Jesus, o amor encarnado de Deus

Padre Jucemar

Deus quer realizar uma obra nova em nossa vida através desta Palavra:
“Nisto consiste o amor: não em termos nós amado a Deus, mas em ter-nos ele amado, e enviado o seu Filho para expiar os nossos pecados. Caríssimos, se Deus assim nos amou, também nós nos devemos amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos mutuamente, Deus permanece em nós e o seu amor em nós é perfeito.” (Jo 4,10-12)

João nos dá uma ordem de amar. Ele compreende que o amor é uma realidade divina, mas também é uma realidade humana. Divino porque a essência de Deus é o amor.

Devemos amar, mas não somente com nosso amor que é limitado, mas com o amor de Deus que vai além de nossas limitações.

O amor não é simplesmente um esforço humano, ele é dom, graça de Deus. “Deus nos amou por primeiro”. João diz que Deus é amor, pois olha a sagrada escritura e vê o agir de Deus no meio do seu povo.

O ato criador de Deus, que é um ato de amor eterno, nisto vemos Sua grandeza, que cria o homem por pura misericórdia. O Catecismo nos diz que o Pai nos criou por sabedoria e por amor. O Desejo do Senhor é que nós participemos desse amor divino, pois só assim o homem será pleno, será realizado.

O amor não é simplesmente um esforço humano, ele é dom, graça de Deus.
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

 

Adão e Eva caem em tentação e o pecado entra no mundo. O projeto primeiro de Deus que é estabelecer uma intimidade profunda com o homem é rompido. E o mundo entrou numa desordem. Se no início da criação Deus transformou o caos em chromos, depois do pecado de Adão e Eva o mundo entra novamente numa desordem.

Mas se Deus criou o homem para viver na sua intimidade e o homem o traiu. Deus tinha todo os motivos para deixar o homem de lado. Mas o agir de Deus é diferente do agir humano e Ele começa estabelecer diversas alianças através dos patriarcas.

Quando entramos no amor de Deus o seu coração se rejubila. O amor de Deus é capaz de tirar os seus filhos das trevas. Não bastou Deus se fazer homem, Ele quis derramar todo o seu sangue numa cruz, e antes quis fazer a instituição da Eucaristia.

Na nossa sociedade muitos andam como se Deus não os amasse, como se Deus não ligasse para eles, mas não podemos julgar pois eles estão sendo conduzidos por uma sociedade que proclama que Jesus não se encarnou, não morreu, não ressuscitou. Que Deus não nos ama.

Mas eu afirmo, Deus te ama e é capaz de te libertar das trevas. Quando experimentamos esse amor, somos capazes de amar o outro. Muitas vezes trazemos enfermidades no nosso corpo porque não perdoamos, porque não permitimos que o amor de Deus tome conta de nós.

Deus se manifesta generosamente na nossa vida, Deus é amor.

Transcrição e adaptação: Regiane Calixto

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo