Jesus, eu confio em Vós

Luis Antônio Portolini
Foto: Flávio Costa

“Tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8).

Esse encontro poderia acabar agora que já estaria consumado pela presença tão sensível do Espírito Santo.

São dez anos de Pastoral da Sobriedade, hoje estamos com mais de mil grupos em todo Brasil e aumentando a cada dia. Somos agradecidos a todos os agentes da pastoral, pois é um sonho realizado por Dom Irineu. Na alegria do Senhor é que nasce a esperança de vida nova.

Estamos aqui para tratarmos da dependência química, do vício do álcool, do jogo, das drogas. Quero falar sobre o testemunho do senhor Geraldo que esteve aqui o ano passado. Ele vai testemunhar o milagre da libertação da bebida e do cigarro.

"Hoje faz um ano que estou em Cachoeira Paulista (SP), depois de um acampamento de 'Cura e Libertação' com Padre Ruffus, eu participei do acampamento da Pastoral da Sobriedade o ano passado. Eu tomava dois litros de pinga e fumava dois maços de cigarro por dia; e com o acampamento da pastoral do ano passado fui curado, fui muito tocado pelo Espírito Santo. A minha saúde estava muito mal, estava na fila de transplante e depois que larguei o vício da bebida e do cigarro me fizeram viver melhor. Tenham fé e Deus fará. Sejam firmes, e o que vocês pedirem Deus fará", testemunhou senhor Geraldo.

O amor de Deus se multiplica. Nesses 10 anos estamos oficialmente com 800 grupos, pois há vários que ainda não estão registrados. Cada dependente vai para o fundo do posso e levam consigo mais gente, mas cada um que se recupera trás consigo mais mil vidas.

A Igreja que não se faz com tijolos, mas com o sacramento vivo de Cristo construído de corações vivos e apaixonados levando Jesus o libertador. Contamos com pessoas apaixonadas.

Todos nós temos uma dependência, então este acampamento é para nossa libertação e cura. Reconheça a sua dependência.

Luís Antônio Bortolin


Simone
Foto: Flávio Costa

ADMITIR, primeiro passo da Pastoral da Sobriedade

Faço parte do primeiro grupo da pastoral em Curitiba (PR). Há nove anos estou na caminhada, vou falar do "admitir", o primeiro passo da Pastoral da Sobriedade.

Admitir. Somos todos dependentes de coisas diferentes. “Senhor, admito da minha dependência dos vícios e pecados, e que sozinho não posso vencê-los. Liberta-me”.

A Pastoral da Sobriedade nos coloca no mesmo lugar, somos dependentes de tantas drogas que assolam a nossa sociedade. E o passo de admitir de ser dependente é muito importante. A oração e a leitura que está na Carta de Paulo aos Romanos: “Não entendo, absolutamente, o que faço, pois não faço o que quero; faço o que aborreço” (Romanos 7, 15); nos alerta do pecado, pois somos fracos e vendidos ao pecado. Queremos largar as drogas e o alcoolismo, mas é difícil porque sozinhos não conseguimos.

Essa dependência se inicia dentro de casa quando permitimos que entrem em nossos lares. Tudo começa dentro de casa. Nós muitas vezes fazemos o uso dentro de casa e isso parece que é normal e comum, mas não é. Paulo nesta leitura não quer justificar esse pecado, mas quer nos alertar.

Não adianta falar: 'hoje vou parar de beber', mas amanhã tomar um “golinho”. A droga não dá tréguas, ela destrói e mata. Estamos aqui para admitir que somos dependentes, que queremos ser melhor, e para darmos um passo para sermos libertos dos vícios. Nós temos que admitir que precisamos de Jesus libertador e o milagre se dá pela perseverança.

Simone – Pastoral da Sobriedade de Curitiba (PR)


CONFIAR, segundo passo da Pastoral da Sobriedade

Nós confiamos no Senhor. A oração do segundo passo: “Senhor eu confio em Ti, ouve meu clamor, cura-me”. Todos nós precisamos ser curados e queremos confiar em Deus, temos que olhar e sentir a confiança. Temos que ter a certeza de que Deus está conosco. A Palavra que Deus nos deixou comprova isso.

Este passo fala da cura de Bartimeu que querendo ser curado clamou a Jesus: “Jesus, tomando a palavra, perguntou-lhe: Que queres que te faça? Rabôni, respondeu-lhe o cego, que eu veja! Jesus disse-lhe: Vai, a tua fé te salvou.” ( Marcos 10, 51 e 52). Quantas vezes nossa família está cega na beira do caminho e Jesus está passando e não conseguimos enxergá-lo. Você tem que confiar.

Ronaldo Sérgio (à esquerda), Dom Irineu (ao meio) e Simone (à direita)
Foto: Flávio Costa

Precisamos ter auto-confiança, e confiar não é tão simples, mas para que cheguemos a ‘cura’ temos que ter a coragem e o compromisso. O nosso compromisso é levar a Palavra de Deus que liberta. Precisamos confiar nos nossos irmãos e confiar naqueles que recebemos, pois acreditamos no compromisso assumido.

Os agentes da Pastoral da Sobriedade são anjos que levam todos os dias a Palavra de Deus e precisamos confiar nos irmãos porque é Jesus quem está neles.

Ronaldo Sérgio

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo