Eis aquele que tira o pecado do mundo

Assistindo ao nosso jornal Canção Nova e você, um dos nossos repórteres perguntou aos entrevistados: “O que você quer para o ano de 2008?” E todos responderam: paz, saúde, alegria e amor.

Hoje o Evangelho de João Batista está apresentando Aquele que pode dar tudo isso. Só Jesus pode nos dar paz, alegria, amor. João Batista estava à margem do Rio Jordão, e ali ele viu Aquele que podia trazer saúde, paz, alegria e felicidade, por isso, ele falava que as pessoas deviam olhar para o Messias, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Em João 1,29, o apóstolo apresenta Jesus com a condição da nossa felicidade, dizendo “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. E o Salmo diz que feliz é aquele cuja iniqüidade foi perdoada e o pecado absolvido.

Padre José Augusto, membro da Com. Canção Nova
Foto: Robson Siqueira

Quando carregamos o pecado, nós não ficamos felizes. Por exemplo, se você briga com alguém, fica em uma tristeza. Você já viu uma pessoa embriagada, feliz? Pode até dar risada, mas o semblante é de tristeza. Outro exemplo é quando há adultério, quando a pessoa vê a família, vê o cônjuge e os filhos, bate a dor da consciência e isso lhe tira a felicidade.

A tentação nos engana, pois mostra que vai nos dar alegria, mas na verdade, traz muita tristeza. O pecado causa tristeza. Não sei se você já viveu a situação de cair em pecado, mas ao se confessar se sente aliviado, e as pessoas que o cercam até dizem: “Nossa! Você está feliz”. Só Jesus pode lhe trazer a felicidade, só Ele pode perdoar seus pecados. Talvez Ele cure até suas enfermidades e dores, pois o pecado pode estar refletindo no seu físico. Só Deus pode trazer sua felicidade. Jesus diz ao homem, no Evangelho, que era paralítico: “Seus pecados estão perdoados” e ele retornou a andar, a sua paralisia era por causa do seu pecado, mas Jesus o libertou. Nossos pecados foram apagados, porque o Senhor morreu para nos libertar de nossos pecados.

Por isso, eis a primeira coisa para você ser feliz: reconheça seus pecados ao Senhor. Diga-Lhe: “Senhor, eu errei. Perdoe-me”. E Deus vai dizer sempre “Eu te perdôo”. Deus não se cansa de perdoá-lo. Entremos neste ano livres dos nossos pecados, felizes. João nos mostra o caminho: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado mundo”…

Outra condição que João nos aponta para nossa felicidade é o Espírito Santo (cf. Jo 1, 32ss). Em Isaias está escrito ‘Eis meu eleito, farei pousar sobre Ele o meu Espírito’. Esta era uma profecia de Isaías, e quando João viu Jesus, ele viu o que o Espírito repousou em n’Ele e ouviu a voz de Deus dizendo; “Eis o meu Filho em quem pus minha afeição”. Ali João Batista O reconheceu.

Outra condição é seguir Jesus e clamar ao Espírito Santo, que traz alegria, amor, paz. Comecei a freqüentar a igreja com 19 anos, quando eu ia por ir, eu não tinha a verdadeira paz, porque o pecado pesava sobre mim, por isso eu não tinha recebido esta efusão do Espírito. Nunca fiz aberrações, pois os meus pais me deram uma boa educação, com amor, palmadas, sabendo os limites, mas era pecador.

Eu quero ser batizado no Espírito, afirma padre José Augusto
Foto: Robson Siqueira

Quando comecei a ir ao grupo da Renovação Carismática Católica (RCC) as coisas foram se transformando dentro de mim. A Palavra de Deus me trazia uma alegria, uma paz e mesmo assim me faltava algo, até que um dia ouvi um pregador dizendo que a Santa Missa é bem mais importante do que o grupo de oração e que devemos confessar os nossos pecados antes de receber Jesus. Naquela época entrei em um “santo” exagero e me confessava todo dia antes de ir à Missa. Minha consciência já não pesava, e o tempo foi passando, e ouvi falar do batismo do Espírito Santo. Ele reavivou a minha vida na Igreja, o Espírito me reanimou, cada Palavra da Sagrada Escritura tinha um sabor diferente, queria rezar, ir à Santa Missa. Nessas horas, muitas pessoas, que estavam ao meu redor, como que adormecidas, me criticavam.

Quando soube do batismo eu falei para Deus; “Eu quero ser batizado no Espírito” e fui falando: “Jesus, eu te amo!”. De repente, eu imaginei o céu se abrindo e uma pomba tocando em mim, e comecei a orar em línguas. Parei porque imaginei que aquilo era coisa do demônio; então, rezei o Credo e depois comecei a rezar em línguas e fui sendo tomado por um gozo, uma paz e uma alegria, que parecia que Deus havia entrado em mim e eu n’Ele. A partir daí, esta paz foi crescendo e desde 1985 está em meu coração.

E a partir daí também descobri a minha vocação ao sacerdócio, porque até então queria me casar. Mas quando Deus me pediu para ser sacerdote, sem questionar, eu disse queria fazer a vontade d’Ele, porque aí está a minha felicidade.

Quer ser feliz? Pergunta padre José Augusto
Foto: Robson Siqueira

Sou feliz porque comecei a confessar meus pecados, e fui sendo reinflamado pelo ESPÍRITO SANTO, e sintonizei o meu coração ao de Deus.  

E se o repórter me perguntasse: “Padre, o que o Senhor quer para o ano de 2008?” Eu responderia: “Quero continuar reconhecendo o meu pecado, seguindo Jesus e sendo banhado no ESPÍRITO”.

João está nos apresentando o caminho da nossa felicidade, que é Jesus.

Olho as minhas fotos antes de reconhecer Jesus e depois disso e vejo o brilho e força do meu sorriso agora, pois nas minhas fotos anteriores eu era carrancudo. Hoje, tenho este sorriso maravilhoso.

Estou lhe dando a receita da felicidade, que são apenas 3 coisas: confessar os pecados, reconhecer Jesus e ser banhado pelo Espírito Santo.

Feliz 2008!

Ouça: Padre José Augusto conduz momento de oração

Transcrição: Elcka Torres
Áudio: Elcka Torres
Fotos: Robson Siqueira


Padre José Augusto


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo