Qual é a diferença entre os anjos da guarda e os demônios?

Anjos e demônios trabalham por uma causa

qual_e_a_diferenca_entre_o_ anjo_da_guarda_e_os_demonios?

Padre Paulo Ricardo. Foto: Arquivo/cancaonova.com

Nós viemos a este mundo para amar e servir a Deus, e com esse amor alcançarmos o céu. Nós estamos aqui de passagem, estamos nos preparando o céu, mas, muitas vezes, esquecemo-nos disso.

Um pouco da história dos primeiros cristãos

O Cristianismo teve início durante a Idade Média, e surgiu num tempo de caos, o qual durou vários séculos.

Quando os cristãos começaram a organizar a sociedade, as pessoas tinham uma única preocupação: o céu. Por isso construíam grandes catedrais. As pessoas se sacrificavam para construir uma catedral que demoraria uns duzentos anos para ficar pronta, ou seja, elas não poderiam participar nem mesmo de Missa. Mas esses construtores acreditavam que o importante era amar a Deus e buscar o céu. O mundo era focado, e embora as pessoas da Idade Média pecassem, elas estavam focadas no céu.

No fim de 1950, aconteceu uma doença chamada Peste Negra, um mal que matou milhares de pessoa, calcula-se que cerca de metade da Europa morreu. Depois da Peste Negra, os bons padres iam socorrer os doentes e morriam, os maus fugiam. As pessoas boas se dispunham a ajudar os doentes e também morriam, mas os materialistas e egoístas, fugiam. Essa doença foi como um mal enviado por satanás, que matou as pessoas boas e deixou que as ruins sobrevivessem.

Em 1953, começou um fenômeno de literatura pornográfica, com narrativas pornográficas, e as pessoas começaram a cultuar o inferno. Um século depois, no Renascentismo, as coisas já estavam tão graves, que começou a pedofilia e a prostituição. Foi essa a sociedade que fundou o mundo moderno.

Nós somos fascinados, encantados e hipnotizados pela vontade de ser feliz aqui e agora. As coisas só ficaram piores depois que veio a Revolução Industrial, quando as pessoas ficaram mais focadas no dinheiro; elas se esqueceram a razão pela qual vieram ao mundo. A sociedade já deixou de ser cristã faz tempo, mas o pior é quando nós cristãos vamos à missa, no domingo, mas nos esquecemos de ser cristãos. O mais importante para o cristão é o “para que” ele está aqui. A nossa missão é amar e servir a Deus, para assim alcançarmos a felicidade no céu. Se não tivermos essa verdade bem enraizada em nosso coração, deixaremo-nos levar pelas coisas do mundo.

Qual é a missão do Anjo da Guarda?

Não adianta falar de anjo da guarda se você não sabe o que veio fazer nesta terra. Acima de tudo, o anjo da guarda quer levar você para o céu, e ele está focado nessa missão. “De que adianta ganhar a vida e perder o céu?” (Mc 8,35),

Pessoas vêm no confessionários e dizem: “Padre, eu não aguento mais! A tristeza tomou conta de mim, nada do que eu faço dá certo. Há doenças na minha família; a minha empresa faliu”. O problema dessa pessoa é que ela está fora do foco; ela acha que a felicidade está neste mundo.

O nosso anjo não perde o foco, mas nós o perdemos, somos desfocados. «Cada fiel tem a seu lado um anjo como protetor e pastor para o guiar na vida» (CIC 202). Você precisa estar em sintonia com seu anjo, pois os demônios entram na sua vida sem pedir permissão. A primeira ação do demônio é fazer você perder o foco, achar a que a felicidade está aqui; assim ele lhe oferece o sexo, o dinheiro, as coisas do mundo. E esse mesmo demônio, que o tentou a buscar essas coisas, joga na sua cara essas palavras: “Você buscou a felicidade, mas não a encontrou. Deus o abandonou. Onde está o seu Deus, que deixou você sofrer?”.

É interessante notar como os anjos são focados! Zélia, a mãe de Santa Terezinha, teve nove filhos; Terezinha foi a nona. Se eles tivessem tomado anticoncepcional, não teriam Santa Terezinha. Desses nove filhos, quatro morreram na infância: José, João Batista, Tereza e Helena. Uma mãe que perde quatro filhos devia ter um coração triste, mas, como ela era focada, a família olhava para esses quatros filhos como santos intercessores, porque eram crianças. Pai e a mãe que perdem um filho choram, é claro, mas se olharem com foco espiritual do céu, poderão dizer: “Pelo menos cumpri a minha missão. Levei os meus filhos para o céu”.

É importante você ter essa noção de que o seu anjo da guarda está a sua disposição e a seu serviço de Deus para levá-lo ao céu. Nós somos príncipes, porque fomos feitos para reinar no céu, na glória que Deus preparou para nós. Um “principezinho” vai ter um supervisor que lhe ensinará tudo, a fim de que seja obediente. O menino que um dia for rei precisará ser servo de um mestre que trabalha para o Pai. E nosso anjo da guarda é esse mestre, esse pastor que vai nos ensinar a ser dóceis para irmos ao céu.

Na prática, como eu posso me relacionar como meu anjo da guarda?

Onde há pessoas há uma multidão de anjos ao nosso lado. Os mesmos anjos que estão ao nosso lado, estão no céu contemplando a glória de Deus, ou seja, temos uma pessoa santa ao nosso lado diretamente, e ela está preocupada em nos levar para o Senhor. O anjo é mais poderoso que nós, pois é santo e sábio. Veja a humildade dos nossos anjos! É como se houvesse um Papa ao nosso lado, carregando nossas malas. Deus não nos abandona e os anjos fazem parte da providência divina.

Talvez, você se pergunte: “Padre, Deus precisa de anjos?”. O bonito é isso, Deus não quer nos amar sozinho. Quando amamos, é o amor do Senhor que chega até nós. O mesmo se dá com o anjo da guarda. Que grande alegria é para nós sermos servidos por esses anjos! A primeira prática é venerá-Lo, agradecer-Lhe e respeitá-Lo. Essa história de anjo da guarda não é para criança, é o que a Igreja Católica crê. Os santos atestam, e eles receberam de Deus, a graça de, muitas vezes, ver os anjos.

São Padre Pio puxava a orelha dos seus atendentes espirituais ao lhes dizer: “Ei, não deixem de dar trabalho para o anjo de vocês!”. Se você precisa de ter uma conversa difícil, peça que seu anjo da guarda converse com o anjo da pessoa. Nessa viagem para o céu, o nosso santo anjo sabe o caminho. Peça que ele providencie as coisas necessárias para a sua salvação. Peça que ele o inspire e aconselhe.

A oração é necessária para a nossa salvação. Quem reza se salva; quem não reza se perde. Nós temos um mestre de oração ao nosso lado. Se vamos rezar, peçamos ao anjo que nos ensine. Peçamos que ele afaste de nós os inimigos, que exorcize os demônios a nossa volta.

Pais, rezem pelos anjos da guarda dos seus filhos. Infelizmente, muitos pais estão preocupados com as coisas da Terra, não estão focados no céu.

Nós somos descendentes de homens materialistas, pagãos e esquecidos de Deus, homens de séculos atrás. Mas o Senhor nos dá santos anjos para nos ensinar a amá-Lo e servir-Lhe. Nosso anjo é nosso protetor contra os ataques do inferno. Pode ser que seu anjo não o ensine a ganhar na loteria, mas ele o ensina a ir para o céu.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D’Onofrio.

Adquira essa pregação pelo telefone: (12) 3186-2600

contribuicaocn1

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo