Como viver a Festa da Misericórdia

Padre Antônio Aguiar
Foto: Maria Andreia/Cancaonova.com

O objetivo desta festa é voltarmos a recolocar Jesus no centro de nossa vida. Jesus nos diz que só vamos encontrar abrigo e refúgio dentro do Seu Coração. Deus nos ama! Ele nunca deixará de nos amar, mas os pecados não podem ser amados por Deus.

Precisamos amar a Deus acima de todas as coisas. Jesus quer tocar também, com uma chuva de bençãos, a vocês que nos acompanham agora pela Internet.

A misericórdia de Deus atrai muito mais que um barril de pecados. Ele deseja que experimentemos o mel da graça e não o barril de vinagre do pecado.

Para vivermos a Festa da Misericórdia, precisamos entender que existe um alicerce à Devoção à Divina Misericórdia, que consiste numa confiança fundamental. Jesus espera que eu e você tenhamos esta confiança.

Jesus diz a Santa Faustina: “As graças da Minha misericórdia colhem-se com o único vaso, que é a confiança. Quanto mais a alma confiar, tanto mais receberá. Grande consolo Me dão as almas de ilimitada confiança, porque, em almas assim derramo todos os tesouros das Minhas graças. Alegro-Me por pedirem muito, porque o Meu desejo é dar muito, muito mesmo. Fico triste, entretanto, quando as almas pedem pouco, quando estreitam os seus corações” (Diário, nº 1578).

Para vivermos bem a Festa da Misericórdia, o primeiro requisito é termos confiança. O segundo requisito é que ela [Festa da Misericórdia] tem um tempo de preparação.

Como preparação para a Festa da Misericórdia, o Senhor pediu a Irmã Faustina para fazer uma novena de orações desde a Sexta-Feira Santa até o sábado seguinte: “Desejo que durante esses nove dias conduzas as almas à fonte da Minha misericórdia, a fim de que recebam força e alívio e todas as graças de que necessitam nas dificuldades da vida, especialmente na hora da morte” (Diário, nº 1209). Ele deseja que recebamos alívio e todas as graças.

Assim também nos falou o Papa Francisco: “Deus não nos cansa de perdoar. Somos nós que nos cansamos de pedir perdão”.

Resumindo os ítens necessários para vivermos bem a Festa da Divina Misericórdia:

1º ítem: Confiança;

2º ítem: Rezar a Novena em preparação a Festa da Misericórdia;

3º ítem: Buscar o Sacramento da Confissão;

4º ítem: Comungar;

5º ítem: Rezar nas intenções do Santo Padre para obter a Indulgência Plenária;

6º ítem: Venerar a Imagem da Divina Misericórdia.

Se você confessar com fé, experimentará a Ressurreição. Devemos aproveitar este milagre que é o Sacramento da Reconciliação e recebermos a Indulgência Plenária. Precisamos também estar preparados para receber a comunhão na Festa da Divina Misericórdia.

"Como me dói que as almas se unam tão pouco comigo na Santa Comunhão" (Jesus a Santa Faustina)
Foto: Maria Andreia/Cancaonova.com

 :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

Jesus também diz a Santa Faustina: “Como me dói que as almas se unam tão pouco comigo na Santa Comunhão. Espero pelas almas, e elas Me são indiferentes. Amo-as afetuosa e sinceramente, e elas não têm confiança em Mim. Quero cobri-las de graças e elas não querem aceitá-las. Procedem comigo como com uma coisa inanimada, e no entanto tenho um coração cheio de amor e misericórdia!” (Diário, nº 1447).

Não se deve ir comungar “mascando chiclete”. Isso é um descaso para com o Senhor! Assim como não devemos ir conversando na fila da Comunhão. É hora de silenciarmos para estarmos atentos a Quem iremos receber. Nós estamos indo ao encontro do Rei dos reis e Senhor dos senhores!

Não devemos participar da Santa Missa e ficar conversando com alguém pelo celular ou jogando. Por favor, não venha à celebração da Santa Missa. A Santa Missa não é lugar para isso!

Tudo que nos afasta do mistério do Sacrifício de Cristo deve ser colocado de lado. Estejamos por inteiro na Santa Missa. Devemos dar a Deus o melhor!

Façamos veneração à Imagem da Divina Misericórdia. Jesus nos concederá muitas graças. Ele mesmo afirma isso no Diário de Santa Faustina: "Por meio dessa Imagem concederei muitas graças às almas; que toda alma tenha, por isso, acesso a ela" (Diário, nº 570).

Você deve estimular os padres a falarem da Misericórdia de Deus. Que o Senhor desperte um espírito de arrependimento em você.

Transcriação e adaptação: Carlos Biajoni @cncarlos


Padre Antônio Aguiar


Sacerdote divulgador da devoção à Divina Misericórdia

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo