Aprendi a sonhar com o monsenhor Jonas

Professor Felipe Aquino
Foto: Robson Siqueira

A Palavra de Deus para iluminar essa reflexão: I Cor 1, 17ss. A sabedoria do mundo e a loucura da cruz. A linguagem da cruz é loucura mas para os que foram salvos é uma força divina. Está escrito no livro de Isaías 29,14 “por isso continuarei a tratar esse povo de modo tão estranho que a sabedoria dos espertalhões se perderá e a inteligência dos astutos desaparecerá”.

Os que são “fracos” no mundo são os que Deus escolheu para confundir os fortes. No tempo de Jesus já havia muitos filósofos, e Ele poderia escolhê-los, mas ele foi buscar homens muito simples, cada um de nós, ainda que seja analfabeto, que não saiba falar, Ele pode usar poderosamente como os apóstolos. É claro que não seja incentivo para parar de estudar, mas Deus também usa dos sábios humildes.

São Paulo continua explicando: “o que é vil e desprezível no mundo, Deus o escolheu, como também aquelas coisas que nada são, para destruir as que são. Assim, nenhuma criatura se gloriará diante de Deus”.

Isso é para que ninguém se vanglorie em nome de Jesus. ‘Eu levei muitas pessoas para o céu porque sou estudioso’, que isso não aconteça. É tudo pela graça de Deus que nos capacita. “E aquele, porém, que se quiser vangloriar, glorie-se de possuir inteligência e de saber, que eu, seu Senhor, exerço a bondade, o direito e a justiça sobre a terra”. (Jer 9,23).

Glorifico a Deus pelos 30 anos de Canção Nova, em 1970 eu conheci o Padre Jonas, eu e mais três irmãos, nós participamos do grupo de jovens “Construindo”, ele estava em Campos do Jordão, quando começou este movimento e nunca mais nos separamos por vontade de Deus.

Eu vim para compreender os desígnios de Deus, que age nas coisas em sua vida. Eu o conheci há 38 anos atrás, o movimento jovem “Cresceu” e em 1973 conhecemos a RCC com Padre Haroldo Hans, através do batismo do Espírito Santo, e fomos caminhando juntos.

Padre Jonas era um homem pobre, e ele me convidou para começar a Escola da Fé, ele morava numa casa simples, e fomos para um colégio fazer o programa, essa foi a semente. Nem eu, nem o Padre Jonas jamais pensaríamos que um dia existisse uma Rádio Canção Nova, esse Rincão, essa maravilha que hoje é.

Tudo começou numa semente, aquilo que nasce grande é monstro, todas as coisas de Deus começam pequenas, e o Mons. Jonas soube cultivar essa semente. Ele poderia ter começado com os Salesianos, mas Deus fez que ele começasse do zero, e ele começou. Quando fui no escritório dele e encontrei uma máquina de escrever automática, eu disse: “Padre como você comprou?” E ele disse: “comprei mas não tenho dinheiro para pagar, Deus é que vai pagar”.

Deus pagou e tem pagado tudo o que existe aqui ao seu redor. Nunca vi o Mons. Jonas cometer um pecado, no trabalho com os jovens, com as mulheres, sempre com aquela seriedade e cuidando de todas as filhas da Canção Nova, essa é a característica dele.

'Nunca vi o Monsenhor Jonas cometer um pecado', diz Professor Felipe Aquino
Foto: Robson Siqueira

Enquanto você estiver buscando a santidade, mesmo que você caia muito, enquanto estiver buscando, Deus lhe dá a graça. A maior desgraça é o diabo falando que você não presta, que não vale nada e só peca, que vai a missa e fica invejando a mulher do outro e daí nós nos sentimos pequeno demais. Mas vai e confesse, se perdoe, porque Deus já te perdoou, não diga que não é digno, não ouse não te perdoar, isso é orgulho refinado. Deus gosta de Santos, pessoas simples.

João Paulo II citou : “A Igreja não precisa de reformadores, ela precisa de santos, os reformadores só bagunçaram a vida da Igreja”. São João Bosco, Inácio de Loyola e muitos outros, são eles que sustentam os alicerces da Igreja, e o da Canção Nova é o Mons. Jonas. Essa expressão vem do amor à salvação das almas, de São João Bosco.

Segundo a frase de um filósofo grego, “o homem é do tamanho dos seu sonhos”. A Canção Nova chega hoje por todos esses lugares por causa do sonho do Mons. Jonas, o sonho de salvar almas. Sou testemunha: Salvar almas, é a mola propulsora que começou tudo na Canção Nova, com TV, Internet, Rádio e tudo para salvar almas. “Dai-me almas e ficai com o resto”, frase de Dom Bosco.

Eu e o Mons. Jonas somos completamente diferentes, sou Físico, gosto de exatas e vejo tudo no laboratório e preciso ver os resultados, esse homem me ensinou a sonhar, quando eu o acompanhava, nunca pensei em fazer pregações, hoje já fiz muitas, até perdi a conta. Nunca pensei em escrever livros e já escrevi mais de 60. Nunca pensei que iria andar pelo mundo falando de Deus e hoje viajo com ele pelo mundo todo.

O sonho do Monsenhor me carregou junto com ele, porque aprendeu a sonhar, sonhar com o pé no chão , não sonhar como um casal apaixonado que sonha viajar sem fazer as contas para onde vai dar. Ele sonhou com as bases em Deus, um sonhador mas não lunático, tem o sonho na esperança de Deus e não no glória dos homens , e foi de degrau a degrau.

Ele começou em Lorena na mesma rua onde eu morava, eu havia mudado para Itajubá, mas sempre estava nos encontros com ele e quando começou foi com jovens solteiros, eu já era casado, nem me preocupei porque eu já era de Deus e Ele há de me usar.

'Glorifico a Deus pelos 30 anos de Canção Nova', afirma professor Felipe
Foto: Robson Siqueira

Quando eu comecei na escola militar entrei em crise vocacional, conversei com o Padre Jonas e o Padre Guedes e com essa crise quis sair da academia, então, o general me chamou e perguntou: “Porque você quer sair, você é um dos melhor cadetes”. Foi em 1970. E eu disse que queria sair do exercito porque queria ser professor, olha como Deus nos guia, os 5 anos que vivi na academia, ganhei boas experiências, mas queria ser professor já, naquele momento. E ele me desligou e me deu 3 anos de carência para eu voltar.

Mas eu nunca mais voltei, quase matei meu pai do coração, porque o sonho dele era ter um filho militar. Deus costurou minha historia lá atrás, e isso devo ao Mons. Jonas e Pe. Guedes.

Não se preocupe com seu caminho, Deus vai traçar seu caminho, o que é preciso é amar a Deus, buscar a santidade e nada mais.

São Paulo diz: “não se glorie”, mas Deus que faz a obra. Quero fazer uma leitura espiritual, Deus pode usar um homem e Ele usou o Mons. Jonas, é claro que ele precisa de todos nós, a providência divina age por causas segundas, Ele toca os corações, e eles O ajudam.

O único lugar que não tem erro é o céu. Qual a instituição que não tem erros? Não existe uma instituição humana que não tem erros. É normal o erro humano, mas é uma instituição que procura constituir para arrumar os erros, eu já vi o Mons. Jonas chamar a atenção de consagrados para melhorar a obra, mas não posso me calar das pessoas que falam mal. Quero exortar, quantas pessoas foram salvas pela Canção Nova, quantas famílias, jovens livres das drogas, e quantas bênçãos derramadas.

Tudo começou com um homem fraco, e vi várias vezes ele chorar, pelas injustiças, mas Deus o guiou, um dia fomos para o Japão, agora só falta a Lua, quando eu poderia imaginar, a grandeza do Mons. Jonas, que me levava nos seu sonhos, ele acreditava em nós, nos formou.

É o momento de dar graças a tudo isso. Um dia, lá no céu, iremos ver quantas almas foram salvas, e Jesus disse: “haverá mais alegria no céu por um pecador que se converta”.

Transcrição: Eliziane Alves




ADQUIRA ESSA PREGAÇÃO PELO NOSSO TELEFONE
(12)3186-2600

 


Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo