Bendizer o Senhor por todos os séculos

Padre Anderson Marçal
Foto: Wesley Almeida/ Foto CN
“Bendirei o Seu nome por todos os séculos, Senhor”. É com essa frase que quero começar esta pregação. Você tem dúvida de que Deus é presença constante na sua vida? Em algum momento você sentiu a ausência do Senhor? Frente aos desencontros, decepções, traições e situações que você não aceitou, já se perguntou: "Onde está Deus?"

Muitas vezes, não conseguimos tocar no Senhor porque vemos outras realidades e O colocamos no quinto plano de nossas vidas.
Hoje, o convite que faço para você é o de se abandonar no Senhor quando se sentir abandonado.

Vejamos a Palavra de Deus que está em Atos dos Apóstolos 16, 22-31:

“O povo insurgiu-se contra eles. Os magistrados mandaram arrancar-lhes as vestes para açoitá-los com varas. Depois de lhes terem feito muitas chagas, meteram-nos na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança. Este, conforme a ordem recebida, meteu-os na prisão inferior e prendeu-lhes os pés ao cepo. Pela meia-noite, Paulo e Silas rezavam e cantavam um hino a Deus, e os prisioneiros os escutavam. Subitamente, sentiu-se um terremoto tão grande que se abalaram até os fundamentos do cárcere. Abriram-se logo todas as portas e soltaram-se as algemas de todos. Acordou o carcereiro e, vendo abertas as portas do cárcere, supôs que os presos haviam fugido. Tirou da espada e queria matar-se. Mas Paulo bradou em alta voz: Não te faças nenhum mal, pois estamos todos aqui. Então o carcereiro pediu luz, entrou e lançou-se trêmulo aos pés de Paulo e Silas. Depois os conduziu para fora e perguntou-lhes: Senhores, que devo fazer para me salvar? Disseram-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família".

Quantos açoites você já recebeu na sua vida? Quantas vezes você já caiu? Quantas vezes você colocou a confiança em pessoas que o traíram? Quantas surras você já levou? Quantas vezes você já se sentiu humilhado? Hoje, nós precisamos fazer uma experiência de voltar nessas realidade e falar: “Lá, naquele momento, também Deus estava comigo”. O Único que não nos trai e não nos abandona é Deus; por todo o resto corremos o risco de ser abandonados. O Senhor nunca nos abandona!

Paulo e Silas não foram somente açoitados, foram colocados também na prisão. Que prisões você experimenta hoje? Podemos classificá-las em três tipos: por liberdade, por inconsciência e por vício. A primeira, que é por liberdade, acontece quando nos prendemos a certas coisas que sabemos que não são boas para nós. Tenho consciência de que fulano não me faz feliz, mas insisto em continuar com esse relacionamento; sei que açúcar me faz mal, mas insisto em comer doces. Há uma grande diferença entre você não poder e não querer. A segunda prisão é a inconsciente. Eu estou preso, mas eu não sei o que estou vivendo. Você erra sem saber que está errando. O problema dessa prisão é que ela é conveniente, então, a pessoa se acomoda com a situação. Por fim, a terceira prisão é aquela em que há algum vício. A pessoa não consegue sair; já está tão amarrada à situação que fica sem reação. Exemplo dessa prisão são os drogados, os alcoólatras e os adúlteros. Eles sabem que estão errados, mas não conseguem mudar.

Se você vive em uma dessas prisões, busque a Deus! Reflita: o que é que existe dentro de você? Fraqueza ou orgulho? Indisposição ou covardia? O Cristianismo não é religião de covarde; é religião de quem tem coragem. Faça a sua escolha!

Que prisões você experimenta hoje?
Foto: Wesley Almeida/ Foto CN

Na maioria das vezes quem tira a nossa liberdade somos nós mesmos; nós é que vamos nos escravizando, nos apegando a certas realidades. E nisso onde está o Senhor Deus, o qual precisamos bendizer o tempo inteiro? Mas também não se engane acreditando que, ao se aproximar do Senhor, os seus problemas vão sumir. Deus não quer trazer vida fácil para você, quer trazer a salvação. O termômetro da sua fidelidade ao Senhor é a perseguição que você vai sofrer vivendo dentro da Igreja. Não tenha vergonha de dizer: “Bendirei o nome do Senhor por todos os séculos”.

Podemos até nos sentir abandonados, mas se você faz a experiência de louvar a Deus nos momentos em que não O sente, a sua alma vai gritar de alegria e é isso que vai manter você firme e fiel. O Senhor está ao seu lado a todo o momento, faça a experiência de Paulo e Silas. Cante hinos de louvor nos momentos difíceis da sua vida. Se eu lanço o bem, ele vai voltar; da mesma forma, se eu lanço o mal, este voltará.

Aproxime-se de Deus e contagie os outros. Você precisa fazer a escolha e louvar a Deus agora. A perseverança é a identidade do cristão. Apesar das prisões, continue perseverando em Deus. Permaneça no Senhor porque Ele está com você. Não fuja! Não abandone o "carcereiro"! Amém.

Transcrição e adaptação: Ariane Fonseca


ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE: (12) 3186 2600

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo