Carroça de abóbora e açúcar

OUÇA ESSA PREGAÇÃO NA  ÍNTEGRA


A resposta de Maria é imediata: "Eis aqui a serva do Senhor", e serva significa escrava, e é isso que Maria diz, mais do que se abrir, ela diz: "Faça-se", que a mesma palavra que está em Gêneses na criação: "Faça-se". Maria proclama a palavra criadora.

No Angelus, nós proferimos sempre que "O Verbo Divino se fez carne e habitou entre nós". O impossível para nós é possível para Deus.

Aquilo que o Senhor prometeu – através de Isaías – aconteceu. Depois de anos, a profecia aconteceu, porque Deus é fiel e cumpre com suas promessas.

Para nós, no Brasil, diante das tantas situações, digo que Deus pode realizar milagres, primeiramente porque para Ele nada é impossível, pode demorar, mas Deus age, Deus está com seu poder e precisamos acreditar porque, se cremos, o plano divino alcançará.

As desgraças da sua vida, tudo que lhe faz entrar em depressão, tudo que lhe causa tristeza, para Deus nada é impossível. Pode demorar, mas continue acreditando. A história da Canção Nova prova e se baseia nisso, a minha também, pois os médicos falaram aos meus pais que eu nasceria com seqüelas, e olha eu aqui. Eu seria um tolo se eu não acreditasse em milagres, pois a minha história é uma seqüência de milagres.

Não é só minha família que alcança milagres, isso não é privilégio, tudo acontece porque acreditamos, temos fé que Deus pode realizar o impossível.

Vou relatar um grande milagre sobre o qual ainda não comentei. Meu avô paterno era ferreiro. Ele sofreu um acidente grave, que acabou afetando o seu olho. Foi cuidado pelo farmacêutico, mas depois de muito tempo, ele foi para São Paulo, retirou o olho e pôs um olho de vidro. Lá, ele passou a se cuidar e tudo era muito caro. Minha vó ficou no interior com os filhos passando necessidade, por isso eram os familiares dela que a ajudavam com o pão nosso de cada dia. Um irmão da minha avó doou uma carroça de abóboras e uma saca de açúcar para ela fazer doce e vender, para assim ter uma renda. Antes de acabar o açucar, minha vó já tinha dinheiro para se manter e manter até o meu avô que estava em São Paulo. Lá em São Paulo, mesmo doente, ele aprendeu a fazer sorvete, que era novidade na cidade em que eles moravam, e com o dinheiro do doce de abóbora, ele comprou a máquina de sorvete. Ensinou seus filhos a fazer sorvetes e a vendê-los nos tabuleiros. Isso deu tão certo que abriram um ponto comercial. Então, meu avô melhorou e retornou à cidade, continuou sendo ferreiro, e ao mesmo tempo, fizeram uma espécie de lanchonete, cujos produtos comercializados eram sorvetes e doces que minha vó fazia. Deu tão certo que meu avô se tornou o terceiro homem mais rico da cidade. Ele foi o primeiro a ter carro.

Tudo isso veio da fé, da graça de Deus, do esforço, do trabalho, e materialmente falando, originou-se da carroça de abóboras e do saco de açúcar.

O que você está fazendo com sua "carroça de abóbora e saco de açúcar?" O que você tem colocado de fé e de trabalho em cima disso? Você não pode reclamar de Deus, Ele é o Deus do impossível. Como você tem usado a sua fé? Porque quando confiamos a graça vem. Hoje é um dia para pensar. Eu agradeço a Deus porque pude usar bem a "carrocinha de abóboras e o saco de açúcar", tudo regado com muita fé e muito trabalho.

No início da Canção Nova, eu ajudava a limpar a casa, forrava as camas, fazia palestras, tocava violão, cantava, conduzia oração, atendia as confissões, que iam pela madrugada adentro, e celebrava as Santas Missas. Nós da Canção Nova regamos muito nossa "carroça", o Eto suou na melhoria da estrada, tudo foi com muito suor, lágrimas, mas também com muita fé.

A Luzia tinha um carro, o qual ela apelidou de "Francisco", e era ela que me levava para cima e para baixo. Naquele tempo imagine o que era um padre revolucionário, com a Luzia, uma bonita viúva? O povo dizia de tudo, ela sofreu muito. E tudo que eu fazia ela fazia em dobro. Foi muito suor, lágrimas e trabalho. Eu ficaria falando até à noite o que todos fizeram. Hoje você vê o resultado da nossa "carrocinha de abóbora e nosso saquinho de açucar", tudo pela fé e pelo trabalho, a luta aplicada em cima da nossa carrocinha.

A "quantidade de abóbora e açúcar" não importa, o que importa é a fé, a luta, o trabalho, porque o impossível é Deus que pode realizar.

Vô e vó, Deus lhes pague pelo "saco de açúcar, pela carroça de abóboras". Obrigado pela fé, pela herança de fé.

Transcrição: Elcka Torres
Áudio: Renan Félix
Fotos: Natalino Ueda

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo