A alegria de um adorador

Ouça trecho dessa pregação
O centro da nossa fé é a Eucaristia! O que une as pessoas é a presença de Jesus Eucarístico. Quem olha para o Senhor, quem vive Jesus Eucarístico não tem espaço para a infelicidade. A Palavra de Deus, que está no Evangelho de São Lucas 1,39-45, revela os efeitos da presença de Deus na vida de João Batista:

39\’\’Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. 40 Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. 41Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. 43 Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? 44Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio. 45Bem-aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!\’\’

Maria vem nos apresentar a presença do Cristo e, devemos reconhecer na voz de Nossa Senhora, a unção do Espírito Santo. João Batista ainda não havia nascido, mas sentiu a presença de Jesus que vinha por intermédio de Maria. Esta experiência vivida por Isabel nos faz pensar que a presença de Jesus enriquece a nossa vida. É preciso ir ao encontro do Senhor, em Adoração, presente na Eucaristia. Que alegria é podermos viver isso!

Quando Maria saudou Isabel, com certeza, João Batista sabia da existência do Senhor, por isso estremeceu no ventre de sua mãe. Eu pergunto a você: \’Você sabe por que existe?\’ Precisamos compreender que nossa vida é por Cristo, com Cristo e em Cristo e, na presença Dele é que encontramos a alegria e o arrependimento pelos erros do passado. Somos seres humanos, carne e osso, temos sentimento, dores, traumas… mas o que faz a diferença é o nosso olhar fixo no Autor da Vida: Jesus Eucarístico.

Nós, católicos, corremos o risco de estar todos os dias na igreja e nos acostumarmos com as coisas de Deus. Precisamos ter um olhar de adoradores. Quantas vezes chegamos diante de Jesus somente para murmurar. Claro, é preciso ser verdadeiros diante de Deus, mas o mais importante é o louvor, pois a murmuração apaga o verdadeiro sentido da Adoração.

O que importa é que Cristo cresça e que eu diminua! Assim era o propósito de João Batista, quando batizava em nome de Jesus. Diante de Jesus Eucarístico, devemos agir assim também. A vida está em olhar para Cristo e fazer da sua fé a vitória. Jesus é a luz que ilumina todo homem, Ele veio para nos tornar mais humanos, passíveis de erros e acertos também. Ficamos perdidos em nosso mundo; às vezes, nos escondemos de nossa humanidade e o amor é que totaliza o ser humano. Quem tem o amor sabe viver a alegria; e também da mesma forma, quem conhece o amor sabe viver os momentos difíceis. Como diz São Paulo, a provação faz gerar a paciência, por isso, quem ama supera a dificuldade.

O verdadeiro milagre que a Eucaristia faz em nossa vida é a afeição a Cristo. Nós nos tornamos semelhantes a Jesus e é necessário seguir os exemplos Dele diante das situações de nossa vida. Quanto mais temos ciência de nossa missão, mais vigilantes devemos ser. O próprio João Batista foi na contramão de um povo egoísta da época, um povo corrupto, que olhava para si mesmo. Hoje, é preferível falar de coisas que não comprometem a nossa rotina do que andar na contramão das situações. É preciso termos uma conversão frutuosa, aquela que eleva o coração do homem; é preciso bradar o grito de João Batista, clamando a presença do Senhor, na Eucaristia, na Adoração. Quem Adora ao Senhor experimenta milagres!

Transcrição: Anderson Machado
Fotos: Paulo Sérgio Casella


Adquira esta pregação em CD ou VHS
Ligue: (12) 3186-2600



Luiz Antônio de Paula


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo