Intercessor, seja simples e obediente

Nós não escolhemos as palavras da Santa Missa que vamos pregar, mas Deus as providencia na dimensão do chamado que Ele nos faz de sermos combatentes na oração, intercessores na força e no poder do Espírito.

A liturgia de hoje nos dá alguns exemplos de obediência, humildade e fé. O profeta Jeremias viveu momentos de dificuldades diante da profecia. Ele, como homem de Deus, não falava aquilo que o rei e o povo queriam ouvir. O Senhor o chamou para falar ao povo exatamente aquilo que Ele lhe pediu para falar.

Padre Roger Luís
Foto: Arquivo/cancaonova.com

Aquele povo foi se corrompendo em sua vida religiosa e em sua identidade, por isso Jeremias foi chamado para ser o profeta daquela gente. Quero chamar sua atenção para a oposição do mau aos planos do Senhor. Naquele tempo, Jeremias foi preso por causa da Palavra de Deus, pelas palavras que disse às tribos do Sul: “Quando Jeremias acabou de dizer tudo o que o Senhor lhe ordenara que falasse a todo o povo, prenderam-no” (cf. Jeremias 26,8).

A Palavra de Deus sempre tem a intenção de salvar, por mais difícil e catastrófica que ela seja. Na leitura de hoje, vemos que Deus diz a Jeremias: “A eles então dirás: Isto diz o Senhor: 'Se não vos dispuserdes a viver segundo a lei que vos dei, a escutar as palavras dos meus servos, os profetas, que eu vos tenho enviado com solicitude e para vossa orientação, e que vós não tendes escutado, farei desta casa uma segunda Silo e farei desta uma cidade amaldiçoada por todos os povos da terra” (Jeremias 26,4-6).

Antes de se estabelecer a glória de Deus, era em torno de Silo que girava a espiritualidade de Israel. O monte de Silo é o lugar em que Ana pediu a Deus um filho, é o lugar também em que Samuel escutou o chamado do Senhor.

Com essa catástrofe, Deus avisava ao povo que, se eles não se convertessem, aconteceria como em Silo. Mas o que aconteceu lá? Os filisteus roubaram a Arca da Aliança. Deus saiu do meio do Seu povo, porque este havia se corrompido, estava distante do projeto do Pai.

Deus, mais uma vez, diz àquelas pessoas que se elas não se convertessem, seriam amaldiçoadas, passariam pela humilhação de serem abatidas por não ter a presença d'Ele na vida delas. Jeremias profetizou e precisou pagar o preço da profecia. Foi preso, porque falou em nome do Senhor.

"Aprenda a orar pela pessoa que é um empecilho na sua vida", afirma padre Roger.
Foto: Arquivo cancaonova.com


Você está disposto a pagar o preço do chamado de Deus?
O mundo tem se sustentado pela força da intercessão de homens e mulheres do Senhor. No tempo atual, no qual percebemos o esvaziamento espiritual, já podemos ouvir um batalhão de choque chamando o povo para a guerra, para voltar ao chamado do Pai.

A intercessão é uma função de todo cristão, devemos interceder uns pelos outros. Você já rezou por uma pessoa enferma, pelas pessoas da sua família, da sua paróquia? Isso é intercessão. Deus conta com você!

Em vez de reclamar, de ficar falando mal dos outros, é bom orar, porque reclamar não vai melhorar a vida de ninguém. Aprenda a orar pela pessoa que é um empecilho na sua vida.

Algumas pessoas de grupos de oração são, muitas vezes, quietas e, aparentemente, não demonstram tantos dons. Mas o grupo decide colocá-las no ministério da intercessão. O intercessor não aparece, porém sem ele não há grupo. Assim como em nosso corpo não há órgão mais importante que o outro, também na Igreja não há um ministério mais importante que o outro.

Jesus, quando foi chamado de "Filho do carpinteiro", não subiu ao púlpito para dizer o contrário, mas permaneceu como estava e prosseguiu humildemente. Os intercessores são chamados a ser assim: humildes, simples e obedientes. Isso é um remédio contra satanás que é prepotente e vaidoso.

Só é capaz de obedecer aquele que é humilde. Só ele consegue ouvir a voz do comando do Senhor e segui-la. Se não formos humildes ao escutar o Senhor e Lhe obedecer, perderemos a guerra espiritual. Precisamos nos submeter à vontade do Pai.

Jesus não era importante, Sua família não era reconhecida. Ele não estudou nas melhores escolas. Jesus Cristo era o Filho do carpinteiro. O Senhor tinha as mãos cheias de calo de tanto trabalhar. Ele ensinava as pessoas falando do plantio, da colheita, porque era um homem simples.

Quantos católicos estão perdendo a graça da Eucaristia por ser um ato simples! As pessoas têm dificuldade de aceitar o que é humilde. Há confessionários vazios e clínicas psiquiátricas e psicológicas abarrotadas, porque o sacramento da reconciliação oferecido nos confessionários é gratuito e as pessoas desconfiam dele. Pela altivez, preferem pagar profissionais para que tenham a vida resolvida. Tudo isso é a soberba que satanás tem disseminado sobre a Terra.

Peçamos a Deus a graça de sermos libertos das tentações para vivermos a simplicidade e, assim, fazermos a vontade d'Ele.

No tempo de Jesus, faltou fé ao povo de Nazaré. O Evangelho nos diz que Jesus não fez muitos milagres, porque o povo não tinha fé. Eles não tinham visão espiritual, não quiseram acolher a voz de Deus, não conseguiram enxergar com os olhos da fé a obra maravilhosa que poderia acontecer pela presença de Jesus no meio deles.

“Por isso, estamos sempre cheios de confiança. Sabemos que todo o tempo que passamos no corpo é um exílio longe do Senhor. Andamos na fé e não na visão” (2 Coríntios 5,7).

Tenha companheiros de oração, pessoas que estejam intercedendo por você. Estamos numa batalha espiritual que tem ficado cada vez mais explícita em nosso tempo. Peça fé a Deus.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo