Moças e rapazes restaurados parte 1

Júlio Brebal
Foto: Robson Siqueira / Fotos CN

Deus quer fazer uma grande obra restauradora em nossas vidas a partir de hoje. Pai, mãe, filhos, este é o momento de parar para aquietar o coração. Para ouvir, refletir, meditar a palavra de Deus, reconsiderar atitudes, fazer uma revisão de vida.

Quero compartilhar com vocês a Palavra do Senhor que se encontra no Antigo testamento, Eclesiastes, 11 – 9,10:

“Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e anime-te o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas Deus te trará a juízo. Afasta, pois, do teu coração o desgosto, remove da tua carne o mal; porque a mocidade e a aurora da vida são vaidade”.

Tenha coragem, hoje, de olhar para a sua vida e perceber que você, independentemente da sua história, foi criado por Deus para ser amor. Seja você jovem, ou não tão jovem mais, somos imagem e semelhança de Deus e, por isso, o Senhor nos constituiu um ser pleno de amor.

Fomos criados para ser amor, viver o amor e ser pleno de amor. Você é filho de Deus independente da sua história.

Reze comigo: Eu quero senhor que a partir deste momento tudo aquilo que foi contrário ao desejo do seu coração, que me impediu de viver como pleno amor, seja restaurado. Restaura agora, Senhor, a minha capacidade de ser amor, a minha afetividade e tudo aquilo que na história da minha vida gerou vontades contrárias as Suas. Pelo poder do seu amor restaurador, desejo que tudo caia por terra, que eu seja uma nova criatura. Cura meu psicológico, me liberta de tudo aquilo que me impede ser um homem pleno de amor.

Você sabe o que é viver a plenitude da afetividade? Olhando para a sua casa e para a sua família: como é o relacionamento que você tem com essas pessoas? Você vive em pré-disposição para amar ou está fechado ao amor? Como é a sua experiência em relação ao seu namoro?

Antes de tudo, você sabe o que é afetividade? Afetividade é a sede de relacionamentos. Não é mero sentimentalismo, é muito mais do que isso. Deus pensou em nós para viver amor. Afetividade é desejo de amar, bondade, cordialidade, consideração, simpatia. São laços de união profunda com as pessoas. É uma rica relação de amizade. Amar é cuidar, zelar, sair de si mesmo.

Deus quer um mundo novo com homens e mulheres renovados
Foto: Robson Siqueira / Fotos CN

Quantos de nós, nessa sede de relacionamento, de querer amar e ser amado, procuramos um chão firme como base do amor, mas não achamos e ficamos desesperados? Muitas vezes vivemos mendigando amor. Esquecemos que somos tesouros vivos de uma preciosidade sem limites. Mendigar amor é sinal de que não conhecemos nosso valor, não conhecemos os planos de Deus.

Pai, você sabe por que nossos filhos não têm mais tanta ternura com as pessoas em sua volta? Porque eles não vêem isso em casa. Fomos criados para ser amor. Exercite o amor!

Estamos vivemos como robôs, acostumados a tratar as pessoas com distância e desprezo. Até inventaram o amor descartável. Enquanto dura está bom, acabou joga no lixo. Isso é um absurdo! O mundo criou a expressão “Ex”. Agora tudo é “ex”; ex-marido, ex-mulher, ex-amante, ex-filho, tem até ex-Deus.

Vamos refletir um pouco: De que forma você experimenta o amor? Por que o mundo está assim, tão distante das pessoas? Fala-se tanto do amor, mas onde ele está? Qual foi a última vez que você disse para alguém, olhando nos olhos, eu te amo?

Deus quer um mundo novo com homens e mulheres renovados
. É preciso que você perceba o amor de Deus. Entregue teu coração a alegria, Ele quer que vivamos felizes e que poupemos o nosso corpo de todo o sofrimento. Diga: Senhor, ajuda-me a conhecer-me e amar incondicionalmente. Amém.

Transcrição: Ariane Fonseca


ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE: (12) 3186 2000


Júlio Brebal


Missionário da Comunidade Canção Nova – Segundo Elo

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo