Chamados a produzir frutos de santidade

Padre Edimilson
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

O esforço de quem encontra Jesus é o esforço para assumir uma vida diferente, deixando para trás tudo aquilo que já não condiz com um discípulo de Cristo.

Eu não sei o que hoje é urgente na sua vida, para que você mude. Porém, é preciso estarmos atentos para que, quando olhem para nós, vejam os frutos da nossa experiência com Deus. Já que, uma vez que o Senhor nos alcançou, precisamos ser diferentes e produzir frutos.

Quantas pessoas você trouxe para Jesus, neste ano, até agora? Será que as suas atitudes realmente estão gerando frutos ou as pessoas passam por você sem que nada aconteça em suas vidas?

Precisamos sair da nossa acomodação e ir ao encontro daqueles que realmente necessitam, pois um cristão sem meta é um perigo, ele fica perdido, sem saber para onde ir ou o que fazer.

A meta de todo cristão precisa ser contagiar o mundo com a santidade. Desculpe-me, meu irmão, mas se você olha para trás e não consegue enxergar um caminho de santidade, algo está errado.

O Senhor nos atraiu até Ele para que produzamos frutos, assim como São Paulo nos chama à atenção na primeira leitura. Se você tem sido uma árvore estéril significa que está longe da nossa meta final: o céu.

Talvez você esteja dizendo agora: "Mas eu não tenho condições de fazer nada! Sou apenas um cristão em meio a bilhões de pessoas. E eu lhe respondo que isso é desculpa, pois você não precisa ter um microfone ou ser um sacerdote para fazer a diferença. Saiba que a sua iniciativa pode ser no seu quarto, intercedendo pela Igreja, ou engajado em uma pastoral da sua paróquia.

Será que é suficiente ir à Santa Missa aos domingos, e mesmo assim só porque é um preceito da Igreja? Se você o faz por obrigação, significa que não coloca amor nisso. E se não exister amor nos seus atos, significa que você não tem colocado Deus nas suas coisas.

"O cristão precisa contagiar o mundo com a santidade", exorta padre Edimilson
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

O Senhor está próximo e não podemos mais ficar medindo nossos esforços. Se você hoje tem desejo de buscar Deus é porque, um dia, alguém lhe apresentou o amor d'Ele. Por isso, o mínimo que você pode fazer é anunciar esse mesmo Deus para quantas pessoas desejarem ouvir.

Há pouco tempo, fui para São Paulo e lá encontrei dois homens brigando. Entrei em desespero, pois vi que seria uma briga muito feia. Infelizmente, ninguém se preocupou em ajudar, pois estavam ali apenas para ver o “espetáculo”. Se você não quer fazer nada, ao menos não atrapalhe!

Quantas vezes passamos por irmãos de rua, na pressa do nosso dia a dia, e nem sequer olhamos para eles. O que custa, ao menos, rezar uma Ave-Maria por aqueles que necessitam? Você pode achar pouco, mas a sua oração pode mudar a vida de uma pessoa.

Faça alguma coisa pelo Senhor. Imagine quantas casas você pode visitar, apenas para rezar o terço. Tenho certeza de que seu padre não vai proibi-lo de fazer isso. Porém, o mais importante não é a quantidade, se você puder visitar apenas uma família, não tem problema, o importante é que ela faça uma verdadeira experiência com Deus.

Não é por acaso que o Espírito Santo incomoda nosso coração e nos impulsiona para os irmãos, sobretudo ao encontro dos necessitados. Mas, precisamos deixar que Ele trabalhe em nosso coração, pois, no tempo em que estamos já não há mais espaço para corações fechados.

Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo