Na meditação da Paixão de Cristo, encontre forças na cruz

Padre José Augusto
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com
Hoje, estava meditando sobre o fato de que Deus, em Seu imenso amor, deu o Seu Filho, Jesus Cristo, para nos salvar, Seus outros filhos. Ele nos deu Seu Filho, de presente, para que fosse crucificado por nós.

:: Saiba mais sobre a Quaresma
:: 
A Sexta-feira Santa é uma celebração de muita dor

Talvez você esteja reclamando, porque o Senhor não lhe dá o que você pede. Mas o que você está pedindo a Ele? Um carro? Uma casa? Isso não o levará à salvação!

Diante de filhos desobedientes, que só pensam em si, o Pai poderia nos dar o inferno como recompensa, mas Ele preferiu mudar tudo e encontrou outra forma: deu a Seu Filho um corpo para que fosse ferido e crucificado a fim de nos redimir.

No seu dia a dia, talvez você se queixe da sua vida miserável, você diga que Deus não olha para você. Mas pense que o Senhor olhou para você quando entregou Seu Filho na cruz, porque Ele não quis perder nenhum de nós.

Judas perguntou aos soldados: “Quanto vocês pagam para que eu fale d'Ele? O traidor entregou o Mestre por 30 moedas. Judas vendeu Jesus. Mas nós não podemos vendê-Lo, porque isso é traição.

Pedro falou: “não fomos salvos com ouro ou prata, mas sim pelo Sangue de Jesus". Não venda o Evangelho, porque Jesus Cristo não se vendeu. Estamos lidando com a salvação de almas.

Pilatos entregou Jesus por medo, embora não encontrasse nada de errado n'Ele. Mas quando foi pressionado, ele entregou o Senhor. Não podemos lavar nossas mãos quando as coisas “apertam”. Não podemos ficar com Jesus só quando as coisas estão difíceis.

Vamos agir como Judas? Como Pilatos? Como os judeus – autoridades da época – que entregaram Jesus? No Evangelho de São Marcos, vemos que eles fizeram isso por inveja. Quantas vezes a inveja toma conta de nosso coração! Judas O entregou por dinheiro; Pilatos, por medo; os judeus, por inveja. Aqui, nos deparamos com o amor do Pai que nos amou imensamente.

"Na meditação da Paixão de Cristo, encontre forças na cruz."
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com


Jesus disse: “Pai, perdoe-lhes, eles não sabem o que fazem”.

Dos ladrões que foram crucificados ao lado de Cristo, um se arrependeu e pediu a Ele: “Não me condene!”. O Senhor, então, lhe disse: “Em verdade vos digo, ladrão, mas filho do meu Pai, hoje ainda estará no Paraíso”. O problema não é o pecar, porque Deus sabe que somos pecadores, nossa falta está em não reconhecermos nossos erros, não nos arrependermos. Diante de Deus Pai, não se justifica, porque, quando nos justificamos, Ele se cala.

Jesus pede a Maria que cuide de nós. Ele nos consola na cruz, dando-nos Sua Mãe, e por fim, o Senhor nos deu a vida, a salvação.

Olhe para os seus sofrimentos, nós caminhamos no vale de lágrimas, vivemos no desprezo, na calúnia. Nosso sofrimento não precisa ser tirado, mas precisa ser fortalecidos. É preciso olhar para a cruz e encontror forças nela.

Pais, ensinem seus filhos sobre a importância da cruz, a fim de que, quando eles crescerem, aprendam a oferecer suas dores a Deus. Precisamos ser cristãos na hora da dor também. Na hora em que sofremos, no momento da enfermidade, glorifiquemos ao Senhor.

Mostre-se vigoroso, mas se mostre também na sua enfermidade. Mostre-se como cristão que está unido a Deus na dor. Na meditação da Paixão de Cristo, encontre forças na cruz. O Pai nos deu o Seu Filho crucificado para morrer por nós.

Transcrição e adaptação: Elcka Torres



Adquira esta pregação pelo telefone (12) 3186-2600

Conheça mais do nosso conteúdo:

:: WebTVCN, muitos vídeos para você
:: Gente de fé, a sua comunidade de relacionamento cristã
:: Podcasts: ouça áudios sobre variados assuntos
:: Cadastre sua paróquia ou capela no Portal Canção Nova

Para o seu celular:

:: Canção Nova Mobile
:: CN Chama, a Palavra de Deus no seu celular
:: Iphone

Mais canais na web:

:: meadiciona.com/cancaonova



Padre José Augusto


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo