por outra menina. Agora, um pouco menos tímido, me aproximei dela e me declarei, e ela também me pediu uma semana para pensar. Se tinha rezado muito da outra vez, dessa vez, rezei mais ainda.

Quando estava quase terminando a semana, eu rezei, e Deus falou muito forte ao meu coração que Ele me queria por inteiro. Mas, mesmo assim, eu fui atrás da menina para saber qual era a resposta e ela me disse: “Não”. E, nesse momento, a alegria invadiu meu coração. E eu me rendi a Deus. Foi o Senhor que me escolheu, não eu. Mas, eu disse para Deus, eu não queria, mas já que o Senhor me escolheu, eu não quero ser qualquer padre, me faz um padre santo.

Eu sou muito feliz, porque estou na vocação certa. Eu sou o padre mais feliz do mundo. Porque não fui eu que escolhi essa vocação, foi Deus que me chamou. Fui escolhido para santificar as famílias pelo Espírito de Deus.

Tem muita gente com dúvida na sua vocação. Mas eu digo: “Vale a pena ser padre nos tempos modernos”. E se você quer padre santos, reze por nós.

Leia também:
:: Em Maria somos filhos da misericórdia
:
: Porque olhou para a humildade de Sua serva
:
: Abram-se aos dons do Espírito Santo

Vocação acertada, pessoa feliz

Se estamos na vocação certa, nós suportamos tudo. Quando você olha para os membros da Comunidade de Obra de Maria e vê todos sorrindo, você não imagina que sofremos. Mas como missionários somos chamados a evangelizar com alegria. Eu tenho a consciência de que terão missões difíceis, mas que me exige que eu sirva com alegria. Nós podemos fazer muitas escolhas, mas as melhores são as que Deus escolhe para nós. O sofrimento não pode tirar a alegria que Deus colocou um dia em meu coração.

Transcrição e adaptação: Regiane Calixto

Adquira essa pregação pelo telefone: (12) 3186-2600

 


Padre Diniz Bezerra


Sacerdote da Comunidade Obra de Maria

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo