"O verdadeiro amor promete o infinito"

"O verdadeiro amor promete o infinito"

Padre Paulo Ricardo. Foto: ArquivoCn/cancaonova.com

“Nós temos uma alma que pede o infinito”, afirma padre Paulo Ricardo.

O tema que a equipe deste acampamento me apresentou para minha pregação foi: “O verdadeiro amor promete o infinito”, do discurso do Papa Bento XVI aos noivos e namorados de setembro de 2011.

Não esperem de mim um testemunho de namoro, porque eu nunca namorei na minha vida; na verdade, eu não me lembro de nenhum momento em que eu não tenha querido ser padre. Eu era pequeno e via fotos do meu pai de batina, e queria ser padre. No entanto, como meu pai havia servido o exército e eu também queria ser militar, quando somos crianças queremos tudo e eu queria ser o meu pai. Contudo, com o passar do tempo, as outras coisas foram se evaporando e ficou somente a ideia de ser padre.

E então você pode dizer: “O padre nunca namorou e vem dizer o que é namorar e ser casado?” Você namora com o seu namorado ou é casado com seu marido, e eu sou padre há de vinte dois anos. Então é bom você pegar o conselho com alguém que está fora da situação; além do mais, nestes vinte e dois anos, já atendi muitos casais. E como pai espiritual eu dirijo a palavra a vocês. E pego o discurso aos noivos e namorados do Bento XVI que também nunca namorou.

Namoro não é diversão, assim com o sexo não é diversão. Na nossa cabeça e sociedade, que é cada vez mais pagã, coloca-se o sexo como diversão e prazer. Vamos pensar em como é o sexo para Deus. Quando Ele fez o sexo Ele fez a família. Sexo tem sentido porque família tem sentido. Os animais não têm família, mas os seres humanos têm uma. Hoje você vai encontrar na escola e na faculdade muitas pessoas ateias. Vamos agora nos colocar no lugar delas, vamos fazer de conta que não somos católicos e vou dar um exemplo para não pensarmos somente em cima da religião: O professor da faculdade diz: “Os animais não têm família, se a fêmea está no cio ela faz sexo com outro animal, que não é seu macho, e quer fazer sexo com seu filhote. O bom pai que pertence a uma família não vai ter relação sexuais com as filhas. O irmão também não tem relação sexual com as irmãs. Dentro da família existem papéis maravilhosos que devemos cumprir. Os professores doutores dizem que a família é uma espécie criada por nós e que devemos olhar para os animais, que não têm família. Por isso, se você está tendo relação sexual só com a sua esposa, isso não é normal. Não se reprima, não tem problema”.

Aqui está um pensamento do mundo atual, e isso não é uma coisa apenas do Brasil, pois querem que família seja exterminada da face da Terra. No mundo atual o projeto é transformar o mundo e deixá-lo parecido com a Suécia, onde a família não é praticamente nada. Onde filhos estão sob a tutela do Estado e nenhum pai e nenhuma mãe determinam o que eles [filhos] vão ser. Concluído um ano de vida, as crianças já vão para o berçário e já começam a aprender a ter papéis versáteis. E o menino aprende, desde cedo, que ele pode gostar tanto de uma menina como de um menino e que pode se vestir como garoto ou não. É isso que é transmitido, para ver para onde as coisas estão sendo encaminhadas. Temos que chegar à sociedade onde os papéis já se inverteram: “Hoje eu quero ter uma relação com uma mulher, amanhã vou ter com um homem, depois com uma criança e depois com um hipopótamo”.

Então não existem papéis fixos e não existe família? Quando as coisas se tornam versáteis? Para chegar a este ponto a que a Suécia chegou, temos ido aos poucos, é isso que o mundo está nos ensinando. Quando nós atendemos os jovens em confissão e aconselhamento, temos visto que a moça fica com o rapaz e depois ela fica com a amiga dela. Certo dia, uma jovem me confessou: “Padre, eu traí a minha namorada”. E eu disse a ela: “Você não pode namorar uma mulher”. E isso não é questão de preconceito com os homossexuais para privilegiar os heterossexuais. A Igreja nos ensina o que, de fato, é o sexo. Isso é a natureza. Não é possível ter uma relação sexual com uma pessoa se ela não for capaz de gerar filhos, que é a sua esposa ou o seu marido. Ponto final! Esta é a criação de Deus. A família é uma instituição natural. O sexo é para gerar família. Talvez você diga: “A família é uma fonte de sofrimento. Nós queremos libertar as pessoas da família”. Você está querendo libertá-las? Já deu uma olhada nas estatísticas da Suécia? É onde há mais suicídios no planeta, onde há grande incidência de casos de depressão e alto consumo de drogas.

Nesse sentido, a qualidade de vida na Suécia é péssima porque nós não somos animais e bichos. E para provar isso você não precisa acreditar somente no que a Bíblia ensina para acreditar na família. Você sabe muito bem que os seres humanos não fazem sexo como os animais o fazem. Quando os animais estão no cio, ao concluírem o ato sexual, eles estão plenamente satisfeitos. Nenhum animal quer a terceira ou a quinta relação. Ao passo que, com o ser humano, isso é diferente, pois ele tem necessidade e certa compulsão pelo sexo. Ele o faz uma, duas ou três vezes. Nenhum animal faz sexo de forma compulsiva conforme você o faz. Quem quer sexo não é apenas seu corpo, mas a sua alma, porque ela está buscando Deus de forma errada. Veja as relações sexuais desregradas que você teve e perceba o vazio que elas deixaram dentro de você? Esse vazio ficou, não foi porque você foi criado em uma sociedade burguesa que reprime seus instintos.

Desde os primeiros anos de idade, os suecos são livres para ter relacionamentos quando quiserem. Pois bem, eles continuam cometendo suicídios e crimes, o vazio está lá, porque nós temos alma e nossa alma pede o infinito. Por isso deixe-me lhe dizer algo a você que está namorando: Homem nenhum e mulher nenhuma vão preencher o seu interior. Não é uma questão de prazer e de lazer. Estou lhe dizendo que fomos criados para o infinito, que é Deus.

O verdadeiro amor promete o infinito

“A minha emoção de ser padre passou, mas o meu amor não”, afirma padre Paulo Ricardo. Foto: ArquivoCN/cancaonova.com

Criaste-nos para vós e o nosso coração está inquieto enquanto não repousar em vós” (Santo Agostinho). Nossa vida foi feita para Deus. E somente seremos plenamente felizes no céu. “O filho do homem não tem aonde reclinar a cabeça neste mundo a não ser no Senhor”. Veja o exemplo dos santos que sabiam disso e viveram uma vida realizada aqui na Terra.

Para que é que somos família? Porque a família é o lugar onde você pode amar a Deus mais concretamente aqui nesta Terra. Nenhum animal foi feito para amar. Se você acha que o animal foi feito para amar, você tem uma visão errada do amor. Amor é o derramamento até do sangue se for preciso. Amor é quando a pessoa não desiste de você. É essa aliança de sangue. Quer saber quem já amou você? Pense em um nome de uma pessoa que você tem certeza de que o amou. Já sei, esta pessoa sofreu por você. É óbvio. Se você sabe que essa pessoa o ama, sabe que ela sofreu por você. Nenhum animal é capaz de fazer isso. Ele é capaz de ser contrariado, mas não é capaz de se contrariar. O animal segue os instintos dele. Por exemplo: o animal quer comer e vê a bacia de comida, o problema é que há um leão a comendo. Se o leão rosnar o outro animal vai sair correndo, porque seu instinto de se alimentar não é tão forte como o de sobrevivência. Nenhum animal é capaz de se contrariar, portanto, não é capaz de amar, mas você o é. É algo sofrido, mas você vai até o fim, porque você tem alma e vai até o fim. Sofremos, mas ficamos felizes, porque vemos a felicidade da pessoa a quem amamos. Isso o ser humano é capaz, e o animal não.

Se você namora alguém porque o seu namoro é simplesmente para usar o (a) outro (a), e diz que o (a) ama, você não o (a) ama de verdade. “Padre, eu o (a) amo, por isso tenho relação sexual com ele (a)”. E eu lhe pergunto: “Então você está disposto a ter um filho com ele (a) agora?” Não? Por quê? Por que o filho vai prender os dois.

Eu sou fruto da união do meu pai e da minha mãe. Quando meus pais morrerem eu vou continuar sendo filho deles. Quando Deus fez a relação sexual, Ele a fez para gerar família. Qualquer biólogo e cientista enxergam a finalidade do nosso corpo. Se eu lhe der um sorvete você vai colocá-lo na orelha? Claro que não, porque o ouvido não foi feito para digerir alimentos. Qualquer pessoa que tenha inteligência enxerga a finalidade das coisas. O cachorro e a vaca não são capazes de enxergá-las [finalidade das coisas].

Quando Deus fez as minhas orelhas, Ele fez a concha acústica para frente para ouvir na mesma direção. Uma inteligência superior articulou tudo na mesma direção. Esta inteligência é Deus.

Como é possível a evolução? Não temos comprovação científica de que a evolução existiu. Temos hipóteses disso. Mas como é possível que dois animais tenham pensado em desenvolver órgãos sexuais que não tenham sentido? Alguém descobriu isso? E eu lhe pergunto como o órgão masculino e o feminino se encaixam um no outro de forma correta? Será que é coincidência?

Para alguém ser ateu ele precisa de muita fé, eu penso. Você acreditaria que um animal vai se desenvolver numa direção e que depois magicamente vão se encaixar. O sexo é inexplicável. O sexo é um milagre. Um dia você já se perguntou por que Deus o fez assim? Porque foi Deus quem o fez assim. O corpo humano tem sentidos em todas as partes. O olho tem sentido plenamente. Eu não preciso do seu olho para funcionar e assim ocorre com os outros órgãos. Tudo funciona perfeitamente sem precisar do outro. Só que acontece que, em mim, existe o órgão do aparelho masculino que não tem sentido nenhum se em algum lugar não existir o aparelho reprodutor feminino. O corpo do homem seria absurdo se não existisse o corpo da mulher e vice-versa. Isso é um dado biológico irrefutável. O sexo do homem só tem sentido, na realidade genital, se existir a mulher. Não quer dizer que você precise usá-lo, mas o sentido é esse. Fui eu que inventei isso? É a opressão da Igreja que diz isso? Não, isso é uma realidade. E os órgãos só existem para que existam famílias. Ninguém precisa levar o bezerro para a escola. Por que não existe escola de vaca? Porque a vaca não tem uma missão.

O ser humano tem uma finalidade. Eu nunca vi um bezerro pensando: “O que vou ser quando eu crescer?”. Porque o animal não tem uma missão. Nós somos uma missão, somos uma tarefa. Você sabe que pode passar por esta vida e não ser realizado infinitamente. A nossa finalidade é Deus. E se você é família é para Deus, se você está namorando, não pense somente no corpo, porque você deve se casar para construir uma família. “Eu procuro uma namorada bonita”. Olhe para a mãe dela e veja como ela vai ficar. Isso é óbvio. Um dia a mulher com quem você vai ter se deitado na sua cama não vai ser o desejo do seu consumo. As bonitas estarão lá na praia, lá fora. Ou você se apaixona pela alma dela ou você não vai amá-la. Escondendo o seu corpo é a única maneira de revelar a sua alma.

Daqui a pouco vamos ter um fenômeno aqui no Brasil chamado carnaval, no qual as mulheres estarão vestidas com tintas pelo corpo e num carro alegórico se requebrando, e você vai olhar para aquela mulher e vai dizer: “Que QI elevado de virtudes? Puxa! É um perfil de uma boa mãe”. Claro que não. Por quê? Porque quando você mostra o corpo, você esconde a alma. Quando você se veste de maneira sedutora você está construindo a sua casa na areia, porque o seu corpo um dia vai ficar feio. Faça com que o seu namorado se encante pela sua alma. Vista-se com elegância, não seja vulgar e nem brega. Deus fez as mulheres para que elas se vistam com elegância e sejam bonitas. Não precisa ser beata e cafona nem descabelada. Seja uma mulher bem-vestida e assim que você vai saber namorar. Dê valor ao seu corpo. Um namoro é um ensaio de família.

“Padre, mas eu não consigo me segurar. Essas regras da Igreja não me convencem”. Namoro é um ensaio de família. A sua namorada será a futura mãe dos seus filhos. Viva a castidade para que, um dia, você possa dizer para os seus filhos: “O seu pai e a sua mãe viveram a castidade. Você também pode se segurar para vivê-la”.

Precisamos nos reeducar e perceber a finalidade para a qual Deus criou o sexo: para a família. A maluquice desse projeto social, que quer “libertar as famílias”, está nos impedindo de amar. Se você usa as pessoas e faz sexo com a camisinha, não se espante quando você, lá na frente, estiver sozinho, porque você não fez vínculo com ninguém.

Amor é vínculo. O casal acabou de se conhecer na balada e um olha para o outro e os dois começam a namorar. Isso ainda não é amor, é atração. Eu nunca vi um casal casado há cinquenta anos que um olhasse para o outro e o coração batesse como os dos jovens, mas o coração, sem bater, olha para o outro e percebe que o amor é tão grande, porque não é só química, mas há a decisão de se amarem. Amor não é uma emoção. Emoção passa. Se amor fosse emoção não existiria o para sempre. A minha emoção de ser padre passou, mas o meu amor não. Quantas vezes foi necessário dizer: “Eu não desisto da minha aliança e da minha vocação de ser padre. Eu nunca namorei, mas graças a Deus eu tenho experiência de amor. Por isso que é bom você ouvir de um celibatário que nunca amou: que uma coisa é paixão e  outra coisa é o amor.

Viva esta aliança de sangue que diz: Eu não desisto de você!

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D’Onofrio. 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo