Amor do Pai, fonte de misericórdia

Muitos não conseguem experimentar com liberdade o amor do Pai

Amordopaifontedemisericordia

Padre Leandro. Foto: Gustavo Borges/cancaonova.com

É uma alegria estarmos juntos para testemunhar as maravilhas da misericórdia, a maravilha do amor do Pai. Vejam, eu quero compartilhar com vocês a experiência que eu vivo como membro da Aliança de Misericórdia. Quando Jesus diz: “Se vós, homens, que sois maus sabem dar coisas boas ao vossos filhos, quanto mais o Pai que esta no céu, pode fazer coisas maiores”. Abra o teu coração à maravilha desse Amor!

Nós não queremos saber desse amor. Nós queremos experimentar esse amor. O amor do Pai é a misericórdia. Não há nada que esse amor não possa transformar, não há nada na sua vida que diante desse amor não se transforma. O Papa Francisco, neste mundo em que temos vivido, convida toda a Igreja a viver o jubileu da misericórdia. Invés do Papa convocar a Igreja a julgar os pecadores, o Papa convoca-nos a viver o que de mais belo há em Deus, a misericórdia.

“Moisés disse: “Mostrai-me vossa glória.” O Senhor passou diante dele, exclamando: “Javé, Javé, Deus compassivo e misericordioso, lento para a cólera, rico em bondade e em fidelidade”” (Êxodo 33,18. 34,6).

Deus disse: “Vou passar, mas você fica ali escondido na rocha para você não morrer quando eu passar”. E o que Moisés disse? “Deus, o Senhor é misericórdia!”. A beleza de Deus é a misericórdia. A nossa missão da Aliança de Misericórdia é mostrar ao mundo a beleza de Deus.

Todos nós, neste ano, somos convidados pelo Papa a viver a misericórdia. Com o Papa Francisco toda a Igreja é chamada a ser uma aliança de misericórdia. A maioria de nós sabe do amor de Deus, mas não consegue experimentar com liberdade esse amor do Pai. Por que? São as imagens da nossa cabeça, as imagens que trazemos de Deus dentro da nossa cabeça. Todos nós trazemos imagens distorcidas de Deus. E como isso bloqueia a vida de muitos!

Você já reparou como usamos o nome de Deus com muita facilidade? Dizemos: “Deus quer isso de você, Deus não quer que você faça aquilo!”. Já reparou nisso? Com que facilidade nós dizemos o que Deus quer e o que Deus não quer! As pessoas, ao tentarem consolar outras, dizem: “Deus preparou tal situação!”. Tem gente até matando outros por causa de Deus como no Oriente Médio.

Essas imagens são envenenadas e nos impedem de viver e experimentar o amor do Pai. Se você, desde criancinha, o seu pai chegava e dizia: “Filho, você tem que ser bonzinho, senão Deus vai te castigar!”. Quantos de nós crescemos ouvindo isso. O que vai acontecendo com a criancinha, ela vai crescendo com essa imagem do Deus que castiga, o Deus que dá medo. É até uma das causas que começou o ateísmo, são também as imagens distorcidas que muitas vezes eram apresentadas. Todos nós vivemos de acordo com o Deus que cremos, as minhas posturas, aquilo que eu vivo refletem o Deus em quem acredito.

“Por isso, Deus os entregou aos desejos dos seus corações, à imundície, de modo que desonraram entre si os próprios corpos. Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos. Amém! Por isso, Deus os entregou a paixões vergonhosas: as suas mulheres mudaram as relações naturais em relações contra a natureza” (Rm 1,24-26).

AmordoPaifontedemisericordia

“Todos nós trazemos imagens distorcidas de Deus. E como isso bloqueia a vida de muitos!”. Foto: Gustavo Borges/cancaonova.com

Você já pensou nisso?

Parece até um pouco do que vivemos hoje. O que São Paulo quer nos dizer é que as pessoas que cometem tudo isso já possuem uma distorção de Deus em sua cabeça. O Brasil se orgulha de ser o maior país católico, mas é o país mais corrupto. Será que nós estamos conseguindo entender a necessidade de purificarmos a nossa imagem de Deus? Tudo isso que São Paulo escreveu precisa entrar em nossa realidade.

Quantas famílias que nós conhecemos estão divididas pela mentira, quantas famílias estão cada vez mais distantes um do outro pelo ressentimento e falta de perdão, famílias cristãs onde não se vive mais o amor. Nós precisamos nos rever, os conceitos de Deus, a imagem que trazemos Dele. Na segunda leitura da Quarta-feira de Cinzas diz assim: “Deixai-vos reconciliar com Deus”. Nós temos uma salvação!

“Pois a lei foi dada por Moisés, a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo” (Jo 1,17).

Esta é a grande missão de Jesus. Cada um tinha uma imagem de Deus e Jesus veio para nos mostrar qual é a imagem verdadeira de Deus. No início da pregação eu disse sobre Moisés que pediu para ver Deus. O que João está querendo dizer nesse trecho é que aquela mesma graça que Moisés pediu para ver, agora desceu, se encarnou e está no meio de nós.

Como o Papa Francisco diz: “Ele é o amor encarnado do Pai. Jesus é a imagem visível do Deus invisível. É o rosto da misericórdia”. Qual foi a missão desse amor encarnado? Dizer para cada um de nós, benditos seres humanos, quem é o Pai. Lembra de Felipe que pede para Jesus revelar o Pai e Jesus responde: “Felipe, quem me vê, vê o Pai”.

Meus irmãos, o que Jesus disse desse Deus é bombástico! Muitos não entenderam, tanto que o que Jesus disse lhe custou a vida. E depois de 2000 mil anos, muitos não conseguiram entender. O que Jesus disse? Deus é o Abba! Você tem um “papaizinho”, você é um filhinho amado. Jesus quis nos introduzir numa relação de intimidade com Deus. Uma criancinha não vive angustiada com os problemas da vida, porque ela confia no papai que tem.

No ano passado, quando fui à Terra Santa, vi um filho que estava com o pai judeu, o filho caiu no chão, começou a chorar e disse: “Abba!”. O pai pegou a filhinho do chão e o beijou. É isso que Jesus nos quis passar. Valorize a morte de Jesus, Ele foi condenado à morte, porque chamou Deus de Pai! Você aceite ou não, quem está lá no céu olhando por você, não é um Deus que vai te castigar, é um papai que está te olhando com as portas abertas. Abre essa cabeça, Ele é o nosso Pai. Foi isso que Jesus dedicou a vida inteira para dizer, Ele veio a este mundo para poder comunicar essa Boa Nova. E o que fazemos para merecer o amor do Pai? Nada! Esse Pai te ama de uma forma gratuita. Nós não merecemos esse amor, mas Ele nos ama assim mesmo.

A causa da sua alegria deve ser o seu nome estar dentro do coração do Pai. O seu nome está gravado no coração do papai. Por mais que nós desejemos experimentar esse amor, precisamos ser corajosos. Eu entendi isso com a minha mãe, ela disse: ”Nós não podemos ter medo, nós temos uma história de vida marcada pelo sofrimento e pela dor”. Quando você ouve que alguém ama você de uma forma gratuita dá medo, você começa a pensar: “Vai que eu sou traído de novo, vai que eu me machuque de novo!”. Felizes os corajosos, porque alcançarão a liberdade. Se lance, seja corajoso! Vale a pena! Nenhum de nós é órfão, meus irmãos, todos nós temos um Pai do céu.

Roberta (Testemunho)

Não fui criada pelo meu pai. Fui criada na Igreja e até tive catequese. Mas a minha relação com Deus sempre foi algo muito distante. Eu trazia um vazio em meu coração que eu não sabia de onde vinha. Acabei me afastando de Deus. E por conta de muita bebida e droga tive um coma alcoólico. Quando estava internada, o médico me disse: “Filha, você podia ter morrido, é hora de voltar para casa!”.

Depois disso eu comecei um processo de conversão, conheci a Comunidade Aliança de Misericórdia e comecei a conhecer a figura do Pai. Eu trazia na minha vida feridas de rejeição, feridas relacionadas à paternidade. E a partir da abertura que eu fui dando a esse amor de Pai eu pude ser curada. Eu nunca tinha assumido a minha condição de filha amada pelo Pai. Antes eu não conseguia contemplar isso, mas hoje a partir dessa experiência com o amor do Pai eu vejo que a minha história é a manifestação do amor de Deus. Eu tenho um Pai, eu sou filha e isso basta!

Transcrição e adaptação: Jonathan Ferreira

contribuicaocn1

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo