Viver uma vida profética

Padre Roger Luís - foto: arquivo cancaonova.com

Padre Roger Luís – foto: Arquivo cancaonova.com

“Ainda que as pessoas não nos escutem, somos chamados a anunciar o Senhor e a sermos profetas de Deus”

Em tudo seja louvado o Senhor! Queremos agradecer ao Senhor porque Ele se manifestou de maneira muito real e concreta, a ponto de podermos dizer que “Encontramos o Cristo”.

Ao lermos o livro de Ezequiel no capítulo um, podemos perceber que ele teve visões extraordinárias da parte de Deus, a visão foi plena de sinais. No final do capítulo 1 está escrito que foi tão forte que ele foi arremessado ao chão.

“Como o arco-íris que aparece nas nuvens em dias de chuva, assim era o resplendor que a envolvia. Era esta visão a imagem da glória do Senhor.” (Ezequiel 1,28). O que Ezequiel escuta é justamente aquilo que o Senhor quer dele a partir do seu encontro com Ele. Deus quer algo deste homem, tem um propósito para ele.

:: Leia a liturgia deste Domingo

Quando experimentamos Deus, Ele nos leva a testemunhar. Ele disse: “Naqueles dias, depois de me ter falado, entrou em mim um espírito que me pôs de pé”. Este Espírito era o Espírito Santo, que mais tarde foi revelado por Jesus. Deus dá uma missão a este homem: “Filho do homem, eu te envio aos israelitas, nação de rebeldes, que se afastaram de mim. Eles e seus pais se revoltaram contra mim até o dia de hoje. A estes filhos de cabeça dura e coração de pedra, vou-te enviar, e tu lhes dirás: ‘Assim diz o Senhor Deus’”.

Você e eu somos convidados a dizer às pessoas que se voltem para o Senhor e a não nos calarmos, mas testemunharmos. Encontrar o Cristo é também deixar, deixar tudo o que não nos aproxima do Senhor.

Ainda que as pessoas não nos escutem, somos chamados a anunciar o Senhor e a sermos profetas de Deus. Se nos escutarem, “amém”, mas se não nos escutarem, ao menos saberão que existiu um profeta no meio deles.

Profeta é aquele que fala em nome de Deus, é aquele que é chamado a transmitir a mensagem de Alguém que é superior a ele. Comportar-se como um profeta é agir de modo diferente, não se sentindo em um nível mais alto que os outros nem melhor que eles. Ter um comportamento profético no século XVI é ter a coragem de incomodar o mundo que está nas trevas.

Viver profeticamente é oferecer a outra face, perdoar até setenta vezes sete, perdoar sempre, não viver no meio dos zombadores.

Quer viver como um profeta no século XXI? Seja casto antes do namoro, durante o namoro e no noivado. Viver uma vida profética é ser um marido fiel, ser a favor da vida, contra o aborto, contra a manipulação de embriões, ser a favor da família: pai, mãe e filhos. Podem não acolher você, mas saberão que no meio deles houve um profeta.

Um católico de verdade nunca será a favor da ideologia de gênero. Não podemos aceitar a adulteração do ser humano. Precisamos ser muito fortes em nossa crença, existem muitas coisas que não mudam. Na Igreja Católica existem coisas que são assim e ponto. Existe um catecismo, um compêndio de doutrina social que a Igreja vive, isso é ensinamento, é salvação doa a quem doer.

Recebi uma carta de um homossexual e me senti comovido. Ele me disse que vivia na prática da homossexualidade e que, depois que começou a acompanhar a Canção Nova, tomou a decisão de viver a castidade. E afirmou que nunca se sentiu agredido por aquilo que a Igreja ensina, ele entendeu que não estamos agredindo ninguém; muito pelo contrário, queremos o bem de todos, a salvação de todos.

As vozes proféticas levantaram-se nos últimos anos e não estamos vendo. O Brasil só será purificado se tomarmos vergonha na cara e vivermos profeticamente!

Quer viver uma vida profética? Ore por aqueles que o perseguem, abençoe os que o amaldiçoam, visite os enfermos, os órfãos e tantos outros que precisam de Deus. Preciso honrar a Deus com o profetismo da minha vida. “Quer te escutem, quer não — pois são um bando de rebeldes — ficarão sabendo que houve entre eles um profeta”.

Assim foi com Jesus, os Seus não O receberam, a ponto de não poder fazer muitos milagres na própria cidade. Eles esperavam um messias do jeito deles e não do jeito do Pai. Veja se você também não é assim com a Igreja, se você não a rejeita porque quer fazer segundo a sua própria vontade.

Quando Deus se manifesta pela boca da Igreja, acolhemos o que Ele fala? Vamos olhar para os Papas como Paulo VI, beato que, em tempo de crise, escreveu uma encíclica determinando que a Igreja é contra o anticoncepcional, contra a pílula do dia seguinte. O Papa João Paulo II que defende a vida desde a concepção até a sua morte natural. Bento XVI que foi contra a teoria do relativismo e tantos outros profetas de Deus que viveram em meio a nós nos últimos tempos.

O povo daquela época de Jesus, empacado na descrença, não soube ir além e ouvir a voz do Senhor. Somos sábios o suficiente para ouvirmos o Senhor? A pregação sempre será ocasião de perseguição. O Evangelho não é uma teoria, mas uma prática de vida. Triste do pregador que anunciar a Jesus guardando a si mesmo, separar a pregação do seu modo de viver!

Estamos em mundo secularizado que zomba de nós que encontramos o Cristo. Quando você for ignorado e ridicularizado por pregar a Palavra, saiba que o profeta não é bem aceito em sua própria casa. Lembre-se deste Evangelho de hoje: “Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares”.

Encontrar o Cristo é sair pelo mundo sabendo que você tem um chamado a ser profeta, saber que Deus o envia às nações para ser luz, sabendo que Jesus Cristo é o Senhor de nossas vidas.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair 

Você pode adquirir esta pregação em áudio ou vídeo pelo telefone: (12) 3186 – 2600 

contribuicaocn1

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo