Adoção pelo coração, adoção plena

Padre Fabiano
Foto: Wesley Almeira/Cancaonova.com

Olá, boa tarde! Sou padre Fabiano, moro em Petrópolis (RJ). Sou diretor espiritual da Comunidade Jesus Menino. Celebro, uma vez por semana, na comunidade, e a cada dia vamos descobrindo mais o carisma da comunidade, a riqueza da vida dos consagrados e a riqueza daqueles que lá vivem.

Vejo que o mais importante é a força do testemunho da comunidade, a qual tem o carisma de defender a vida e a dignidade da pessoa. Nós vemos a grandeza da vida que se manifesta na fragilidade das pessoas.

Todos nós temos deficiências. Muitos pessoas têm limitações físicas, outras emocionais, mas nós aprendemos a conviver com essas limitações e respeitá-las.

Cada um tem o seu dom e sua limitação. Olhamos nosso pai, nossa mãe e enxergamos além da limitação. Então, quando cheguei à comunidade, eu fui aprendendo a conviver com meus irmãos que tem limitações físicas.

"Deus nos olha como pessoas de valor", afirma o pregador.
Foto: Wesley Almeira/cancaonova.com

 

Muitas vezes, nós os tratamos como coitadinhos, mas não damos à pessoa a chance de ser tratada como gente. Rotulamos as pessoas e vamos excluindo-as por causa do rótulo.

Hoje, as pessoas são consideradas por sua capacidade de produção. Se não produzem, não servem. Precisamos aprender que não somos melhores do que ninguém.

Na comunidade Jesus Menino, aprendemos a ver as pessoas além de sua limitações. Apesar do mundo dizer que se a pessoa não é o melhor, não tem valor, Deus vem e muda essa mentalidade. Deus nos olha como pessoas de valor.

Somos filhos amados de Deus

“Somos capazes de amar, da mesma forma como Deus nos ama.” Essas crianças, muitas vezes, com tantas deficiências físicas, nos ensina o verdadeiro sentido de amar e se entregar pelo outro. Eles são verdadeiramente capazes de amar a Deus e o próximo.

"Quem dera que famílias, na fila da adoção, adotassem uma criança especial!"
Foto: Wesley Almeira/Cancaonova.com

Como aprendemos com eles a pureza no amar! Eles acolhem a todos, sem medo. São muito abertos.

Precisamos de mais pessoas e espaço físico para acolhermos mais irmãos. Nossa comunidade quer que nenhuma criança seja mais rejeitada. Colocamos, então, toda essa missão por meio das mídias, na Canção Nova. Divulgando esse trabalho, vamos compartilhando com as famílias o sofrimento e a esperança.

Que, ao olhar a família Jesus Menino, possamos viver isso com nossa casa. Quem dera que toda a sociedade pudesse acolher as pessoas que precisam de ajuda.

Quem dera se as famílias que estão na fila da adoção pudessem adotar uma criança especial! Se escolhemos as pessoas para amar, escolhamos as que mais precisam de amor. Se você tem um filho especial, com certeza é uma mãe especial.

Transcrição e Adaptação: Cristiane Viana

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo