Família: meu pai trabalha e eu também

Padre Junior Periquito. Fotos: Daniel Mafra/cancaonova.com

Padre Junior Periquito. Fotos: Daniel Mafra/cancaonova.com

Pai e mãe são a porteira da vida, trabalham para sustentar a família. Muitas vezes, nós passamos a vida inteira murmurando, porque tivemos que trabalhar na infância, mas quando trabalhamos, a vida ganha um novo rumo. Na passagem dos talentos (cf. Mt 25,14-30), Deus deu cinco talentos para um, a outro dois, e um ao terceiro. O que tinha cinco, fez render mais cinco; o que tinha dois, fez render mais dois; e o que tinha um, enterrou seu talento por causa do medo de perdê-lo.

Nós temos uma família, mas muitas pessoas, quando criança, perdemos alguém, o pai ou a mãe. Então, teve de se virar sozinho na vida. Talvez, tenha tido de trabalhar na roça com os avós. E hoje, justificam-se dizendo que são assim, porque não tiveram pais ou porque não tiveram carinho. Eu lhe digo: Você é muito mais do que isso! Deus ama você muito mais que o seu pai e sua mãe. O amor d’Ele é tão grande que não acaba. Morre o pai e a mãe, mas o amor de Deus continua. Na Bíblia diz: “Mesmo que sua mãe se esqueça de ti, Eu jamais me esquecerei” (Isaías 49,15). Ele nos ama no trabalho, na dor e em qualquer situação.

Meu pai sempre trabalhou. E Deus quer operários junto d’Ele. Por isso, uma família que se ama tem de trabalhar. Não somente capinando, mas trabalhar no amor. Quantos jovens estão perdidos, porque os pais não têm coragem de colocar “rédias” neles, não sabem dizer ‘não’. O trabalho inclui duas realidades: material e espiritual. A realidade material é promover os bens materiais. A realidade espiritual é colocar amor dentro de casa, colocar valores humanos e religiosos. O trabalho nos dá dignidade, nos forma na vida.

O meu pai e a minha mãe trabalham com a lida no campo. Meu pai sempre trabalhou e eu trabalho desde menino. Havia dias em que eu passava sem ver o meu pai. Eu era menino, e quando acordava, ele já havia saído para tirar leite na roça.

Nós precisamos aprender a trabalhar desde pequenos e, claro, estudar também. Eu me lembro de que, na minha época, não havia ninguém para nos levar para a escola, que ficava na cidade. Então, meu pai disse: “Você vai capinar ou prefere estudar?”. E eu dizia: “Ai pai, prefiro estudar”. Meu pai disse: “Então, você vai plantar ‘uma roça’ para comprar uma bicicleta e ir para a escola”. E quando era para ir à Missa, que tinha uma vez por mês, nós íamos a cavalo. Nossa vida sertaneja é assim. Se o Pai do Céu trabalha, nós também temos de trabalhar. Meus pais sempre trabalharam na roça com meus avós; eles lidavam com o gado. O trabalho dignifica as pessoas.

Nós nunca passamos necessidade, nunca passamos fome, porque meus pais sempre trabalharam muito. E que lindo é viver a simplicidade! Deus está nas coisas simples. Eu tenho certeza que muitos filhos estão pensando: “O que meus pais fizeram por mim, mas eu tenho desprezado?”. Eles se esquecem do quanto os pais o amam, o quanto já trabalharam e deram a vida por eles. Talvez, desprezemos nosso pai, porque ele tem um vício, ou a mãe, porque tem um defeito; mas nos esquecemos do quanto eles já fizeram por nós.

“Se o Pai do Céu trabalha, nós também temos de trabalhar”, disse padre Junior Periquito. Fotos: Daniel Mafra/cancaonova.com

Se você já perdeu seu pai e sua mãe, e queria lhes agradecer, agradeça a eles, agora, no seu coração. Valorize seu pais, cuide deles, porque, um dia, eles cuidaram de você. Não deixe o tempo passar, não deixe de amar a sua família. Foi dentro do nosso lar, na nossa família que Deus nos fez nascer. Talvez você diga: “Deus tinha de ter me dado um pai e uma mãe melhor”. Louve a Deus, porque, se não fosse por eles, você não seria o que é hoje, você não estaria aqui. Essa família é a porteira da sua vida.

Pais, façam esta oração: “Eu me comprometo a ser um bom pai, a ensinar meus filhos a amarem a Deus. Eu me comprometo a ensinar os meus filhos os valores e a dignidade do trabalho. Eu quero ser pai, assim com Deus é Pai, quero passar para eles proteção, amor e coragem, assim como Deus nos ensina. Pai do céu, ensine-me a ser pai assim como o Senhor o é”.

Mães, façam esta oração: “Eu me comprometo a ser uma mãe melhor, a ensinar os caminhos de Deus para meus filhos. Comprometo-me a ensinar aos meus filhos a rezarem o terço, a ler a Bíblia e ir à Missa. Eu quero ser uma mãe do jeito que Maria é Mãe. Nossa Senhora, cuide de mim, me ame e me proteja. Eu também quero ser assim como a Senhora, quero ensinar a meus filhos, netos e enteados o caminho de Deus”.

O trabalho que o Senhor está fazendo em nós está só começando. Pais, eu lhes digo: namoro é namoro, casamento é casamento. Não deixem seus filhos ter uma vida sexual no namoro, dentro da casa de vocês. A família é território santo. Por isso, muitos namoros não duram muito, porque logo já fazem tudo e perdem o mistério do casamento. Os pais precisam educar sua família nos valores cristãos, precisam ser “porteiras”, mas também “cerca” para colocar limites. O pai e a mãe, quando põem uma cerca para os filhos, é para eles serem formados. Os filhos que querem ser sábios precisam ouvir os conselhos dos pais.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D’Onofrio.  


Padre Junior Periquito


Celebra missa para cultura sertaneja

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo