Encontrar o Cristo é permanecer com o Cristo

encontrar_o_cristo_e_permanecer_o_cristo

Thiago Tomé. Foto: Arquivo/cancaonova.com

Quando padre Roger Luís, Eliana Ribeiro e eu estávamos para organizar um projeto, nasceu este Acampamento “Encontramos o Cristo”. E ao rezarmos, o Senhor nos deu esta Palavra: “No dia seguinte, estava lá João outra vez com dois dos seus discípulos. E, avistando Jesus que ia passando, disse: Eis o Cordeiro de Deus” (Evangelho de São João 1,35). Eu quero ressaltar a figura de  André.  Foi ele quem apresentou Jesus a Pedro. Houve alguém que o apresentou a Jesus?

Aqui está a palavra-chave para este momento de partilha: “permanecer”. Uma coisa é estar, outra coisa é permanecer. Ontem, padre Roger Luís falava sobre Tomé; hoje quero falar sobre Pedro (cf. João 15). Quem permanece em Cristo dá frutos, como a videira. Se você arrancar os ramos dela, essa planta morre.

Certa vez, ao passar em frente a uma loja eu vi escrito assim: “Necessita-se de vendedor com experiência”. Muitos de nós temos o encontro com Cristo, mas não permanecemos. Ficamos em busca de horóscopo e de tantas superstições. Ficamos na fé do “vai e vem”, de tudo aquilo que sopra e nós vamos atrás. O Senhor necessita de cristãos com experiência. Cristão com experiência não se deixa levar por qualquer vento, ele tem têmpera. Ele sabe e espera o tempo de Deus, mesmo que não o entenda. Quando fazemos a experiência com Deus, permanecemos com Ele e sabemos esperar o tempo d’Ele e ser contrariados [em nossa vontade própria].

“Disse-lhes Jesus: ‘E vós quem dizeis que eu sou?'” (Mateus 16,15). Muitas vezes, nós nos encontramos com Cristo, estamos na presença d’Ele e O deixamos por pouca coisa. Meu encontro pessoal com Cristo se deu quando eu tinha 13 anos de idade. Sou do Rio de Janeiro, e estava em um retiro chamado FIJ (Formação Integral para os Jovens). Nele me perguntaram: “O que você quer ser no futuro, quando crescer?”. Eu respondi: “Olha, eu quero só ser de Deus, mas não padre, quero viver a minha vida para Deus”. Quando eu completei os meus dezoito anos de idade, eu fiz o discernimento vocacional e, depois desse tempo, ingressei na Comunidade Canção Nova com 19 anos. Com 13 anos, eu dei meu “sim” a Deus, mas, depois fui me distanciando do Senhor, até que, com o tempo, voltei e me dispus a fazer a vontade de Deus novamente. Talvez isso também tenha acontecido com você. Talvez você tenha se perdido no meio do caminho, mas, quando é vontade de Deus, esse desígnio vai se realizar em sua vida. Desígnio é algo para o qual Deus o criou para você viver e ele precisa acontecer.

Muitas vezes, somos como o filho pródigo do Evangelho e nos perdemos. Mas você só tem um lugar para voltar quando você já esteve lá. Por isso, ou você viveu um encontro de verdade com Cristo e, quando se perder, voltará para este encontro, ou você ainda não teve essa experiência com o Senhor, por isso se deixa levar por qualquer vento. Pedro sabia para onde voltar mesmo depois de ter negado a Cristo (cf. Mc 14, 66-72; Mt 26, 69-75).

Se, ao longo do caminho, você se perdeu, saiba que Jesus virá até você! Mesmo que você não vá até Jesus, Ele vem até você! Existe uma experiência que Jesus quer fazer com você hoje.

Se você no dia a dia você não busca o Senhor, você se perde. Nós temos mania de nos entulhar com coisas; neste encontro, o Senhor que fazer com que recomecemos. Se não permanecermos no Senhor, não daremos frutos (cf. João 15). O mundo necessita de cristãos que deem frutos, as pessoas, quando se encontram com você, precisam fazer uma experiência com Jesus! Como é a forma que vão nos reconhecer como cristãos neste mundo? Temos dado um autêntico testemunho cristão? Deus tem um desígnio a seu respeito. É preciso realizar o desígnio que Deus tem para você, porque, caso contrário, você vai viver perdido por aí.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D’Onofrio.

contribuicaocn

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo