Caminho para a felicidade

Padre Fabrício
Foto: Robson Siqueira/CN

Nesta tarde, eu quero falar ao seu coração, não tenho a pretensão de falar para um Rincão cheio, mas quero falar com você pessoalmente. Todo grande momento da nossa vida precisa de preparação, as grandes mudanças são precedidas por um tempo de preparação.

Sempre existe um tempo de preparação para se viver aquilo que se acredita ser importante. Um exemplo: O carnaval é só no ano que vem, e já tem gente que está deixando de comer para comprar a fantasia que vai usar apenas uma noite.

Ninguém gasta tempo se preparando para algo que não é importante para si. O nosso acampamento tem como tema: "O futuro passa pela família". Então eu quero passar para vocês um caminho de preparação para se ter uma família feliz, porque felicidade não é caminho de perfeição. A felicidade sobre a qual hoje queremos falar é uma felicidade que é preparada e plantada.

Na carta de São Tiago 1,19: "Sabei, meus caríssimos irmãos, que cada um deve ser pronto para ouvir, mas lento para falar e lento para se irritar".

O grande manual de uma família feliz chama-se Sagrada Escritura. A Palavra de Deus nos ensina que temos de ser lentos para falar, porque quem é lento para falar gasta tempo para preparar o que vai dizer, pensa no que vai dizer; e prontos para ouvir, pois temos dois ouvidos para ouvir o dobro daquilo que a gente fala. Quando nos irritamos, isso pode acontecer com o marido, esposa, ou um filho, quando, irritados, temos a capacidade de duplicar a quantidade de palavras para dizer palavrões e ofensas.

Nós não preparamos o diálogo na nossa casa e nos deixamos levar pela raiva, que não nos permite ouvir; e, irritados, falamos o que não deveríamos. O primeiro passo na construção de uma família feliz tem um nome: Diálogo.

O diálogo começa não quando eu falo, mas quando eu começo escutando. Esposa, irritada, diz ao marido: "Vamos conversar. Senta aí que você vai me ouvir!" E depois reclama para o padre: "Padre, eu passei duas horas falando e ele não me respondeu nada!" Isso não foi um diálogo, mas uma pregação e depois ainda quer que o marido fale alguma coisa. De que jeito?

"Se o perdão não é por inteiro, então, se torna investida de satanás nas nossas casas", afirma padre Fabrício
Foto: Robson Siqueira/CN

Existem muitas pessoas que aprenderam a falar com pirraça. O diálogo é importante, mas não em uma família perfeita, porque ela não existe. E se disseram que existe, isso é uma mentira, isso foi plantado para nos iludir. Enquanto estivermos iludidos que teremos a família perfeita, nós nunca vamos gostar daqueles que estão ao nosso lado, porque na família perfeita a mulher é uma princesa. Se não nos prepararmos, nós teremos a "competência" de estragar o futuro da nossa família; e nós temos "competência" para dar um futuro para a nossa família.

O segundo passo é o perdão: Diálogo e perdão. Mateus 18,21 "Pedro dirigiu-se a Jesus perguntando: Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes? Jesus respondeu: Digo-te, não até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes".

Existe um perdão que faz mal: é o perdão pela metade, que é o veneno de satanás nas nossas casas. Quem perdoa pela metade na primeira oportunidade "vomita" tudo em cima do outro. Perdão pela metade é como capim que cresce sem ninguém semear, cresce sem fazer barulho, e que só sai com enxada. Há alguns que não são arrancados nem com enxada! E aí a pessoa vai amargando, ela lembra o dia e a hora em que o maridão disse a palavra que a ofendeu, e quando vai brigar, a mulher joga tudo na cara dele. Se o perdão não é por inteiro, então, se torna investida de satanás na nossa casa. Se o perdão não é trabalhado, ele divide as famílias.

"Eu vos digo mais isto: se dois de vós estiverem de acordo, na terra, sobre qualquer coisa que quiserem pedir, meu Pai que está nos céus o concederá. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou ali, no meio deles.” (Mateus 19, 19-20).

"É só no amor que vamos preparar um futuro melhor"
Foto: Robson Siqueira/CN

Família unida é aquela que acolhe a presença de Jesus Cristo dentro dela; o que não significa família perfeita. Essa unidade da família precisa ser ensaiada. Vamos ver se sua família tem união. Quais expressões vocês mais usam? "Meu" carro, "minhas" férias… se eu vou casar é necessário o tempo de preparação para passar do "eu" e do "meu" para o "nosso". Porque senão [o casamento] cai no egoísmo. Pai, mãe e filhos, nós perdemos o direito de falar o "meu" depois que entramos na família! Precisamos falar o "nosso".

É necessário preparar a felicidade da família. Nós queremos que toda nossa família vá para o céu, e tempo de preparação é hoje, pois ninguém improvisa céu, ele precisa ser construído.

Pai que prefere sair do trabalho e passar no bar para relaxar está preparando o caminho para o inferno. "Eu fui passear no shopping para relaxar", mas chega dentro de casa estérica…Olhe o relaxamento nos levando para viver o inferno dentro de casa! Vamos ter que aprender a preparar o caminho da felicidade das nossas famílias. Você aceita esse caminho? O caminho é o amor.

A nossa família é o lugar que tiramos as pessoas da indigência, na qual transformamos um “Zé ninguém” em pessoa especial. Mas isso precisa acontecer desde a hora em que a gente levanta. É só no amor que vamos preparar um futuro melhor, com a disposição de servir o outro para que este se sinta alguém especial.

Pai, mãe e filhos, a forma de vocês prepararem o caminho da felicidade para sua família é abraçando a cruz de cada dia. Eu lhes garanto que lá na frente vocês vão ser felizes.

Transcrição: Carlos Eduardo


Padre Fabrício Andrade


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo