Misericordia Divina, fonte de milagres

misericordiadivinafontedemilagres

Frei Josué. Foto: Wesley Almedia/cancaonova.com

A misericórdia de Deus na nossa alma e nos nossos relacionamentos é o grande milagre de que o mundo precisa

“Escreve, fala da Minha misericórdia. Diz às almas onde devem procurar consolos, isto é, no tribunal da misericórdia onde continuo a realizar os meus maiores prodígios que se renovam sem cessar. Para obtê-los não é necessário empreender longas peregrinações, nem realizar exteriormente grandes cerimônias, mas basta aproximar-se com fé dos pés do Meu representante e confessar-lhe a própria miséria. O milagre da misericórdia de Deus se manifestará em toda a plenitude. Ainda que a alma esteja em decomposição como um cadáver e ainda que humanamente já não haja possibilidade de restauração, e tudo já esteja perdido – Deus não vê as coisas dessa maneira. O milagre da misericórdia de Deus fará ressurgir aquela alma para uma vida plena. Ó infelizes, que não aproveitais esse milagre da misericórdia de Deus! Clamareis em vão, pois já será tarde demais.” (Diário, 1448).

Queridos irmãos, é tempo de misericórdia! Estamos vivendo um tempo difícil e confuso, quando há muita comunicação, mas pouco relacionamento. O inimigo tem tentado semear a miséria e a tentação entre nós. Temos buscado uma justiça que, muitas vezes, não vem de Deus.

Precisamos entender que agora é o tempo de aproveitar a misericórdia, porque talvez não possamos experimentá-la mais. A misericórdia de Deus na nossa alma, nos nossos relacionamentos é o grande milagre de que o mundo precisa. Nós precisamos, com urgência, viver as bem-aventuranças: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançaram misericórdia”.

Todas às vezes que Jesus fala do fim dos tempos, dos últimos momentos na hora da nossa morte, Ele muda o discurso, dizendo que haverá justiça: “Ali haverá choro e ranger de dentes”. Não esqueçamos que, depois da misericórdia, haverá justiça; por isso precisamos aproveitar este tempo da misericórdia.

Quando Santa Faustina vê aquelas almas sofrendo, ela lhes pergunta: “Qual é o seu maior sofrimento?”. E elas dizem: “A saudade de Deus”. Tentando ela ajudar aquelas almas, Jesus lhe diz: “Minha filha, não queira fazer a justiça, porque antes da minha justiça vem a misericórdia”.

Não podemos nos esquecer de que a medida que nós medirmos seremos medidos. Uma vez, Faustina pediu para que o Senhor mostrasse como Ele a vê, e o Senhor lhe mostrou. Ela teve muita dor, porque viu a miséria de sua alma. E Deus lhe disse: “Olhe para a sua miséria, mas com o meu olhar! Se encontrares lagos de miséria, mas olhar para Mim, você vai ver oceanos de misericórdia”.

Misericordiadivinafontedemilagres

Peregrinos participam da Festa da Misericórdia na Canção Nova. Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Palavra meditada: Mateus 15,21

Meus queridos irmãos, como é importante entendermos a Palavra de Deus, porque ela é viva, é atual. Muitas multidões tocavam Jesus, colocavam-se à Sua frente, e Ele curava essas pessoas. Jesus foi para a terra dos pagãos, porque lá havia ovelhas perdidas. Jesus deixou os anjos e o céu para vir atrás da ovelha perdida, que é a humanidade.

Jesus vai atrás da ovelha perdida! Um dia veremos quantas vezes Ele foi atrás de nós! Como Jesus nos ama e é misericordioso! Um dia entenderemos esse amor de um Deus que vem atrás de nós mesmo quando nós não O amamos. Jesus está nos chamando, e todo chamado tem uma resposta. Ele fez o que ninguém poderia fazer por nós.

A primeira resposta que Jesus quer de nós é que gritemos, que O chamemos; o Senhor quer que gritemos com a alma. Ele está entre nós, mas quer que também O procuremos. O Senhor não pode arrombar a porta do nosso coração, por isso temos de começar a buscá-Lo!

A mulher cananeia começa a gritar: “Minha filha está cruelmente atormentada pelo demônio”. Essa é a Igreja que grita também. “O demônio que só vem para roubar, matar e destruir”. Quantas vezes, mesmo que o demônio tenha vencido na cruz, nós nos deixamos subjugar por ele! São João nos diz que quem peca é do maligno; por isso precisamos querer uma mudança de vida. Jesus quer nos tirar das mãos do demônio para realizar muitos milagres em nós.

Jesus pede a Santa Faustina que ela vá em busca das almas tíbias, que são as mais difíceis de voltar para Ele, pois essas almas já conheceram o Senhor, mas O abandonaram.

O Natal é um tempo tão lindo, quando as pessoas decidem se amar! Então, por que nós também não nos abrimos para a conversão, para uma vida nova na Páscoa?

Ninguém dá aquilo que não tem, por isso você precisa experimentar a misericórdia, sentir o amor de Deus. Primeiro, a salvação precisa chegar em nós, para, depois, podermos passar este testemunho de amor.

Quando você está apaixonado, as pessoas percebem o seu sorriso e a sua vontade de viver. Se você voltar o seu coração para Jesus, todas as pessoas da sua casa vão se voltar para Ele, porque Jesus cuidará de você e curará suas feridas. Se você for d’Ele, ele vai cuidar de toda sua família.

O demônio tem feito a festa da miséria na sua família, mas se você deixar Jesus misericordioso entrar no seu coração, ele vai salvar toda a sua família. Precisamos confiar que Jesus quer nos curar.

Jesus disse: “Tudo o que pedirdes recebereis”, mas Ele diz também para perseverarmos na oração. Ou Jesus atende logo seu pedido, porque você precisa, ou Ele vai demorar, pois precisa treinar a sua paciência. Nenhuma oração fica sem ser atendida. Acolha as ovelhas perdidas, principalmente as mais terríveis, porque, um dia, também você vai precisar ser acolhido. Como é terrível a rejeição, o desprezo! Tenha compaixão das pessoas, perdoe aquelas que mais o massacraram, inclusive as pessoas da sua família. Não ligue para a crítica, reze por eles.

Se estivermos na graça do Senhor, tudo concorrerá para nosso bem. Eu sei que o silêncio de Deus dói, e a humilhação das pessoas também. Chore com Deus e deixe-O tirar essa pedra do seu coração! Não infernize a sua vida e o seu coração com o contratestemunho das pessoas. Saiba que, quando sofremos calados, Jesus nos responde. O que mais agrada a Deus é a humildade diante dos ‘nãos’ que recebemos.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D’Onofrio.

Adquira esta pregação pelo telefone: (12) 3186 – 2600 

contribuicaocn


Frei Josué Pereira de Sousa


Ordem dos Frades menores conventuais da Província de Brasília

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo