Eu acredito no amor

Eu acredito no amor

Adriano Gonçalves – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

O que difere o amor cristão do amor mundano: é que o amor cristão é o amor que leva para Deus.

A música que marcou esse encontro é profética para a nossa vida daqui para frente. É a música “Teus planos”, de Juninho Cassimiro:
“Eu me abro ao Teu querer. Eu me rendo a Tua voz. Quero me submeter. Quero conhecer Teu planos.
Os passos que dei sem você, Só me fizeram fracassar. O tanto que eu já chorei… Me arrependo dos meus planos
Sem Ti nada posso fazer. Onde eu posso ir
Se o céu que eu procuro só vira por Tua voz? Os meus passos são Teus, o meu próximo minuto é Teu. Se não for assim, não me deixe ir. Dou minha mão para Ti, Fecho os olhos e confio em Ti, Leva-me Senhor.
Quero me submeter.
Quero conhecer Teus planos”

Ela será para você o combustível, para que você não desista do amor. Quando estiver tudo difícil, você vai lembrar que você não só vestiu uma camisa, com o tema: “Eu acredito no amor”, mas que realmente você fez uma experiência e não vai desistir do amor.

Depois que você sair desse acampamento, pode ser que venham momentos em que você vai querer desistir… Mas essa música já me alimentava e vai alimentar você: são os Teus planos que eu quero, Senhor!

Vamos abrir a Palavra em João 8:

“Dirigiu-se Jesus para o monte das Oliveiras. Ao romper da manhã, voltou ao templo e todo o povo veio a ele. Assentou-se e começou a ensinar. Os escribas e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher que fora apanhada em adultério. Puseram-na no meio da multidão e disseram a Jesus: Mestre, agora mesmo esta mulher foi apanhada em adultério. Moisés mandou-nos na lei que apedrejássemos tais mulheres. Que dizes tu a isso?” (João 8, 1-5)

Não sei quais são os escribas que se levantaram e te colocaram no meio dizendo que sua vida não valia nada, talvez esse escriba seja você mesmo, que assumiu para si uma vida qualquer. Não sei se a tua história te colocou no meio dessa multidão para ser apedrejado.

A única certeza é que todos nós chegamos aqui em algum ponto da nossa vida ‘adulterados’. Situações, pessoas que nos apontaram o dedo e disseram: não tem mais jeito, você não tem jeito.

E a Palavra segue:

“Jesus, porém, se inclinou para a frente e escrevia com o dedo na terra” (João 8,6).

O Senhor teve essa atitude: de se inclinar, para frente, para aquilo que te espera. É assim que Ele se aproxima de você. Você não tem o direto de sair desse acampamento com os pés lá atrás. Você pode ainda estar com um pé naquilo que te adultera, que tira você do centro da vontade de Deus, mas o Senhor diz: pra frente!

O que será que o Senhor escrevia no chão? Ninguém sabe… Mas ali, enquanto Ele escrevia, as pessoas insistiam com a acusação. Mas Jesus tem coragem de olhar para a nossa história, de nos olhar nos olhos. Ele não falou nada, só chamou os escribas à consciência, disse: “Quem aqui nunca errou?”

Depois de novo Ele volta a escrever na terra. E eles foram se retirando um por um, a começar dos mais velhos. E Jesus ficou sozinho com a mulher. O Senhor está com você, sozinho com você.

“Então ele se ergueu e vendo ali apenas a mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão os que te acusavam?” (João 8,10) Jesus te vê. Ele ali não chamou ‘a pecadora’, mas Ele viu a mulher!

Ninguém tem o direito de te acusar pelo que você fez. Só um olhar é capaz de te levantar e é o olhar de Jesus. O Senhor te levantou nesse acampamento. E ao voltar para casa, mesmo que as pessoas ainda te vejam como o drogado, o adúltero, a menina fácil… o Senhor te vê como pessoa, com toda sua dignidade. Diga comigo: ninguém, nada vai me acusar mais! Nada mudará os planos de Deus para a minha vida!

Disse-lhe então Jesus: Nem eu te condeno. Vai e não tornes a pecar. Pode ser que você ainda esteja adulterado e essa última pregação quer te chacoalhar. Se você ainda diz: eu não vou conseguir, você ainda está adulterado.

Eu acredito no amor 2

Juventude acompanhando a pregação de Adriano Gonçalves – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Para o amor verdadeiro acontecer, o Papa João Paulo II diz que existem quatro fases no amor: atração, o desejo. Esse é o primeiro nível, não é amor ainda. O segundo nível é o nível da emoção: “nossa, como é bom estar com ele (a)”! No amor precisa haver isso, mas não basta.

Terceiro nível: o valor da pessoa, quando vejo a dignidade do outro. Não é só corpo, só sentimento, mas o valor do outro, enquanto filho de Deus. É o valor do respeito. Mas o que difere o amor cristão do amor mundano: é que o amor cristão chega no quarto nível, que é o amor que leva para Deus.

Um critério para saber se a pessoa que está ao seu lado é a pessoa certa é se ela te faz mais de Deus. Se ela não te faz ser mais de Deus nós estamos adulterados. Você que está namorando: não tenha medo de terminar esse namoro se ele (a) não te leva para Deus.

Como diz a música: os passos que dei sem você só me fizeram fracassar… Quais passos você tem dado sem Deus? Não dá pra gente continuar com uma vida qualquer. Pureza é a integração dos quatro níveis do amor. Você precisa ordenar seus afetos para atingir o 4º nível, o amor que conduz o outro a Deus.

A Simone Oliveira, de Itajubá, 35 anos, que está aqui conosco, me mandou um e-mail dizendo que tem um relacionamento de 18 anos, tem uma filha de 17, mas estava vivendo uma vida toda errada, achando que estava tudo certo… Ela veio no Acampamento Revolução Jesus de 2014 e voltou decidida a mudar de vida.

Chegou em casa, retomou a vida na Paróquia e fez esse voto com Deus. Pediu ao Senhor a graça do matrimônio, porque morava junto, mas não era casada. Casaram-se dia 27 de dezembro e o marido hoje está engajado na Igreja.

No e-mail ela disse que estava mais ansiosa pelo dia 28 do que pelo dia 27, pois receberia o Seu amor maior: Jesus na Eucaristia. Ela poderia ter parado no primeiro nível, mas ela queria o 4º nível: levar o outro para Deus! Faça como ela, rompa com aquilo que não te leva para Deus!

No ano passado tive a graça de conhecer uma família fantástica. O pai exercendo sua autoridade, a mãe, super centrada, exercendo seu papel de mãe. Eu quero ter uma família assim com a Letícia. Eu chamei essa família para vir no Revolução Jesus e eles vieram. Uma família santa! O Acampamento Revolução Jesus é voltado para o jovem, mas a família toda é atingida.

O que eu mais aprendi no Revolução Jesus é que a gente precisa ter do lado aquele que é de Deus. Só posso deixar o “adultério” da minha vida se eu estiver assim: lado a lado com alguém de Deus!

Não basta um casal que se fecha nos dois, dizendo: nós dois nos bastamos e pronto. Não! Eu fui feito para a Comunidade. Sem os irmãos da Canção Nova eu não teria realizado esse Acampamento, as trilhas… Mas Revolução Jesus também não é só Comunidade Canção Nova. Graças a Deus temos aqui: Shalom, Pastor Nelson, Jason, que vive num país que está muito a frente de nós na Teologia do Corpo.

Quando você voltar para casa, mesmo que você se ache frágil demais, mesmo que muita gente tente te tirar do caminho, vai ter gente te puxando para te segurar. Quem são essas pessoas? Quando a gente está na vontade de Deus a gente não está sozinho!

É assim que a gente precisa sair da Canção Nova: juntos, em bando, dizendo: Eu acredito no amor, no amor livre, fecundo, que vai me levar para o céu.

O Monsenhor Jonas não pôde estar conosco, mas deixou uma mensagem de áudio: Aguenta firme, meu Filho, seja firme, seja forte! É o Padre Jonas que ama muito cada um de vocês porque sabe que você quer ser santo como eu quero ser santo.

Para ser todo de Deus só sendo cheio do Espírito Santo. A maior prova de amor está aqui, na cruz! Menina, pare de sofrer esperando prova de amor! A maior prova de amor já nos foi dada por Jesus! Coloque Deus no centro da sua vida! Clamemos juntos o batismo no Espírito Santo! Oremos!

Transcrição e adaptação: Thaysi Santos

Adquira essa pregação pelo telefone:
(12) 3186-2600


Adriano Gonçalves


Missionário da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo