Arrancados das trevas

Monsenhor Jonas Abib
Foto: Wesley / Fotos CN

Todo aquele que é escolhido pelo Pai para levar e ser instrumento da sua misericórdia, precisa experimentar desta misericórdia.

A misericórdia do Pai é o próprio Jesus e foi por isso que o Pai enviou o seu Filho e deixou que Ele derramasse todo o seu sangue por nós. Então é preciso que experimentemos a misericórdia do Pai, é necessidade nossa irmos sentindo a misericórdia d'Ele em nossas vidas, para que assim sejamos possuídos por ela.

Nós estamos nos tempos da misericórdia e percebemos a aproximação do Senhor.

Neste tempo, joio e trigo já estão manifestos e nós vemos que hoje o joio está altivo, ousado e fazendo um grande estrago, não mais do que antes, porém hoje mais manifesto. Mas, ao mesmo tempo, o trigo está se levantando cada dia mais, é necessário que digamos: “Eu sou trigo, Senhor, e eu quero ser trigo. Não quero me misturar, Senhor, não quero ser nada de joio, nunca ter nada de joio, porque o Senhor me fez trigo. Eis- me aqui, Senhor”.

O mal ficou mais claro, pois ele não está mais escondido, foi iluminado pela luz do Senhor e ele se manifestou. E isso nos chama atenção e muitos de nós pensamos que ele [mal] está vencendo, porém, isso não é verdade, ele não está vencendo. Mas nós o vemos, porque graças a Deus as trevas foram iluminadas pela luz. É necessário que queiramos ficar longe do joio e próximos da misericórdia do Senhor.

A luz do Senhor ilumina as trevas e é por isso que devemos combatê-las. No entanto, sozinhos não somos capazes de lutar contra elas [trevas], por isso precisamos pedir a graça de Deus.

A Palavra do Senhor por intermédio de Paulo nos diz:

“Sede contentes e agradecidos ao Pai, que vos fez dignos de participar da herança dos santos na luz.” (Colossenses 1, 12)

Devemos ficar contentes e agradecidos porque o Senhor nos fez participar da herança dos santos na luz, pois não éramos dignos dela antes. Mas o Senhor nos fez dignos para participarmos desta herança dos santos, na luz d'Ele. A nossa fé, a nossa esperança, os nossos sentimentos muitas vezes são oprimidos, porém é necessário um redespertar e mais ainda: deixar que o Espírito Santo redesperte em nós esta gratidão e esta alegria, porque o Senhor nos fez dignos de participar da herança dos santos na luz. Continuando em Colossenses capítulo 1, versículo 13, podemos ler o seguinte:

“Ele nos arrancou do poder das trevas e nos introduziu no Reino de seu Filho muito amado.”

A palavra “arrancou” demonstra força, violência, e Deus nos arrancou do poder das trevas para que fôssemos salvos.
Não sei em que grau você viveu nas trevas, muitos viveram em trevas profundas, muitos de nós estávamos jazendo nas trevas e nas sombras da morte. Pode ser que você ainda esteja vivendo nas trevas e nas sombras da morte, mas a grande misericórdia o está envolvendo, você não estava percebendo isso, mas não somente a presença de Deus, também a ação da misericórdia está em você. Porém, você deve estar atento a essa misericórdia, pois você é do Pai, você é Filho do Pai, você é cidadão do céu!
O que aconteceu, foi aquilo que encontramos no Evangelho de São João capítulo 10, versículo 10, no qual vemos que o ladrão veio para roubar e houve momentos em que ele, o demônio, veio e roubou você do Pai, pois o inimigo veio para roubar e matar você. E é por isso que você acabou jazendo nas trevas e nas sombras da morte.

Mas, você, pela graça de Deus, não morreu fisicamente, mas talvez tenha morrido espiritualmente, você ficou fora, longe da graça de Deus e apesar de a Misericórdia de Deus o estar envolvendo, você não percebe e não se deixa envolver por ela, por isso você jaz nas trevas, mas hoje o Senhor quer dar um fim a isso.

'Deus nos arrancou do poder das trevas', diz Monsenhor Jonas Abib
Foto: Wesley / Fotos CN

Deus está arrancando você agora do poder das trevas e o está transladando para o Reino do seu Filho muito amado. Ele está passando você de um lado para o outro. Pode ter acontecido algo, você estava no Senhor, vivia no Senhor, era possuído pela Misericórdia do Senhor, você trabalhava para o Senhor e rezava e O adorava, mas o ladrão é astuto e por alguma brecha ele entrou e roubou você, e agora ele quer levar você para as trevas e as sombras da morte. Mesmo você tendo conhecido a luz.

Você, meu filho, você, minha filha, precisam aceitar a Misericórdia do Pai, que é o próprio Jesus, que faz como aquele samaritano. Veja que o homem a quem o samaritano ajudou, saiu de Jerusalém, que era a cidade de Deus e ele seguiu para Jericó, que era a cidade do comércio, do dinheiro, dos prazeres e já no caminho os ladrões o atacaram, bateram nele a ponto de o deixarem semi-morto ali no caminho.

Se você está nesta situação, saiba que hoje o Senhor faz como aquele bom samaritano, Ele pára diante de você, se debruça sobre você, pois Ele veio mais uma vez em seu auxilio, Ele veio, uma, duas e tantas outras vezes forem necessárias. Porém uma dessas pode ser a última vez… Não espere a última vez em que o Senhor venha e tenha misericórdia de você. Jesus hoje está agachado e para ficar pertinho Ele se debruça sobre você, pois Ele está disposto a cuidar de você. Mas é preciso somente uma coisa: a sua vontade, a sua decisão.

Jesus pode estar pronto para derramar o Espírito Santo e para derramar o seu Sangue sobre você, só que Ele não faz isso sem você querer, sem você permitir. O oladrão faz o que ele quer, ele não respeita sua liberdade, mas Jesus não é assim, o Senhor respeita a sua liberdade. Hoje é o dia de você usar de sua liberdade e jogar-se nos braços de Jesus. E se você estiver como aquele homem, jogado no chão, machucado, ferido, não conseguindo nem se levantar, levante seus braços e levante o seu olhar ao Senhor, pois Ele ajudará você!

É preciso aceitarmos Jesus como o Senhor de nossas vidas, deixarmos as rédeas da nossa vida nas mãos d'Ele. É necessário nos entregarmos a Jesus e acreditarmos na salvação que Ele nos dá.

Transcrição: Flávio Costa



ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE

(12) 3186-2600


Monsenhor Jonas Abib


Fundador da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo