A quem iremos, Senhor?

Ricardo Sá CN
Foto: Wesley Almeida/Cancaonova.com

O Papa Francisco dedica este ano de 2014 às famílias. Nós corremos o risco de olhar somente para os problemas, para as dificuldades da nossa família, mas temos de parar de reclamar, porque não é assim que a salvação virá para nós. Ela virá da forma que o Senhor quiser.

Não existem soluções mágicas, mas Jesus é misericordioso e sabe o que é melhor para nós. Este ano de 2014 será de graças para nossa família.

Na hora do desespero, queremos uma solução para os nossos problemas. Queremos "abrir a cabeça das pessoas" e colocar lá dentro as coisas de Deus, apontar o mais importante para elas: a Palavra do Senhor. No entanto, isso deve ser feito sem forçar nada, porque, senão, acabam ficando com raiva. Temos de ir aos poucos.

Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carna para nada aproveita; as palavras que eu vos digo são espírito e vida. Mas há alguns de vós que não creem. Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente” (João 6,60-69).

Este Evangelho faz um convite para nós e para nossa família. Temos de parar de fixar nossos olhos apenas no desespero, nos pedidos e nas súplicas. Temos de retomar nossa vida por meio das orações, pois não é sempre que o semeador vai ver a colheita. É necessário ter paciência e fé, seguir um caminho saudável, feliz, simples e exigente como o Evangelho o é. Seguir nosso Senhor sempre dá resultado.

Temos de voltar a rezar, dedicarmo-nos às nossas famílias. Existe um jeito de rezar para que não sejamos pegos pela rasteira da vida, pois de nada valerá rezar se, de repente, começarmos a xingar e resmungar. Assim, as pessoas não veem Deus em nós.

"Jesus é a salvação para nossa família!", afirma Ricardo Sá.
Foto: Wesley almeida/Cancaonova.com


Atitudes de desespero não proclamam o Evangelho na nossa vida. Uma mulher cheia de Deus fica bonita, segura, amável e carinhosa. Hoje, é o dia em que decidimos focar na oração, porque nunca é tarde para rezar; ela tem o poder de mudar todo tipo de situação! Temos de estar confiantes no Senhor para mudar nossa família.

Precisamos de uma família que tenha devoção a Maria e ao Menino Jesus. Amor em família dá vantagem ao outro, ajuda o próximo.

O amor salva; não um amor de qualquer jeito, mas o de Jesus Cristo. Mesmo sentindo-nos sozinhos, podemos nos assemelhar a Cristo. Temos de perseverar em Deus para que os outros, aos poucos, vejam em nós o Senhor.

O mais importante é termos esperança para cuidar da nossa família.

Transcrição e Adaptação: Thaís Rufino de Azevedo

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo